CDE/FCO aprova R$ 177 milhões em financiamentos

0
485

O vice-governador e secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), José Eliton, presidiu, na última quinta-feira, 23, a 276ª Reunião Ordinária do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), quando foram aprovadas 188 cartas-consultas que totalizam cerca de R$ 177 milhões em financiamentos para empresários e produtores e que irão garantir a geração de 1.130 novos empregos diretos.

As cartas-consultas referem-se ao FCO Empresarial (53, ao todo) e ao FCO Rural (135) e englobam setores de logística, frigoríficos, confecções de roupas e calçados e obras de construção civil, além de aquisição de máquinas e equipamentos, de veículos para transporte, e de adubos, implementos, matrizes e aves, e a formação de pastagens. José Eliton ressaltou a importância do Fundo Constitucional para o desenvolvimento do Estado, em todas as esferas produtivas, fomentando novos empregos e novos investidores.

A secretária de Estado da Fazenda, Ana Carla Abrão Costa, participou da reunião presidida pelo vice-governador, assim como o secretário-executivo do CDE/FCO, Orcino Júnior; os superintendentes executivos da SED, Victor Hugo (Indústria), Antônio Flávio (Agricultura), William O’Dwyer (Comércio Exterior), Danilo de Freitas (Desenvolvimento Regional) e Mauro Faiad (Ciência e Tecnologia); e os demais conselheiros. “Este Governo faz um trabalho sério; é um exemplo a ser seguido”, disse ela.

Questionamento

Nesta reunião, o Conselho também deliberou sobre questionamento feito ao Banco do Brasil, agente financiador que esteve representado pelo superintendente Giovanni Chaves, sobre a possível não liberação de recursos vinculados ao FCO Empresarial nestes primeiros meses de 2015, fato que o representante da instituição atribuiu a suposto problema operacional do Banco do Brasil. “Tradicionalmente, nesta data, o FCO já costuma ter altas demandas”, completou. “Preocupamo-nos com esta questão, pois o setor empresarial é de suma importância para nossa economia; os empresários são parceiros do Estado”, disse o vice-governador e titular da SED. O assunto voltará à pauta na próxima reunião do Fundo Constitucional de Financiamento.

Mais uma vez, o FCO registrou os melhores resultados de demandas relacionadas ao agronegócio, “contrastando com a situação de crise à volta”, disse Giovanni Chaves. Ele ainda ponderou que embora o cenário seja de recessão no País, o setor do agronegócio, em Goiás, tem buscado investir na redução de custos, em mais tecnologia e no aumento de competitividade de seus empreendimentos, usando, em seguida, a título de ilustração, a positiva movimentação na feira Tecnoshow em Rio Verde, em que o FCO esteve presente e realizou “bons negócios” e “superou todas as expectativas”.

Â

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here