Um brinde ao botequim

0
650

Bar-do-Chicaâo-

Boteco. Um diminutivo de botequim que, por sua vez, deriva de botica, uma “pequena venda tosca onde servem bebidas, algum tira-gosto, fumo, cigarros, balas, alguns artigos de primeira necessidade, geralmente situado na periferia das cidades ou à beira de estradas”. Essa é a definição que traz o dicionário Houaiss. Os tradicionais estabelecimentos, que servem a gelada tão apreciada pelos brasileiros, são pontos de encontro para amigos e familiares.

No Bar do Chicão é assim. Cliente chega com a família, cumprimenta no balcão, pede a cerveja e um tira-gosto para acompanhar. É o que conta o proprietário Francisco de Assis, que dá nome ao próprio estabelecimento. O boteco foi herdado do pai, há muitos anos. Mas, hoje, muita coisa já mudou. “Quando eu abri aqui, ficava aberto até quase o dia amanhecer e, na hora de ir embora, todo mundo ficava devendo. Hoje, não tem nada disso mais”, lembra.BAR DO CHICÃO-COMIDA DE BUTECO-FOTO PAULO JOSE 6

Chicão conta que o pai ficou até emocionado quando viu como o lugar, que começou com três mesas, cresceu. Atualmente, Chicão administra o boteco junto com o filho, Ronaldo Viana. Mas, os planos já são de passar todo o cuidado para o herdeiro que, segundo ele, já mostra seu valor como administrador. De fato, quando a Tribuna chegou lá, Ronaldo andava para lá e para cá, subia, descia, martelava e perfurava. Tudo para acelerar a reforma.

Apesar do começo difícil, hoje o bar é o negócio da família e Chicão sonha que o espaço se perpetue ao longo das futuras gerações. Planos não faltam para o filho, já que o pai pretende loguinho sair de férias com a patroa e deixar o boteco a cargo do rapaz. “Chegou a hora de eu dar uma descansadinha. Viajar com a patroa e comer um pouquinho do que eu ganhei”, ri. A relação entre pai e filho na administração do negócio é muito importante para eles.

No Bar do Dodô, a história é bem parecida. O boteco que existe há 48 anos é ponto certo para os botequeiros de Goiânia. Fundado pelo senhor Eudóxio Miguel, cujo apelido carinhoso serviu como nome para o botequim. Hoje, o estabelecimento é administrado pelo filho, José Alfredo, que herdou o apelido do pai, e sua esposa Rosana Miguel, uma vez que há cerca de um ano o sêo Dodô faleceu.

“Foi uma grande perda pra gente. Ele morreu com quase 89 anos”, conta a nora Rosana. O bar já passou por várias reformas desde sua fundação. “No início era um armazém, onde funcionava também o bar”, comenta. Com a inauguração de supermercados na região, pai e filho decidiram permanecer apenas com o boteco, que se tornou tradicional em Goiânia. “É um bar que acolhe a família. As pessoas vêm e fazem novas amizades. É um bar familiar”, assegura.

Em outro ponto da cidade, outra família também toca um negócio que começou em 1978 entre dois irmãos. O Bar do Piry é hoje administrado por pai e filho, que estreitam as relações no dia a dia do boteco, compartilhando ideias, entrando em desacordo, às vezes, mas convivendo em harmonia. “Por um lado é ruim, porque perde um pouco do convívio famílias. Se a família está bem, o negócio vai bem, também”, segreda o filho, Danillo Ramos Mendes.

Inspiração

É nesse ínterim que o Comida di Buteco surgia há 16 anos, em Belo Horizonte. Com o intuito de valorizar as raízes dessa cultura tão disseminada no país, o projeto começou pequeno com a participação de apenas 10 bares, mas agora 20 cidades de todo o Brasil já sediam regionais do evento, totalizando 476 botecos. De acordo com Cybelle Bretas, sócia do concurso em Goiânia, a expectativa é que cinco milhões de pessoas participem do evento nacionalmente.

Em Goiânia, são 30 botecos tradicionais da cidade, que trazem novidades em tira-gostos para a clientela botequeira. Em 2015, o tema dos tira-gostos é “Frutas”. A empresária explica que a temática é decidida em conjunto pela equipe. “Todos os anos, nossa equipe se reúne e cada um apresenta uma proposta. Além disso, consideramos também as sugestões do público e realizamos estudos técnicos sobre a aceitação do ingrediente sugerido”, comenta.

“O que vale é a criatividade de cada proprietário. As frutas podem ser usadas até mesmo para decoração do prato, desde que sejam comestíveis”, observa. Chicão escolheu o pequi, para compor um petisco bem elaborado e que, de acordo com ele, já está fazendo a cabeça da clientela. “Esse ano é a Versão Brasileira. Aipim recheado com queijo, catupiry, carne e pequi. E tá vendendo bem, tá ótimo”, afirma.

No Bar do Piry, os clientes também já estão familiarizados com o novo integrante do cardápio, a Lambida com Porco. “O tema desse ano é fruta. Daí, a gente fez testes com várias frutas e eu tentei aliar um prato que tenha cara de petiscos e com a cara do bar, e a carne de porco casa muito bem com abacaxi”, explica Danillo Mendes. Para o empresário, o concurso serve também como incentivo. “Dentro da nossa equipe, incentiva todo mundo”, expõe.

No Bar do Dodô, também foi o abacaxi quem ganhou o espaço na receita do bolinho de chuchu. “É um bolinho de chuchu, recheado com frango e um creme de abacaxi. O chuchu é uma coisa muito sem graça, geralmente, mas o nosso bolinho ficou muito saboroso. O bom é que todos ficam curiosos para experimentar o tira-gosto”, comemora Rosana Miguel. “Esse evento faz com que a gente inove, porque temos que procurar ser o mais criativos possível”.

O movimento já cresceu nos três estabelecimentos, mas para sair na frente, é preciso acumular votos. “Nesta edição, a meta é alcançar 500 mil votos ao todo”, explica Cybelle Bretas, sócia do Comida di Buteco em Goiânia. De acordo com ela, cada bar deve ter, pelo menos 200 votos, para que tenha sua participação validada no concurso. A avaliação do público equivale à metade da nota. A outra metade fica por conta dos jurados que se transfiguram em clientes ocultos e analisam atendimento, temperatura da bebida, higiene do local e o tira-gosto.

Trajetória

O Comida di Buteco já virou tradição em todo o território nacional. São 16 anos de história em 20 cidades brasileiras. Tudo começou no final de 1999, quando Eduardo Maya, produtor do Momento Gourmet, da extinta Rádio Gerais, propôs ao dono da emissora a criação de um evento que valorizasse a cozinha de raiz e os botecos da capital mineira. A ideia foi aprovada e, com apoio financeiro e midiático da rádio, o Comida de Buteco nasceu. A primeira edição foi realizada no ano 2000, com a participação de dez botecos.

Em 2005, com a extinção da Rádio Gerais, o projeto tornou-se uma empresa. Sob o nome Comida di Buteco Produções Gastronômicas LTDA, o evento já era o maior deste gênero no Brasil. De acordo com Cybelle Bretas, organizadora do concurso em Goiânia, a ideia de expansão do projeto surgiu em 2008. “Foram escolhidas três novas praças para sua realização, sendo Goiânia uma delas. Essas cidades foram escolhidas por terem, também, essa cultura do boteco e possuírem o perfil de estabelecimento que buscamos no concurso”, explica.

A expansão continuou e mais 12 cidades foram incluídas no circuito do evento, dentre elas Belém, Manaus, Fortaleza, Ribeirão Preto, Uberlândia e São Paulo. Mas, de acordo com Cybelle Bretas, a expansão não para por aí. Cidades de outros quatro estados passam a integrar a lista do evento, consolidando a presença do projeto nas cinco regiões brasileiras, totalizando vinte cidades em todo o território nacional. Umas das cidades contempladas com a realização é a capital federal, Brasília.


Onde você vai hoje?

Este ano, 30 estabelecimentos participam do concurso, cujo tema tem como objetivo homenagear as frutas. Conheça os botecos, o cardápio e faça sua programação.

ALAMEDA 4

“Carretel dos Sonhos” – Carretéis de massa assada na frigideira, recheados com frango pêssego, pernil suíno com pedaços de abacaxi e calabresa, ao molho de maracujá.

Endereço: Alameda Das Rosas Nº647 Qd 62 Lt 47/52 – St. Oeste

ANTIGO ARMAZÉM

“Cartola” – Bolinho de bacalhau empanado com recheio de banana passa e especiarias da casa.

Endereço: Rua 24, Nº454, Qd 78, Lt 66 – Centro

ASSIM ASSADO

“Quase Indiano” – Tiras de carne bovina refogadas com banana e maçã, temperadas com alho e curry, acompanhadas de pão tipo sírio ou árabe cortada em triângulos.

Endereço: Rua 84, Nº165, Qd F15, Lt 15 – St. Sul

BAR DA ELAINE

“Paçoca de Baru” – Deliciosa paçoca de baru e carne de sol acompanhada de mandioquinha temperada.

Endereço: Alameda P2, nº 197, Qd. P-111A, Lt. 45 – St. dos Funcionários

BAR DO CHICÃO

“Versão Brasileira” – Bolinhos de aipim com frango e pequi, recheados com carne, queijo e catupiry. Acompanha molho de abacaxi picante.

Endereço: Rua Formosa, n. 632, Qd.D, Lt. 3, nº 632 – Bairro Industrial Moca

BAR DO DODÔ

“Bom pra Chuchu” – Bolinho de chuchu recheado com muçarela, molho de abacaxi e cream cheese.

Endereço: Rua Horizonte, QD. B, Lote 8, Nº 160 – Aeroviário

BAR DO GAÚCHO

“Tudo Junto e Misturado” – Discos de carne recheados com calabresa e bacon. Acompanha molho de morango picante.

Endereço: Rua 104, nº. 219, Qd. F22, Lt. 31 – St. Sul

BAR DO PIRY

“Lambida com porco” – Bolinhas de língua bovina e de pernil suíno, temperadas e com um toque de bacon. No recheio, geleia de abacaxi com pimenta. Para acompanhar, molho à base de língua, levemente agridoce.

Endereço: Av C-01, Qd 39, Lt 04, Nº 510 – Jd. América

BAR DU MARCELO

“Porquinho Maluco” – Almôndegas Suínas temperadas à moda da casa, servidas com chuteney de abacaxi picante.

Endereço: Avenida Central, Qd.O, Lt.23 – St. Castelo Branco

BAR E LANCHONETE PONTO 18

“Mistura Fina” – Casquinhas recheadas com carne desfiada, uva passa, pimentões e azeitona conservada no azeite, servidas com abacaxi e conserva de jiló caseira.

Endereço: Rua 21, nº 133, Qd. 40, Lt.15 – Centro

BAR JEOVÁ DAS MOÇAS

“Rico Embriagado” – Coxas de frango recheadas, regadas com vinho tinto, conhaque, cerveja e molho de peras.

Endereço: Rua 4, Qd. 03, Lt 12, nº57 – St. Morais

CARANHA NA BRASA BAR E RESTAURANTE

“Quarteto Aquático” – Filé de caranha sem espinha assada na brasa, costelinha de caranha, file de tilápia e filé de arraia. Servidos com creme de pequi picante.

Endereço: Avenida R11, Quadra R30, Lote 11, nº 57 – St. Oeste

CHURRASQUINHO DO DEDÉ

“Carninha na Vara” – Espetinho de kafta bovina recheada com queijo, servido com farofinha de mandioca com baru.

Endereço: Rua Dona Maria Joana, 171, Qd. F14, Lt. 14 – St. Sul

CLONE BEER

“Ninho de Jacaré” – Disco de jacaré, bolinho de jacaré e costelinha de jacaré, acompanhados por molho de abacaxi.

Endereço: Av. Barão do Rio Branco, Qd. 47, Lt.01, 699 – Jd. Vila Boa

CONVERSA DE BOTECO

“Combinado Carioca” – Bolinho com suave toque de camarão na massa, recheado com muçarela, acompanhado de saladinha de folhas e conversa a base de kiwi.

Endereço: Rua 143, Qd. Área, Lt. 01B – Marista

COSTELA E CIA

“Boi Garantido” – Costela de boi recheada, assada ao bafo com filé de frango, bacon, linguiça, provolone e temperos. Servida com rodelas de abacaxi assado com canela.

Endereço: Rua C 208, esq. Com C 217, 319 – Jd. América

DEL LEST BAR E CONVENIÊNCIA

“Quarteto do Lest” – Iscas de pernil, contra filé, filé de peixe e filé de frango empanados, servido com molho de tamarindo e molho tártaro.

Endereço: Avenida Industrial, nº 389 – Leste Vila Nova

DI MATOS PETISCARIA

“Linguiça Afogada” – Linguiça toscana empanada, acompanhada por molho picante de frutas com mel e molho de requeijão cremoso, vinho branco e nos moscada.

Endereço: Avenida Maurício Gomes Ribeiro, S/nº, Quadra 20, Lote 23 – Novo Horizonte

EMPÓRIO MONTE LÍBANO

“Mokabalat” – Carne com especiarias árabes, enrolada no pão sírio com tomate, molho de gergelim, hortelã e picles de pepino assado na grelha.

Endereço: Av. Pires Fernandes, Nº 151 – St. Aeroporto

JAJÁ DRINKS

“Explosão de Delícias” – Quinteto delicioso composto de quibe recheado com catupiry, bolinho de bacalhau, filé de peixe e frango empanado. Acompanha molho verde de alho e kiwi.

Endereço: Mercado Popular, Rua 74, nº 329 – Centro

LIMAS BAR

“Tilápia de Boteco” – Fié de tilápia ao alho e sal empanada em farinha especial, servido com abacaxi e patê de pequi.

Endereço: Rua Minas Gerais, Qd. 50, Lt. 15 – Urias Magalhães

MAIS BEER GRILL E CERVEJARIA

“Pastelzinho Goiano” – Pastelzinho recheado com frango e guariroba, acompanhado de molho de alho com pequi.

Endereço: Av. Lisboa, esq. Com Rua Malaga, Qd. 183, Lt.29 – Jd. Europa

MATUTO BAR

“Carmem Miranda” – Bobó de camarão à moda baiana com abacaxi e temperos da casa.

Endereço: Rua 242, N°190 – Universitário

MR. ESPETO

“Ninho de Mafagafos” – Cestas de carne recheadas com creme de mandioca, catupiry e ovos de codorna; servidas com banana enrolada em bacon.

Endereço: Av. Professor Venerando de Freitas, 1405, Qd. 36, Lt.04 – Jaó

RECANTO DO CHOPP

“Só a Pepita” – Kafta redonda feita de carne de sol, recheada com 03 queijos, assada na brasa. Acompanha mandioca, abacaxi e paçoca.

Endereço: Av. Ceará, 470, lt. 08, Qd. 120 – Campinas

TAPEREBÁ

Petisco: “Surpresinha Taperebá” – Concha de batatas recheadas com carne de sol, filé de saint peter, pimenta dedo de moça, cebola, pimentão, muçarela, e taperebá desidratado.

Endereço: Rua C-257, Qd. 585, Lt. 15 – Nova Suíça

THE DARK SIDE ROCK BAR

Petisco: “Piqui’n Roll” – Bolinho de galinhada recheado com frango, queijo, muçarella e pequi. Acompanha Lemon Sauce.

Endereço: Praça C114, Qd 332, Lt 04 – Jd. América

VAI TOMAR NO KUKA BAR

Petisco: “Banana Mole do Kuka” – Guacamole de banana com bacon, gengibre e curry, servido com compota ardente de cebola roxa e tiras crocantes de massa de pastel.

Endereço: Rua C-130, Qd. 32, Lt. 10, Salas 4 e 5, nº 18 – Jd. América

WOODSTOCK BAR

Petisco: “Coxa Loca” – Iscas de coxa de frango flambadas com banana e pimentas dedo de moça, com sutil toque de mel Jataí.

Endereço: Av. Assis Chateubriand, nº1649, Qd.30, Lt.15 – St. Oeste

ZITO´S BAR PIZZARIA

Petisco: “Rapo Fundo” – Picanha, linguiça, lombo e frango empanado servidos na casca do abacaxi com guariroba, shoyo, creme de leite e queijo.

Endereço: Rua Sapucaí, Qd. 60, Lt. 11 – Vila Brasília

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here