Tecnologia em Alimentos

0
479

Você é uma daquelas pessoas que adora comer, mas que detesta cozinhar, preferindo muito mais a praticidade da comida congelada ao “trabalhoso” arroz com feijão caseiro? Hoje em dia, além da praticidade, alimentos industrializados estão cada vez mais saborosos. Mas para possuir toda essa qualidade o produto passa por um longo processo de produção, e um dos principais responsáveis por esse sistema é o profissional formado em Tecnologia em Alimentos.

Para quem não sabe, a principal função do profissional graduado nessa área é acompanhar todo o processo de produção de um produto alimentício, desde o campo, passando pelas indústrias, até chegar aos locais de comercialização. Mas as competências desse profissional podem ser muito mais ampliadas, como no caso do Tecnólogo em Alimentos Erlisvan Alves, de 34 anos, que trabalha como Analista de Qualidade num grande laticínio.
“Nessa função sou responsável por verificar a qualidade e o sabor de tudo o que é recebido e produzido na fábrica. Desde o leite que chega das fazendas, até o requeijão, que é um produto mais complexo e que exige um maior cuidado nas análises”, esclarece Erlisvan.
Além de desenvolver um trabalho de fiscalização da qualidade, o profissional especialista em processamento de alimentos possui conhecimentos sobre plantio, colheita e técnicas de preservação após a colheita, também compreende técnicas para melhorar a criação e abate de animais, além de poder se especializar no desenvolvimento de embalagens e desenvolvimento de novos produtos.

Habilidades
Por ser um curso em que o objetivo é formar profissionais com conhecimentos tão amplos, também são exigidos alguns conhecimentos variados para quem pretende trabalhar com os tão práticos alimentos industrializados. Dentre as disciplinas que são estudas pelos futuros Tecnólogos, estão Química Orgânica, Microbiologia de Alimentos, Tecnologia de Carnes, Gestão do Agronegócio, Nutrição, e Desenvolvimento de Novos Produtos.
Mas para Erlisvan, as principais características que um Tecnólogo de Alimentos deve possuir são a curiosidade e a vontade de aprender, pois é uma área que está sempre em renovação, com novas  técnicas de conservação e produção surgindo a todo momento. “É necessário querer aprender, se não as aulas práticas e teóricas não adiantarão nada no mercado de trabalho”, afirma o tecnólogo.


Mercado

 

Com média salarial de R$ 1.600,00, o mercado para os especialistas no processamento de alimentos está a todo vapor, pois segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o aumento da renda do brasileiro fez crescer o número de consumo de alimentos em geral, mas especialmente os industrializados.
Além disso, por ser perito numa gama tão grande de conhecimentos, o Tenólogo de Alimentos tem em suas mãos um leque grande de opções para trabalhar, podendo atuar em indústrias de agronegócio (como frigoríficos e laticínios), empresas de armazenamento e distribuição de alimentos, instituições de pesquisa científica e tecnológica, laboratórios de controle de qualidade, instituições de inspeção sanitária e empresas do ramo alimentício, como restaurantes e padarias.


Onde encontrar

 

 

Instituto Federal Goiano (IFG)
Duração: 3 anos
Turno: Noturno
Valor: Gratuito  
Endereço eletrônico: www.ifgoiano.edu.br

Universidade Estadual de Goiás (UEG)
Duração: 3 anos
Turno: Noturno
Valor: Gratuito
Endereço eltrônico: www.ueg.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here