Pele saudável

0
438

É sabido que o uso de protetor solar ajuda a prevenir o envelhecimento precoce, alergias e até mesmo o câncer de pele. Afinal, são muitas as campanhas e orientações de profissionais da saúde sobre a importância desse tipo de proteção. No entanto, grande parte das pessoas que utilizam o filtro solar ainda não sabe usar corretamente o produto. Foi essa a constatação de um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), que foi conduzido pelo dermatologista Sérgio Schalka.

Segundo o especialista, por meio do seu estudo foi possível comprovar que, mais do que se preocupar com o valor do fator de proteção solar (FPS) informado no rótulo dos protetores solares, os usuários também devem estar atentos à quantidade que é aplicada no corpo, pois esse é o fator de maior impacto em termos de proteção contra a radiação solar.
A partir do  estudo foi possível comprovar que a aplicação de quantidades insuficientes do produto pode reduzir em até menos da metade a eficácia da proteção, por isso é bom muita atenção na hora de espalhar o creme. Nesse caso a dica é que o filtro solar seja aplicado sobre a pele na quantia de 2 mg/cm² em média. O que significa pouco mais de meia colher de chá para a área do rosto, pescoço e braços.
Já para o tronco, costas e pernas, o aconselhado é cerca de uma colher e meia de chá. A partir desses valores, de acordo com o estudo, a eficácia do produto será maior.O dermatologista ressalta ainda que a utilização do protetor solar não deve servir como uma justificativa para a exposição exagerada ao sol, porque seu papel é amenizar os malefícios causados pelos raios UVA e UVB, mas ele não consegue bloqueá-los completamente.
Para uma proteção mais eficiente, além de passar a quantidade adequada do protetor solar, especialistas aconselham a reaplicação do produto a cada duas horas caso exista a exposição ao sol.

Autoexame
Outro aspecto importante na hora de cuidar da pele é observar a ocorrência do aparecimento de sinais que podem indicar a presença de câncer de pele, a exemplo de manchas no corpo que ardem, coçam, escamam e até sangram; mudança na textura ou dor na pele; pintas ou sinais que mudam de cor, forma e tamanho; e também feridas que demoram para cicatrizar.  Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), 25% dos tumores malignos registrados no Brasil são de pele. Mais comum entre pessoas com idade acima de 40 anos, a patologia apresenta altos índices de cura, desde que detectado precocemente.


Devagar com a mastigação

 

Mastigar bem os alimentos ajuda na digestão e a sentir melhor o gosto da comida, mas não é só isso, pois cientistas gregos desenvolveram um estudo em que afirmam cientificamente que comer devagar ajuda a pessoa a não engordar. Isto porque, segundo um dos responsáveis pelo trabalho, quando se come lentamente há um tempo maior para a proliferação dos hormônios da saciedade no organismo. Ao contrário disso, quando as refeições são realizadas rapidamente a saciedade custa mais tempo para ocorrer em função de uma demora do cérebro em processar esse tipo de hormônio. Com isso, a pessoa demora para se sentir “satisfeita” e as chances continuar comendo acabam sendo bem maiores.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here