Inovação tecnológica

0
564

Filho de imigrantes alemães, Rudolf Diesel fui um dos grandes inventores do século 19. Foi ele o responsável pela criação do primeiro motor movido a combustão interna, um invento fundamental para o desenvolvimento mundial em vários setores, principalmente o industrial, já que muitas das máquinas existem em indústrias são movidas por motores.
Para tornar desenvolver seu projeto foi necessário muito trabalho, já que o cientista teve que criar todo o sistema mecânico de engrenagens, pistões, bombas injetoras, entre tantos outros mecanismos que compõe a estrutura de uma motor. Junto às inúmeras peças, Diesel projetou o principal componente do seu motor, que consistia em um sistema gerador de combustão interna realizada a partir de uma reação química entre óleo e oxigênio em contato com um conjunto de pistões.
A ação desses componentes causa um tipo de “explosão”, que gera energia necessária para que todo o sistema de engrenagens do motor entre em funcionamento. Mas o curioso é que naquela época os combustíveis utilizados para tal finalidade eram bastante inusitados, como o óleo de amendoim, o petróleo filtrado e até o óleo extraído de peixes.
Depois de pronto e de uma série de testes feitos, o motor do cientista alemão foi oficialmente apresentadaoem 1898 na Feira Mundial de Paris, na França. A partir de então, a tecnologia passou a ser disseminada em todo o mundo. E o principal fator para isso ter acontecido foi a simplicidade mecânica e a grande possibilidade de aplicação do equipamento em atividades variadas. Ao contrário dos sistemas mecânicos a vapor existentes na época, comumente utilizados em locomotivas e transportes marítimos, que, além de grandes, eram bastante complexos de serem operados.Bons Negócios
Como talento nato para área de vendas, o próprio Rudolf Diesel ia ao encontro de seus clientes para falar a respeito das potencialidades do invento, entre elas o fato do motor poder ser alimentado por óleos de origem vegetal. “O uso de óleos vegetais como combustível pode parecer insignificante hoje em dia, mas com o tempo irão se tornar tão importantes quanto o petróleo e o carvão são atualmente”, argumentava o pesquisador. Munido de argumentos como esse e com a tecnologia inovadora inerente ao seu invento, começaram a surgir compradores em várias regiões da Europa.
E com o objetivo de fechar mais um negócio, na noite de 29 de setembro de 1913, ele embarcou numa balsa na Antuérpia (Bélgica) com destino a Harwich, no Reino Unido. Mas a venda não pôde ser concretizada porque a embarcação não chegou ao seu destino. O fato gerou muita especulação na época. O corpo do cientista, e alguns de seus pertences, só foi encontrado duas semanas mais tarde na costa da Bélgica. O reconhecimento foi feito por seu filho, Eugen Diesel.


Homenagem

 

Alguns anos após o  falecimento do inventor do primeiro motor movido a combustão, Rudolf Diesel, a indústria petrolífera teve uma grande expansão. Nesse contexto, pesquisadores criaram um produto oleoso obtido durante a primeira fase do refino do petróleo que denominaram de “diesel”, numa clara homenagem ao inventor do motor a combustão interna.A partir de então, o combustível fóssil derivado do petróleo passou a ser largamente utilizado e, com isso, a intenção do inventor alemão de que seu motor funcionasse apenas com óleos vegetais foi ficando de lado. Apesar disso, com a grande poluição oriunda dos combustíveis fósseis, a preocupação com a utilização de combustíveis menos poluentes continua atual.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here