Parceria regulari­za Distrito Industrial

0
902

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha, e o governo estadual deram um importante passo para o processo de industrialização do município, com a assinatura do decreto que regulariza o microparcelamento  da Quadra ASR NE 65, onde será instalado o Distrito Industrial Tocantins II, que comportará 220 empresas.

O secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Trabalho, Eudoro Pedroza, explica que a implantação do distrito foi iniciada ainda em 2009, entretanto não houve continuidade no processo em razão da ausência de regularização fundiária. “Essa regularização é fundamental para implantarmos o distrito, e nós encontramos total apoio no prefeito Carlos Amastha para sua execução”, afirmou.
Segundo o secretário, cerca de 550 empresários já demonstram interesse em investir no Tocantins. Ainda de acordo com o gestor, após análise destas propostas, o governo do Estado vai disponibilizar o microparcelamento dos lotes, fornecendo ainda a infraestrutura necessária para a instalação das empresas, por meio do Fundo de Desenvolvimento Econômico.
Já a secretária de Desenvol­vimento Econômico, Cleide Brandão, ressaltou que a regularização é resultado da parceria da pasta com o Governo Esta­dual. “Este é o início de um trabalho em conjunto, estamos em coesão para promover o desenvolvimento do Município e gerar emprego e renda”, afirmou.
O avanço na geração de emprego e renda qualificados, com a disponibilização de áreas para empresas que estejam comprometidas com o desenvolvimento da cidade foi ressaltado pelo prefeito Carlos Amastha, ao afirmar que a preocupação da Prefeitura é que as áreas industriais sejam produtivas. “Palmas não pode ficar dependente do poder público, nossa saída é a geração de emprego qualificado na iniciativa privada, para isto é fundamental que sejam privilegiadas empresas que vão gerar emprego e renda”, disse.

Distrito
O Distrito Industrial Tocantins II comportará 220 empresas de médio e pequeno portes. Dentre os perfis das empresas a serem atendidas, de acordo com Pedroza, estão as áreas atacadista e de distribuição, e não poluentes, dentre outras.
As empresas interessadas em participar do processo devem procurar a Secretaria Estadual de Indústria, Comércio e Turismo. Informações dão conta de que mais de 500 empresas já estariam na fila de espera. A infraestrutura do Distrito será implantada pelo Estado, que segundo Pedroza, já possui recursos disponíveis para a demanda.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here