Secretaria da Educação, Cultura e Esporte

0
785

708 - E4 - SEDUCE - Crédito SEDUCEPara celebrar o Dia Internacional da Mulher, a Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás (Aflag) promoveu um evento comemorativo na manhã da terça-feira, 10/3, em sua sede, no Setor Sul. A programação alusiva ao dia 8 de março teve como convidadas três personalidades de destaque do cenário educacional e cultural de Goiás. Cada uma delas, a seu tempo e de sua forma, contribuiu significativamente para mostrar a força, a capacidade e a coragem da mulher goiana.

Coordenado pela historiadora Lena Castello Branco, o encontro aconteceu no auditório Célia Coutinho Seixo de Brito e reuniu, em um painel expositivo, a professora Raquel Teixeira, secretária de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce); musicista Maria Lucy Veiga Teixeira, pianista e uma das fundadoras do Conservatório de Música da Universidade Federal de Goiás, hoje Instituto de Artes da UFG; e Dilair Faria Vasconcelos, uma das primeiras mulheres a se formar em Medicina no estado de Goiás.

Na abertura do evento, o estudante de Música da UFG, Daniel Ludovico, presenteou o público com um breve concerto erudito. Na plateia estavam, entre outras personalidades, o superintendente de Cultura da Seduce, Aguinaldo Coelho; Ana Braga, primeira mulher a conquistar uma cadeira na Câmara Municipal de Goiânia e presidente de honra da Aflag; Maria do Rosário Casimiro, ex-reitora da UFG e integrante do Conselho Estadual de Educação (CEE); Hélio de Brito Júnior, presidente da Associação Goiana de Imprensa (AGI); historiador Bento Fleury Curado; escritores Geraldo Coelho Vaz, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás (IHGG); e Hélio Moreira, representando a Academia Goiana de Letras (AGL).

A primeira convidada a falar foi a médica Dilair Faria Vasconcelos, que relatou sua trajetória pessoal e seu esforço para conquistar espaço em uma área tradicionalmente dominada pelos homens: a Medicina. Segundo ela, não foi fácil provar que era possível para uma mulher conciliar a casa, o marido, os filhos, estudar e trabalhar fora, especialmente em uma profissão que exigia muito do profissional, como a Medicina.

Maternidade

Segunda convidada do evento, a secretária Raquel Teixeira destacou o papel da mulher na sociedade e suas conquistas ao longo da história e ressaltou a versatilidade da figura feminina no século 21. “A mulher, por natureza, se pauta pela versatilidade; ela consegue administrar a casa, cuidar dos filhos, do marido, do pai e da mãe; e ainda encontra tempo para trabalhar, estudar e se aprimorar. E nós temos a felicidade de viver em um século que tem possibilitado essa flexibilidade de ações”.

Raquel lembrou ainda a importância da maternidade, do espaço conquistado no mercado de trabalho e do esforço da mulher na busca pela qualificação profissional. Frisou ainda que “ser mãe, além da função preservadora da espécie, tem um papel social importantíssimo” e por isso as mulheres precisam lutar e reivindicar pelo direito às creches e por um ensino público de qualidade para seus filhos.

Terceira e última palestrante, a pianista Maria Lucy Veiga Teixeira divertiu e encantou o público ao relatar fatos pitorescos de seu passado. Nascida na Cidade de Goiás em uma família de forte veia artística, a musicista goiana foi uma personalidade decisiva para a criação do Conservatório de Música da UFG e do coral da universidade, em Goiânia.

Grande amiga das pianistas Belkiss Spenciere e Tânia Cruz, pioneiras da música clássica em Goiás, Maria Lucy encerrou sua participação com uma emocionante fala: “As artes e a música trazem alegria às pessoas e nos aproximam mais de Deus”.

Correlata

Histórico

A Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás foi fundada em 9 de novembro de 1969 e ganhou sede própria na Rua 132-C, no Setor Sul, em 2005, quando foi batizada como Casa Rosarita Fleury, em homenagem a uma das grandes escritoras de Goiás.

A sede da Aflag possui diversos espaços que celebram e reconhecem o esforço das mulheres que contribuíram para o fortalecimento e consolidação das artes e da cultura em Goiás, como Neuza Morais, Maria Augusta Fleury Curado (Nita), Cora Coralina, Maria Paula Fleury Godoy, Nelly Alves de Almeida, Maria das Dores Ferreira Aquino e Aida Felix de Souza. Atualmente a Aflag é presidida por Maria Elizabeth Fleury Teixeira. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here