Hora do lanche!

0
605

E1 02Você já parou para pensar o que de saudável seu filho leva na lancheira para a escola? Já parou para olhar a tabela nutricional daquilo que costuma colocar à disposição para as refeições leves? Com a correria do dia a dia e a necessidade dos pais de terem uma vida profissional em paralelo com a vida pessoal, muitas vezes alguns detalhes da vida das crianças passam despercebidos e um deles com certeza é a alimentação fora de casa. Um tipo de refeição que tende a ser, cada dia mais frequente, formada por produtos industrializados, consequência da mudança de comportamento familiar, onde todos trabalham fora.

E justamente a falta de tempo é quase sempre a desculpa de muitos pais quando colocam aquele bolinho industrializado, o salgadinho e o suco ou refrigerante na lancheira de seus filhos. O pior é que a criançada gosta e acaba selecionando esses alimentos como os preferidos e rejeitando aqueles que são considerados mais saudáveis e fazem bem à saúde.
Turismóloga, Swyane Cândido confessa que por conta da falta de tempo acaba colocando os alimentos industrializados na lancheira de seus filhos. Ela diz que tenta optar por coisas mais práticas tanto para ela quanto para as crianças na hora de consumir. “Coloco aqueles bolinhos, petas, bolachas, pão de queijo, toddynho, suco de caixinha e água de coco”, conta a mãe. Segundo ela, o que é considerado saudável é, muitas vezes, rejeitado pelas crianças. “Eu me preocupo com o que eles comem, mas nem sempre eles gostam do que é realmente nutritivo, então eu tento variar o cardápio e mesclar as coisas boas, mais saudáveis, com aquelas que eles gostam”, explica.
Nutricionista, Ana Carolina Rabelo alerta que alguns hábitos alimentares, apesar de agradar as crianças fazem muito mal à saúde e pode levá-las a uma doença crônica futura como diabetes e hipertensão. “Essas doenças uma vez adquiridas não são mais curáveis, apenas controláveis. E precisa de um acompanhamento diário e rigoroso”, explica ela acrescentando que, além disso, uma doença que está cada vez mais frequente é a obesidade infantil por consequência dessa alimentação rica em corantes e conservantes, muito sódio e açucares em excesso.
A especialista adverte que o consumo desses alimentos em excesso pode também influenciar negativamente no desenvolvimento escolar das crianças. “Na falta de concentração, dificuldade de memorização e aprendizado. Além do prejuízo futuro com o mau hábito alimentar que certamente a criança levará para a fase adulta”, alerta.

Atenção redobrada
De acordo com a nutricionista Ana Carolina Rabelo, o que deve ser observado pelos pais ao montarem a lancheira de seus filhos é que, além de buscar uma opção mais saudável, a quantidade de alimentos também deve ser controlada. “Os pais devem se atentar que, por ser um lanche, tem que ter um valor calórico pequeno, menor do que a refeição principal. As mães devem inserir frutas in natura ou secas, olhando a preferência da criança e depois tentar ampliar os gostos delas. Outras coisas que caem bem são os iogurtes, sanduiches naturais, bolachas integrais que hoje já tem até com sabores, mas o principal mesmo é o controle da quantidade”, explica.


Cuidados importantes

 

A jornalista Patrícia Santana tenta montar o lanche saudável para a filha que aos dez anos foi diagnosticada com pré-diabetes. “Quando descobrimos foi bem difícil, inclusive a aceitação dela em relação à mudança alimentar. Hoje eu procuro sempre colocar coisas mais saudáveis na lancheira dela, mesmo com a minha falta de tempo por conta do trabalho e da correria do dia a dia”, comenta. Segundo Patrícia, quando não é possível preparar o lanche da filha, opta por alimentos industrializados que considera mais adequados.
“Coloco as bolachas sem recheio, uma fruta e dou dinheiro para ela comprar o suco natural na escola”, revela.Claro que a dieta não segue sempre à risca, segundo Patrícia, pois, como toda criança, sua filha gosta de doces e massas. “Às vezes deixo ela comprar na escola os salgados assados e tento variar bastante para que coma essas coisas o menos possível”, diz.
A nutricionista Ana Carolina alerta que para aquelas mães que não conseguem administrar a lancheira dos filhos que procurem um profissional para ajudá-las. “Uma nutricionista pode colaborar com essa montagem e selecionar cardápios específicos e de acordo com a criança, mantendo a qualidade e o sabor”, ressalta.


Bom exemplo na escola

 

 

O papel de controlar a lancheira dos filhos é dos pais, mas as escolas podem colaborar com a educação alimentar dos pequenos incentivando o consumo de comidas saudáveis. Com esse propósito, a Escola e Educandário Sol Nascente há dez anos trabalha com o projeto “Aprendiz: Novo hábito Alimentar”, que incentiva as crianças a consumirem mais frutas e legumes, sucos naturais e outras boas fontes de alimentação.
Segundo a diretora pedagógica da escola, Adarci Dias Ribeiro, o incentivo ao bom hábito alimentar é inserido na educação infantil. “Nós temos várias atividades dentro da escola nesse sentido. Para as crianças da educação infantil, nível 1, nós temos o dia da fruta, onde cada criança traz de casa sua fruta e apresentamos as diversificações desses alimentos para elas. Além disso, temos o dia em que as crianças vão para a cozinha preparar seus próprios lanches. Tudo é feito com o acompanhamento das nutricionistas que orientam o que é bom e o que é ruim para a saúde”, explica.
De acordo com a diretora, esse projeto já surtiu muito efeito. “Quando uma criança traz um salgadinho, por exemplo, os próprios colegas já dizem que não é saudável. Além disso, a própria criança acaba forçando os pais a mandarem algo mais nutritivo”, confessa.
Adarci conta que além do trabalho interno com as crianças, essas informações alimentares são passadas sempre aos pais, orientando-os para que coloquem sempre na lancheira algo mais rico em nutrientes. “Esse ano já nos reunimos com os pais e alertamos cada um deles sobre essas questões e, na maioria das vezes, os pais colaboram até mesmo pela pressão exercida pelos filhos, pois eles já estão acostumados dentro da escola com o lanche saudável”, diz.

E a cantina?
Quando o assunto é a alimentação na escola, a cantina é quase sempre um problema por conta da grande exposição de alimentos não saudáveis, mas na escola onde Adarci trabalha, o local também privilegia alimentos saudáveis. De acordo com a diretora pedagógica, no local não há doces industrializados como bala, por exemplo, e nem salgados fritos.
“Nós trabalhamos com um kit lanche que é uma fonte de carboidrato, um suco natural e uma fruta. Tudo é orientado pelas nutricionistas que tomam conta do local”, afirma ela. E explica que os pais têm acesso ao cardápio semanal da cantina para liberação ou não do lanche comprado na escola.


 

Lanche do bem

Dicas para organizar uma boa refeição para as crianças levarem para a escola:

 

Bebidas: Os sucos naturais podem ser colocados em garrafas térmicas, pois dessa maneira a conservação será maior.

Frutas: A banana, a maçã e a pera são excelentes para o transporte, pois possuem um alto índice de durabilidade.
Pães: pão de forma comum ou integral, pão sírio, bisnaguinha, pão de leite, torradas e bolos simples, também podem ser colocados na lancheira. As opções de recheios que não estragam fácil  são a margarina, o requeijão, queijos branco ou muçarela,  geleia, peito de peru e presunto magro.

Sugestão de cardápios para um lanche sem restrições: 1) 1 iogurte + 1 lanche de pão de forma com queijo branco e cenoura ralada +uva itália
2) 1 suco de maracujá bem acondicionado + 1 fatia de bolo de cenoura caseiro + 1 maçã

Dica de lanche para a criança com alergia ao glúten:1 suco de morango bem acondicionado +1 fatia de bolo de fubá caseiro +1 pêssego

Dica de lanche para a criança com alergia ao leite 1 bebida à base de soja + 1 bisnaguinha com geleia de morango + 1 mexerica

Exemplo de lanche indicado para criança com diabetes Suco de fruta natural sem adoçar + 1 pão integral com requeijão light +4 morangos


Lanche do mau

 

Os 10 piores alimentos para as crianças, segundo especialistas:

Salsicha: Não tem valor nutricional e quase sempre é feita com carne processada.
Empanado de Frango: É feito com carne processada e sem nutrientes. São fritos e podem contribuir para à obesidade.
Hambúrguer congelado: Possui grande quantidade de gorduras trans.
Refrigerante: Possui grande quantidade de açúcar e sódio.
Salgadinhos:  Possuem muitas calorias e concentração de sódio
Maionese: Muita gordura e pouco valor nutricional.
Cereal: Pouco valor nutricional. Engorda mais do que nutre.
Macarrão instantâneo: muito sódio e pouco valor nutricional.
Bolacha recheada: Muita gordura saturada, açúcares e pouco valor nutricional.
Suco industrializado: Muito açúcar, corante e conservante.


Boas dicas de conservação

 

Para garantir que a merenda do seu filho fique bem conservada até a hora do recreio, use lancheiras e garrafas térmicas e coloque alguns gelinhos reutilizáveis junto ao lanche. Se possível, deixe a lancheira vazia na geladeira durante a noite.  Ela vai absorver a temperatura e manter o gelo e a qualidade dos alimentos por mais tempo. O mesmo vale para a garrafa de sucos.
Na hora de escolher os alimentos, lembre-se que os derivados do leite – como iogurtes, queijos e requeijão – são mais sensíveis às mudanças de temperatura e perdem a qualidade facilmente. Com os cuidados adequados, esses alimentos mantêm as características por duas horas. O mesmo tempo vale para os embutidos, como peito de peru e presunto. Pães e biscoitos, por exemplo,  têm maior validade, assim como queijos processados. E lembre-se bem de limpar a lancheira diariamente com um pano com água e álcool. Além disso, é recomendável que se lave a lancheira com detergente neutro pelo menos uma vez por semana.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here