Estado e municípios se unem contra a dengue

0
691

 

Com o objetivo de combater a dengue em todo estado de Goiás, a Secretaria Estadual da Saúde realizou nesta sexta-feira, dia 27, um encontro com secretários e prefeitos dos 246 municípios para a apresentação da atual situação da doença e também para destacar o papel de cada ente federado na atuação no combate à endemia.
O secretário da Saúde, Leonardo Vilela, informou o registro do aumento de 36,70% no número de notificações da doença, em comparação com o mesmo período do ano passado. Já são 19.584 casos de dengue este ano. Só em Goiânia, são aproximadamente 9 mil. Vilela informou que em 2015, até neste mês, 13 óbitos estão sendo investigados e ontem houve uma morte por dengue, confirmada em Goiânia. A reunião aconteceu no Auditório Maugo Borges, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.
Vilela explicou que o Estado é responsável pela capacitação dos servidores, por realizar exames confirmatórios de dengue, garantir equipamentos e insumos, entre outras ações. Neste ano serão investidos pela SES, R$6.152.137,44, com a aquisição de caminhonetes para renovação da frota de bombeamento do inseticida, estetescópios, cadeiras para hidratação de pacientes, entre outros.
Além disso, a SES conta com o Centro Avançado de Informações e a Sala de Situação de Dengue, para reuniões sistemáticas de avaliação de doenças. Já o município deve garantir exames de sangue 24 horas por dia e ter agentes para o combate a endemia, entre outros. Vilela solicitou que os municípios deem prioridade à contratação desses agentes, que contam com número insuficiente em alguns municípios. “São papeis distintos, mas complementares”.

Roteiro
O governador Marconi Perillo, presente no encontro, ressaltou que pediu ao secretário Vilela que envie uma carta a todos os secretários municipais com um roteiro das ações que devem ser tomadas. “Às vezes tem a boa intenção, mas não sabe por onde começar. É um passo a passo para enfrentar esse desafio. Outro pedido é que se reúna com a Secretaria de Educação para pedir o engajamento de diretores, pais, professores para fazer um trabalho de orientação e preventivo”. Da mesma forma, solicitou que este trabalho seja feito também na UEG. “Temos que reunir todo o governo. Se em Aruanã foi possível uma redução drástica, é possível que faça em todos os lugares também”.
Marconi referiu-se a redução dos casos de dengue em Aruanã devido as ações promovidas pela prefeitura. Até agora, foram registradas apenas duas notificações da doença em 2015, contra 49 no ano passado. Segundo o prefeito da cidade, Paulo Valério, é necessária que haja uma mudança de comportamento na cidade. Ele cita que é necessário dar prioridade à limpeza pública e buscar a interligação das secretarias municipal e estadual da Saúde, além de contar com a ajuda das cidades vizinhas. “As cidades vizinhas cederam os agentes de endemia num primeiro momento para mim. E hoje estamos cedendo toda minha equipe de saúde na cidade de Britânia. Fizemos a nossa cidade despertar para o problema”, conclui.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here