‘Terceira via’ para e espera por Vanderlan

0
633

Importante nos embates eleitorais do Estado, a ‘Terceira Via’ ainda não tem caminho definido para a disputa eleitoral de 2016 em Goiânia. A aliança entre PSB, PSC e PRP, que se configurou para a disputa das últimas eleições ao governo do Estado, começa o ano à espera da maior liderança do bloco, o empresário Vanderlan Cardoso (PSB), que ainda não se posicionou. Além disso o PRP já fala em lançar o radialista Jorge Kajuru como pré-candidato do partido ao cargo.

Com uma votação expressiva na capital na última eleição, Vanderlan Cardoso é bastante conhecido na região metropolitana e tem a confiança do grupo. O ex-prefeito de Senador Canedo atingiu cerca de 25% de votos em Goiânia no ano passado, na corrida pelo Palácio das Esmeraldas. No ano passado, ele afirmou, em entrevista à Rádio 730, que poderia, sim, ser candidato à prefeitura de Goiânia em 2016. Ele, porém, ainda não se posicionou nem mesmo internamente a seus aliados, deixando um vácuo na articulação política do grupo.
Segundo lideranças próximas, o silêncio do ex-prefeito de Senador Canedo tem uma razão: a possibilidade do PMDB lançar o nome do ex-governador Iris Rezende (PMDB) ao pleito na capital, o que reduziria drasticamente as chances de vitória da ‘Terceira Via’, mesmo encabeçada por Vanderlan Cardoso. Alguns membros pessebistas consideram o ex-governador peemedebista, que goza de carisma junto à população goianiense, como nome quase imbatível em Goiânia, seu último reduto político ao lado de Aparecida de Goiânia, o que inviabilizaria uma possível candidatura de Vanderlan.
Outro nome que também aparece como alternativa ao de Vanderlan Cardoso é o de Kajuru, que teve seu nome ventilado para a disputa por meio de seu presidente regional, o ex-secretário da Fazenda de Goiás, Jorcelino Braga. Kajuru, inclusive, anseia a união da ‘Terceira Via’ com a oposição estadual, um grupo que teria as lideranças de Iris Rezende, Vanderlan Cardoso e do senador eleito Ronaldo Caiado (leia matéria abaixo).
Iris, até o momento, já deu alguns sinais de que pode ser candidato ao Paço Municipal no ano que vem. Caso haja diálogo com os partidos da ‘Terceira Via’, algumas lideranças próximas a Iris acreditam que o peemedebista poderia avaliar a possibilidade de ceder a vice para uma liderança do bloco. Caso contrário, o deputado federal Sandro Mabel seria o principal nome para ocupar o cargo, em uma hipotética chapa.
Sandro Mabel foi fundamental para Iris Rezende na disputa pelo governo do Estado. O empresário se manteve firme e empenhado na campanha do peemedebista e ajudou a viabilizá-la financeiramente. A ação de colocar Mabel como vice seria a de repetir 2014, com o empresário tomando frente na parte estrutural da campanha.

Silêncio
Membros do PSB não confirmam, mas com a possibilidade de Iris se lançar candidato, uma possível candidatura de Vanderlan poderia não alcançar o sucesso esperado. Vanderlan, que está em viagem com sua família, não se pronunciou mais sobre a possível candidatura, o que vem deixando sua base em dúvidas sobre se a ‘Terceira Via’ lançará nomes para a disputa em Goiânia.
A indefinição sobre uma possível candidatura de Vanderlan Cardoso é aguardada pela sua base política. O ex-prefeito de Senador Canedo deve retornar esta semana a Goiânia, quando, espera-se, as conversas sobre o seu futuro político serão retomadas.

Posicionamento
Dentre os aliados, há a expectativa para que o mandatário do PSB em Goiás e principal nome da ‘Terceira Via’ acene com um posicionamento. Um deles é o deputado estadual Major Araújo (PRP), que conquistou mais um mandato para o legislativo goiano. Araújo espera uma posição de Vanderlan Cardoso.
Major Araújo mostra preferência pela candidatura de Vanderlan, mesmo com a possibilidade de o PRP lançar candidato próprio. “Se ele propor o nome, com certeza será apoiado”, disse.
Outro que também aguarda posição do empresário é o deputado estadual Simeyzon Silveira (PSC) que foi apontado por membros de seu partido como um possível nome na disputa em Goiânia, o que foi rechaçado pelo parlamentar. Simeyzon afirma que espera por um aceno de Vanderlan. “Se ele sair candidato a prefeito será apoiado. A prioridade é o Vanderlan”, declara Simeyzon.
Caso o empresário pretenda mesmo colocar seu nome como um dos candidatos na capital, nem Jorge Kajuru muito menos Simeyzon Silveira deve causar atritos. Para Simeyzon, as relações entre os partidos devem ser mantidas. Entretanto, ainda não houve conversa para definir sobre o tema.
“É certo que até setembro o fato ganhe afunilamento e as decisões devam começar a surgir. Caso a união ganhe maior contorno, o desafio é manter-se vivo e com nome em destaque no cenário político. Vanderlan Cardoso tem vantagem, é empresário e já bastante conhecido da população de Goiânia, onde foi bem votado na eleição anterior”, avaliou.
Entre articulações e diálogos os membros da ‘Terceira Via’ dizem publicamente que este é o momento de trabalhar o fortalecimento de suas legendas. O grupo que disputou as últimas eleições junto não teve o objetivo concretizado. Planejavam ocupar pelo menos quatro vagas na Assembleia Legislativa e ao menos uma na Câmara Federal.
Com a reeleição de Major Araujo (PRP) e o sucesso de Simeyzon Silveira (PSC), coube ao grupo apenas duas vagas no legislativo. Jorge Kajuru (PRP), tido como o principal competidor à Câmara Federal, apesar da votação expressiva que alcançou (106.291 mil votos), não obteve cadeira no legislativo federal.
Com um deputado estadual, quatro prefeitos e 80 vereadores, o PSC, comandado pelo presidente regional Joaquim Liminha, ainda não tem seu futuro definido para 2016, já que o mandatário ainda não iniciou conversas com outros partidos. “O momento agora é de fortalecer a legenda. As conversas estão em torno deste fortalecimento”, declarou.

Rede
Caminhado a passos largos para finalizar o processo de sua criação, o partido Rede Sustentabilidade pretende participar ativamente do processo eleitoral daqui dois anos. No cenário nacional, a sigla é encabeçada pela ex-senadora Marina Silva, enquanto em termos regionais tem no procurador federal Aguimar Jesuino (Rede) sua figura de liderança.
Em sua primeira eleição, ele representou a ‘Terceira Via’ em sua candidatura ao Senado pelo PSB. Conquistou cerca de 80 mil votos. Alinhado com os objetivos de seu partido, Aguimar pretende apoiar quem tiver um programa compatível com os ideais da Rede. “Pretendemos fazer uma aliança programática. Nossa aliança com qualquer partido depende do programa que será apresentado”, defende Jesuíno.
Até agora, Aguimar não iniciou conversa com ninguém. Neste momento, Aguimar e membros da sigla pretendem ter como meta a oficialização da Rede Sustentabilidade que deve ocorrer até o final de abril, segundo suas próprias palavras. “Devemos iniciar conversa assim que terminado o registro da Rede, entre março e abril”, declarou.
Na esperança de ter a ‘Terceira Via’ como responsável por quebrar a hegemonia existente no município, Aguimar crê na possibilidade de que alguém consiga vencer os adversários. No entanto, ressalta que são grupos fortes que tem ao seu lado tempo de televisão o que é fundamental para desequilibrar o jogo.
Caso a união entre PSB, PSC e PRP, se configure e seja concretizada para o ano que vem, Vanderlan e Kajuru ganham destaque. Na visão de Jesuíno, os dois são importantes, mas o que vai prevalecer são os programas. Aguimar sustentou o foto de ter se unido a Vanderlan na última eleição por tem um programa pronto muito tempo antes das eleições.


Pré-candidato, Kajuru fala em aliança com PMDB

O radialista Jorge Kajuru (PRP), que disputou uma cadeira na Câmara Federal e, apesar de excelente votação, não conseguiu se eleger, teve seu nome lançado pelo presidente do PRP em Goiás, Jorcelino Braga, como pré-candidato à prefeitura de Goiânia no ano que vem. “O Braga é o dono do partido e colocou meu nome para concorrer”, disse. Kajuru diz que ainda haverá muitas conversas, mas revelou que há o desejo de comandar o Paço. “Goiânia hoje está um chiqueiro”, diz.

O radialista, entretanto, revelou que há possibilidade de seu partido se aliar ao PMDB de Iris Rezende. A composição com uma coligação limitada é vista por Kajuru com dificuldade em razão de que o tempo de exposição na TV é muito pequeno.
O fato ganha força especialmente porque o DEM do senador Ronaldo Caiado tem considerável influência dentro do PMDB depois da última eleição. Caiado é amigo de Jorge Kajuru e poderá dar um apoio político ao amigo. Com essa configuração Kajuru revela: “Eu seria vice do Iris Rezende”.
O quinteto seria formado por PMDB, DEM, PSB, PSC e PRP. Desta maneira há duas leituras possíveis de serem feitas: Vanderlan teria que abrir mão de sua candidatura ou se lançar de forma isolado ao Paço. Por outro lado, o PT também ficaria sem um aliado automático, tendo que buscar outros partidos ou lançar chapa solo.
Impulsionado por uma votação expressiva logo em sua primeira eleição, o novato Jorge Kajuru é figura conhecida há bastante tempo em Goiás. Com o seu nome consagrada na esfera esportiva brasileira, construiu carreira na antiga Rádio K, hoje Rádio 730. Por possuir forte temperamento acabou criando desgastes e se mudou para São Paulo, quando conseguiu destaque na mídia nacional.
Em sua volta, lançou-se como candidato a deputado federal e conquistou mais de 106 mil votos. Só não foi eleito porque sua coligação não atingiu o coeficiente eleitoral. Agora, com o prestígio em alta, pode ser um dos candidatos à prefeitura de Goiânia no próximo embate eleitoral.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here