Agetop finaliza Workshop Rodoviário

0
532

Terminou nesta sexta-feira, 17, o 4º Workshop Rodoviário, promovido pela Agetop, que contou com a participação de 950 inscritos de três estados: Goiás, Tocantins e Mato Grosso, incluindo ainda o Distrito Federal, no Teatro Sesi, em Goiânia. O evento havia sido aberto na manhã da última quarta-feira, 15, e discutiu soluções tecnológicas, construtivas e de segurança para as rodovias estaduais.

Um dos destaques do evento foi a aplicação da tecnologia de misturas mornas nas rodovias no Brasil, que foi o tema da palestra que o químico Michael Plouff, gerente de Divulgação e Implantação de Novas Tecnologias Asfálticas, da MWV Specialty Chemicals, sediada nos Estados Unidos, proferida na quinta, 16.

A técnica do asfalto morno, desenvolvida por Michael, permite benefícios na construção de estradas ao longo da cadeia produtiva do asfalto. Segundo o químico “É uma tecnologia do futuro” que proporciona maior vida útil ao pavimento, pois sofre menos oxidação durante o processo de mistura.

Conforme constatado por distribuidoras e construtoras, na preparação da emulsão asfáltica, pode-se obter economias no consumo de combustível de até 30%, além de ganhos em produtividade nas usinas e na aplicação. O asfalto morno chegou recentemente ao Brasil, e já é utilizado em mais de 20 obras espalhadas pelo país. Em Goiás, a Agetop utilizou a tecnologia, de caráter experimental, em parte das obras de duplicação da GO-070, entre Itauçu e Itaberaí.

O governador Marconi Perillo, que fez a abertura do evento mencionando o momento decisivo vivido na atualidade. “Iniciamos este mandato em meio à uma grave crise econômica nacional, em pleno momento de redefinição do governo federal com relação ao financiamento voltado à infraestrutura rodoviária, entre outros pontos estratégicos para o desenvolvimento dos Estados”, disse.

Ele ainda ressaltou que o governo vem encontrando saídas criativas para melhorar a manutenção das rodovias. “Vivemos uma fase de escassez dos recursos voltados para a manutenção da nossa malha viária. Uma saída criativa encontrada pelo Governo de Goiás em 2011 foi a criação do Fundo de Transportes, que junto a outras operações de crédito permitiram a reconstrução de mais de 5 mil quilômetros de rodovias estaduais, antes deterioradas e que são fundamentais para o escoamento da produção de todo o Centro-Oeste Brasileiro”, pontuou o governador.

Marconi ainda explicou que se estivesse recebendo regularmente os recursos e os créditos pré-aprovados na gestão anterior, teria conseguido concluir as obras já iniciadas através do Programa Rodovida. “Precisamos aproveitar esse momento de discussão de novas tecnologias e avanços na questão da segurança viária, para também debatermos soluções para a escassez de financiamento para a malha viária durante todo este ano. Precisamos ter mais aporte de receitas fixas para atendermos às demandas”, ressaltou.

O governador lembrou que Goiás conta com recursos oriundos do Fundo dos Transportes. “Para 2015, o Estado conta com recursos do Fundo dos Transportes para realizar as obras de manutenção e conservação da malha viária totalmente duplicada nos últimos quatro anos. No entanto, precisamos encontrar outras soluções para darmos sequência nas obras já iniciadas e as já licitadas”, explicou.

Marconi Perillo relembrou que o governo já licitou mais de 2000 quilômetros de estradas em todo o Estado. “Hoje já reconstruímos mais de 5 mil quilômetros que necessitam das devidas manutenções. Também já temos licitados outros 2030 quilômetros, que serão executados ao longo deste mandato. Ao término de toda a nossa intervenção teremos recuperado 65% de toda a malha rodoviária do Estado, composta por 10 mil quilômetros de rodovias pavimentadas e outros 10 mil quilômetros de estradas não pavimentadas. Um trabalho significativo para todo o Estado e o setor produtivo que utiliza as rodovias para transportar mercadorias”, calculou Marconi.

Prioridades

Ao elencar as prioridades para os próximos quatro anos, o governador fez as seguintes observações: conferir prioridade imediata para a manutenção e conservação das rodovias duplicadas; possibilitar a reconstrução de oito a dez principais trechos que encontram-se deteriorados; concluir tudo o que já foi iniciado e licitado, e por fim, viabilizar novos projetos desde que tenham dotação orçamentária garantida até a sua conclusão, e seja entregue todo o projeto até o último dia deste ano.

“Só iremos nos empenhar naquilo que conseguiremos entregar ao término deste mandato. Portanto, até o final de dezembro, tenho que estar com todos os projetos aprovados e licitados para terem início e conclusão até 2018”, afirmou.

O presidente da Agetop, Jayme Rincón, disse que este é um momento que muito engrandece o corpo técnico estadual ao permitir a troca de experiências. “A Agetop tem realizado o maior volume de investimentos revertidos para a reconstrução e recuperação da malha viária na história do Estado. Hoje vemos um salto substancial na qualidade das estradas entregues, mesmo ainda tendo muitos desafios pela frente. Mas vamos enfrentá-los com as medidas tomadas nos anos anteriores, como a criação do Fundo de Transportes”, declarou.

Rincón frisou que o Estado conseguirá ter uma agenda positiva de inaugurações em 2015, com a conclusão de várias obras. “As obras civis do Hugo 2 estão concluídas, após 20 meses em construção. O Estádio Olímpico será entregue no segundo semestre, após a colocação da cobertura. Vamos entregar no primeiro semestre a duplicação até Bela Vista de Goiás totalmente iluminada. Quanto ao Centro de Convenções de Anápolis, por sua vez, acredito que no máximo em 60 dias estaremos com as obras retomadas, com cronograma para entregar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here