Governo agenda reuniões com sindicalistas

0
542

A Comissão de Análise de Pessoal sobre os recursos financeiros do Estado, nomeada pelo governador Marcelo Miranda, se reuniu no final da tarde desta quarta-feira, 18, com representantes de sindicatos e associações representativas dos servidores públicos. A reunião reforçou a abertura do governo em dialogar com todas as categorias de servidores públicos, uma das determinações do Plano de Recuperação do Tocantins.
A partir da próxima semana, representantes do governo vão atender todas as categorias separadamente. Os representantes da Polícia Militar e dos Bombeiros serão atendidos já na segunda-feira, 23, assim como a área da Saúde. Na terça-feira, 24, serão atendidas as categorias da Polícia Civil e, à tarde, da Educação. Na quarta-feira, 25, os auditores e depois o Quadro Geral. Os secretários de cada área afim estarão presentes nas reuniões individuais com as categorias.
Alguns sindicatos pretendem indicar oficialmente os membros e as demandas comuns serão tratadas em conjunto. O presidente da Comissão, secretário da Administração, Geferson Barros, abriu o encontro explicando que a intenção é fazer uma agenda específica para atender as entidades para que as demandas sejam discutidas separadamente. “Vamos iniciar um agendamento e diálogo com todos os sindicatos”, frisou.
Geferson Barros explicou os motivos da anulação de atos irregulares aprovados na gestão passada. “Existe uma série de questionamentos com relação a esses benefícios, uma vez que o Estado está fora do Limite de Responsabilidade Fiscal. Além disso, não tem dinheiro para pagar”, reforçou. Ele afirmou que novos implementos só serão permitidos após o Estado ser enquadrado na LRF. “A meta do governo é conceder os benefícios dentro da legalidade”, garantiu.
Vários presidentes de sindicatos expuseram aos secretários situações específicas com relação às categorias. O presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais, Jorge Couto, afirmou que a reunião será importante para explicar a situação dos servidores impactados pelas medidas. Já o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos, Cleiton Pinheiro, pontuou sobre a situação do Quadro Geral da Procuradoria, Naturatins e Ruraltins.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sintras), Manoel Pereira, falou da antecipação de um adicional noturno e da insalubridade por parte de alguns servidores, junto ao Banco e defendeu um ajuste geral no Estado. “Eu quero ter um plano de carreira com coerência e esperamos que não venha mais nenhum milagre só para tentar ganhar eleições como aconteceu ano passado”, criticou. Em resposta à demanda, o secretário disse que já nesta quinta-feira, 19, fará gestão no Banco do Brasil pedindo a suspensão das cobranças.
O presidente da comissão deixou claro que as concessões feitas, sem planejamento, pela gestão passada podem gerar um déficit previsto de R$ 1 bilhão afetando diretamente os serviços básicos do Estado. “O Estado está trabalhando para salvaguardar o salário dos servidores. A conjuntura do Esta­do hoje nos exige isso. Não estamos aqui para prejudicar nem tirar direito de nenhum servidor”, disse pregando a necessidade de uma reorganização administrativa.
Questionado sobre a necessidade da redução dos cargos em comissão o titular da Secad informou que além de ser feita a redução de mais de dois mil cargos em comissão, o provimento no mês de janeiro até hoje foi muito baixo com relação aos anos anteriores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here