PMDB encaminha propostas ao Paço

0
503

A comissão do diretório Metropolitano do PMDB marcou para esta segunda-feira, 26, a primeira reunião para definir quais serão as sugestões a serem enviadas ao prefeito Paulo Garcia (PT) para serem analisadas e talvez incorporadas na reforma administrativa que a prefeitura de Goiânia realizará neste início de ano.

Em reunião ocorrida no início da última semana, o prefeito Paulo Garcia deu prazo de uma semana para que os integrantes do PMDB enviassem as sugestões, que já foram colhidas na última semana pelo vereador Paulo Borges (PMDB), que ficou como responsável por receber as propostas dos outros membros do partido e realizarem a compilação a ser entregue a Garcia.
Segundo informou o vereador Denício Trindade (PMDB), as sugestões deverão ser mínimas por parte do partido. “Serão algumas sugestões em relação a manutenção de algumas secretarias ou a junção física de algumas pastas, cortes de despesas com aluguel de prédios, melhoria na aparência da cidade, dentre outras coisas”, adiantou.
Ele também avisou que a responsabilidade pela reforma é do prefeito e que o partido não pressionará por cargos ou mesmo pelo aproveitamento das sugestões que forem enviadas a Paulo Garcia. “A decisão é do prefeito. Ele terá liberdade para utilizar ou não as sugestões”, disse.
Hoje, o PMDB conta com quatro secretarias que são a Casa Civil e a Habitação, que estão sob o comando de Andrey Azeredo, a Saúde, que é comandada por Fernando Machado, e a secretaria de Esporte e Juventude, que está sob a responsabilidade de Sebastião Peixoto.
O partido ainda comanda uma autarquia, que é o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (IPSM), que é comandado pelo ex-secretário de Finanças da prefeitura, Dário Campos.
O presidente metropolitano do PMDB, deputado Bruno Peixoto (PMDB), também confirmou que o partido não buscará a manutenção de secretarias que hoje pertencem à sigla, ao contrário do que vinha dizendo anteriormente, em entrevistas.
Sinal de que a reunião realizada no início da última semana deu resultado. Desde o final do encontro, o PMDB diminuiu o tom das críticas que vinha realizando em relação à condução da administração municipal de Goiânia.
O vice-prefeito Agenor Mariano, que havia reclamado que o partido e ele não haviam sido consultados sobre os procedimentos a serem adotados na condução da reforma, já veio a público dizer que não há mais nenhuma rusga de ambos os lados.
“O prefeito nos convidou, pois quis ouvir de forma democrática o que o PMDB pensava e sugeria sobre a reforma. Consideramos uma atitude correta dele e que serviu para acabar com qualquer dúvida que havia sobre a relação entre os dois lados”, afirmou o vice-prefeito.
O próprio prefeito saiu satisfeito do encontro, falando em manutenção harmônica da relação entre os dois partidos. “A reunião foi muito positiva, harmônica, como nossa relação. Nós somos parceiros, irmãos siameses”, afirmou Garcia.
A exceção ficou por conta do deputado estadual eleito José Nelto, que continuou tecendo críticas à gestão do petista, ao deixar a reunião dizendo que o PMDB continua sem espaço dentro da gestão.

Novos nomes
De acordo com fontes consultadas pela reportagem de ambos os partidos, há a possibilidade de que o PMDB tenha, ao menos, dois novos nomes dentro do novo secretariado que será indicado pelo prefeito ao final da consolidação da reforma administrativa.
Um dos nomes cotados para ser chamado pelo prefeito é o da vereadora Célia Valadão. Ela foi a líder do prefeito nos dois primeiros anos de mandato do petista após a sua reeleição e pode ser lembrada para assumir a secretaria municipal de Assistência Social (Semas), a qual já comandou.
Outro nome que poderá ser chamado pelo prefeito é o do vereador Clécio Alves, que deixou a presidência da Câmara Municipal no final do ano passado. Clécio, há algumas semanas, sondou o prefeito sobre a possibilidade de assumir a secretaria de Habitação.
A secretaria de Habitação hoje é comandada interinamente pelo secretário da Casa Civil, Andrey Azeredo, após Denício Trindade deixar o comando da pasta para voltar à Câmara Municipal.
O PC do B, do ex-vereador Euler Ivo, também está de olho na secretaria, mas essa possibilidade é mais irreal hoje. Ainda existem especulações em torno do nome do ex-secretário da Casa Civil Lívio Luciano (PMDB) voltar para a administração municipal, mas sem pasta definida.

Reforma
O prefeito Paulo Garcia afirmou durante a semana passada que vai encaminhar, ainda no mês de fevereiro, à Câmara Municipal, o projeto de lei que prevê a reforma administrativa. Segundo ele, a matéria prevê cortes entre 30 e 40% das despesas da prefeitura, por meio de extinção ou junção de secretarias e órgãos, além do corte de cargos comissionados.
Garcia disse também que está ouvindo organizações classistas e sociais, como os fóruns empresarial e sindical dos trabalhadores para a confecção do documento, além claro, de PT e PMDB. Além disso, o prefeito também tem ouvido a mesa diretora da Câmara, embora não tenha descartado a possibilidade de colocar a reforma em prática por meio de decreto. “A reforma está em andamento, estamos ouvindo sugestões da sociedade, dos partidos, dos vereadores. Queremos fazê-la por meio da lei, para que não haja vácuos indesejáveis”, disse, em entrevista à Rádio CBN.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here