Novo ministro da Educação

0
509

O filósofo Renato Janine Ribeiro, professor aposentado da Universidade de São Paulo (USP), assumirá o comando do Ministério da Educação (MEC), no dia 6 de abril, segunda-feira. Renato ocupará a vaga deixada por Cid Gomes, depois que o então ministro acusou deputados de serem achacadores e oportunistas.

Já em sua primeira entrevista depois da indicação para a pasta da Educação, o filósofo lembrou que estudar tem se tornado uma obrigação e menos um prazer. “Acredito na educação como libertação. Saber não é uma transmissão de conteúdos, não é uma padronização. Penso que um dos pontos importantes é como a gente aproxima isso do mundo da cultura”, disse Renato Janine em entrevista ao programa Observatório da Imprensa, da TV Brasil.
O ministro explicou que o mundo da educação é muito regulado, porque há cursos, currículos, nota e diploma. Renato Janine deu como exemplo um conteúdo de ciências humanas como a questão dos escravos nos Estados Unidos. Para ele, em vez de o professor apenas usar uma lousa ou seu discurso para transmitir informações sobre esse assunto, acredita que os alunos devem assistir a um filme como “Lincoln”, numa tentativa de mesclar os mundos da educação e da cultura.
Atividades acadêmicas
O novo ministro da educação deu aulas por 20 anos na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP com ênfase em Ética e Filosofia Política. Janine é especialista na obra do filósofo inglês Thomas Hobbes, objeto de pesquisa do seu mestrado e doutorado.
Entre os cargos que ocupou está o de presidente da Comissão de Cooperação Internacional da USP (CCInt), entre 1991 e 1994. Foi membro do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) (1993-1997) e secretário e conselheiro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), entre 1997 e 1999. Também foi diretor de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes (2004 a 2008), quando dirigiu mais de 2.500 cursos de mestrado e doutorado do Brasil.
Janine Ribeiro é o quinto ministro da Educação desde o início do primeiro mandato de Dilma Rousseff, em janeiro de 2011. Antes dele, passaram pela pasta Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo; Aloizio Mercadante, hoje ministro da Casa Civil; José Henrique Paim; e Cid Gomes.


Publicações e prêmios

 

Renato Janine tem 18 livros editados, além de inúmeros ensaios e artigos em publicações científicas destacando a realidade brasileira. A Marca do Leviatã (1978) e Ao Leitor Sem Medo (1999) são os livros de maior destaque do educador. No primeiro livro, Janine apresenta a análise e discute a razão do pensamento hobbesiano. A obra descreve fragmentos da ambição do pensador inglês que sobrevivem até hoje na sociedade. No segundo trabalho, o autor faz um estudo rigoroso dos principais textos do filósofo inglês, Hobbes. O resultado não é somente uma visão complexa da obra deixada por ele, mas uma compreensão rica da própria vida política.
Em 2001, na categoria Melhor Ensaio e Biografia, Janine levou para casa o Prêmio Jabuti de Literatura com a obra A sociedade Contra o Social. Na livro, o filósofo faz uma espécie de viagem ao passado com alguns dos principais bordões utilizados no país. Estão presentes os ensaios sobre a figura de Ayrton Senna, do ex-presidente Fernando Collor, o Real, as novelas de TV, os políticos corruptos, entre outros assuntos. E assim, Renato Janine faz uma análise crítica do discurso dos brasileiros sobre o Brasil.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here