Combate da dengue na Região Norte

0
552

Os setores Jaó, Santa Genoveva e Negrão de Lima receberam na última sexta-feira, 20, uma grande mobilização organizada por equipes da prefeitura. A força-tarefa está percorrendo ruas e avenidas da Região Norte de Goiânia, levando serviços dos agentes endêmicos de combate à dengue, além dos trabalhos de fiscalização, remoção de entulhos, roçagem, tapa-buracos, iluminação, entre outros. A união das secretarias municipais de Saúde (SMS), Fiscalização (Sefis), Obras (Semob), Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) e Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) resultará em múltiplas ações para conter a proliferação de focos do mosquito Aedes aegypti em uma região que, de acordo com relatório da SMS, tem o segundo maior índice de infestação entre as regiões da cidade.

Só nessas primeiras semanas deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde registrou mais de 5.200 casos da doença. De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde da SMS, Fluvia Amorim, o aumento dos casos de dengue se deve a um conjunto de fatores. “No último levantamento feito no mês de janeiro, foi verificado que os criadouros preferenciais em Goiânia são os ralos que estão dentro das casas, como os ralos de banheiro e cozinha. Em se­gun­do lugar vieram os tambores, relacionados ao arma­ze­namento de água da chuva, que também não apareciam em dados anteriores”, revela.
A operação seguirá com serviços de fiscalização e urbanização em imóveis e lotes baldios, atuando nesta região onde há predominância de casas com jardins e piscinas, muitas delas encontram-se fechadas, tornando-se ambiente propício para proliferação do mosquito. A área do Setor Jaó, por exemplo, é brejosa e produz muita massa verde, fato que já levou a Comurg a fazer, somente em 2015, duas ações intensivas para remover entulhos, ocasionando o recolhimento de mais de seis mil toneladas de resíduos.
“O nosso trabalho de limpeza, remoção de entulhos e a manutenção de limpeza na região do Jaó tem uma frequência maior. Aqui há uma peculiaridade: muitos jardins. Isso acaba produzido muita massa verde, que é o lixo proveniente da poda desses jardins e limpezas de quintais. Só este ano essa ação já foi feita duas vezes, além de outra no final do ano passado, aqui no Jaó”, explica Ormando José Pires Júnior, presidente da Comurg e coordenador da operação. Ele destaca ainda que a participação da população é fundamental, paralela a este trabalho de limpeza. “Nós vamos intensificar a fiscalização. O objetivo é limpar e cobrar do morador essa manutenção”, esclarece.
A participação do cidadão nas ações de combate à dengue será destaque nas ações promovidas pela prefeitura. O motivo desse foco é um alto índice registrado pela SMS, mostrando que 80% dos criadouros estão dentro das casas. Por esta razão, a Secretaria de Saúde colocará 250 agentes dos distritos Norte, Leste e Campinas/Centro para visitar 100% dos domicílios, visando a eliminação de criadouros do mosquito transmissor da dengue e orientação aos moradores. Profissionais farão bloqueio de casos e vistoria em pontos estratégicos, como ferros-velhos, borracharias e floriculturas, locais onde o nível de risco da proliferação do mosquito é maior. Durante ação dos agentes, a Sefis e Amma também atuarão com o trabalho dos fiscais que poderão aplicar penalidades aos proprietários que não cumprirem com as ações corretas de limpeza.
É preciso lembrar ainda que o mosquito vetor da dengue é o mesmo da chikungunya e, aos poucos, a doença vai fazendo vítimas. “Hoje ainda não temos um surto de febre chikungunya, mas há uma possibilidade real de isso acontecer, principalmente agora, pós-carnaval. Muitas pessoas viajaram para vários locais, muitos deles que já têm a transmissão da doença. Essas pessoas podem retornar trazendo consigo o vírus e, assim, transmitir para outras”, explica Fluvia.
Nas residências, será fiscalizada a manutenção dos imóveis, o acúmulo de água, a limpeza, o acúmulo de lixo, de materiais inservíveis e de outros materiais que possam acumular água. A ideia é promover a sensibilização, a absorção de conhecimentos e a mudança de atitudes e práticas da população, estimulando sua participação efetiva para reduzir a incidência da doença no município. Se detectada conduta irregular no domicílio ou em lotes baldios, o dono ou locatário poderá ser punido, de forma alternativa ou cumulativa, com as penalidades de advertência, multa, apreensão, inutilização ou interdição.
O prefeito Paulo Garcia alertou para o uso da lei, caso seja necessário. “Nós temos leis que nos permitem fiscalizar e multar aqueles que estão agindo de forma errada. E seremos incisivos. Inclusive determinamos à Fiscalização que aja com mais rigor. Nós temos uma atitude muito condescendente com quem comete ações que não são corretas: joga lixo na rua, não acondiciona o lixo corretamente, permite água parada dentro de casa, impede a visita dos agentes da dengue para tratar o que tem de ser tratado… Nós seremos mais rigorosos”, disse.
De acordo com o prefeito, é preciso mostrar que essa é uma oportunidade única para, coletivamente, poder público e comunidade ter um resultado positivo para a cidade. “A dengue não atinge só o vizinho”, arrematou. Os valores das multas que constam na legislação variam de R$ 517,06 a R$ 1.000,70. Ao infrator reincidente, a multa é computada em dobro.
De acordo com o prefeito, os aumentos dos casos se devem a uma curva epidemiológica. Elas demonstram, por números estatísticos, que no período chuvoso há uma maior incidência e possibilidade de formação de locais onde o mosquito possa se reproduzir. “O que eu penso, e que todos nós temos que nos convencer, é que o poder público – e a demonstração clara está aqui! – faz a sua parte. Mas a solução definitiva para a dengue só virá quando tivermos a vacina, o que eu acredito, em poucos anos, segundo informações da Organização Mundial de Saúde, deverá estar à disposição dos países onde essa patologia é endêmica”, disse Paulo Garcia.

Urbanização e Obras
Os serviços executados pela SMS, Sefis e Amma serão complementados por significativas atuações da Comurg e Semob. A Companhia designará 230 funcionários que cumprirão o cronograma de remoção de entulho e lixo, coleta de lixo orgânico, coleta seletiva, varrição, roçagem de áreas públicas e dos lotes baldios devidamente notificados, combate de pragas, reparos em brinquedos, bancos e lixeiras de praças, poda ou extirpação de árvores com laudo fitossanitário da Amma e poda de grama.
Já a Semob realizará ser­viços de tapa-buracos em todas as ruas dos três setores programados, além de fazer a limpeza das bocas de lobo. Três equipes da pasta percorrem, desde ontem, 19, as ruas dos setores tapando os buracos. Hoje outras três equipes fazem a conservação das bocas de lobo, sendo também responsabilidade do órgão a troca de lâmpadas nos bairros onde ocorre a Força Tarefa.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here