Raquel Teixeira explica convocação de OSs para a educação

0
550

A secretária de Estado de Educação, Cultura e Esporte, Raquel Teixeira, recebeu a imprensa em seu gabinete na tarde da terça-feira, 14 de abril, para explicar a convocação de Organizações Sociais (OSs) voltadas para a educação. Segundo a secretária, a ação tem como principal objetivo mapear as opções disponíveis, que serão discutidas em uma comissão criada para este fim.
A prioridade do governador Marconi Perillo é melhorar a qualidade do ensino público estadual. Para isso, está sendo feita uma pesquisa criteriosa sobre todas as opções. A Seduce conta, inclusive, com uma consultoria jurídica da Fundação Getúlio Vargas. “O Brasil inteiro, o mundo inteiro, procuram caminhos para melhorar a qualidade da educação e estamos buscando isso para Goiás”, disse a secretária.
Raquel Teixeira fez questão de esclarecer que não será feita qualquer alteração no sistema de gestão sem a realização de um estudo detalhado do tema. “Tenho um compromisso com a sociedade goiana de transparência total. Nenhuma mudança será feita se não for para melhor”, esclareceu a secretária. “O que aconteceu foi apenas uma chamada para detectar se há OSs voltadas para a educação no país e se elas são qualificadas”, completou.
Uma comissão formada por membros da Seduce, da Secretaria de Estado da Casa Civil  e da Controladoria Geral do Estado se reúne semanalmente para discutir sobre os modelos de gestão voltados para a área de educação que podem ser adotados pela rede estadual, sem datas pré-definidas. Durante conversa com os jornalistas, Raquel Teixeira disse que há alternativas em vista além das OSs. É o caso da Parceria Público-Privada (PPP), por exemplo, modelo que foi adotado por Belo Horizonte (MG).
Questionada se o projeto-piloto das OSs será implantado inicialmente em Águas Lindas de Goiás (GO), Raquel Teixeira explicou que não há nada definido, e que esta foi uma das hipóteses discutidas pela comissão por haver 37 escolas em construção no Entorno do Distrito Federal. “Assim como esta, várias outras opções são discutidas diariamente. Reitero: não há nada definido”.

Ideb
A secretária citou o destaque que Goiás teve no último ano, quando o ensino médio da rede estadual alcançou o 1º lugar no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb), com média 3,8. Para ela, é significativo que o Estado seja líder em qualidade na educação, “mas o interesse é avançar. Por isso estamos discutindo novas alternativas, e isso é válido porque queremos evoluir cada vez mais”.
Estiveram presentes na coletiva de imprensa, o superintendente executivo de Esporte e Lazer, Júnior Vieira, o superintendente de Acompanhamento dos Programas Institucionais, Ralph Rangel, e o superintendente de Inteligência Pedagógica e Formação, Guilherme Maranhão.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here