Engenharia de Controle e Automação

0
591

Lá em 1936, o cineasta Charles Chaplin levou às telonas o filme ‘Tempos Modernos’ que retratava a chegada das máquinas ao mercado de trabalho, especialmente no setor industrial. Considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, o longa de Chaplin, ainda naquela época, parece ter conquistado a incrível façanha de prever o futuro e traduzir o atual momento da sociedade, que cada vez mais consome produtos industrializados.

A demanda por novos produtos e a industrialização, favoreceu o desaparecimento, mas também o surgimento de outras profissões no mercado de trabalho. É o caso tecnólogo em Engenharia de Controle e Automação, uma das carreiras em alta no Brasil, responsável por projetar, gerenciar e operar equipamentos utilizados nos processos produtivos das indústrias em geral.
O professor e coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação, do Instituto Federal de Goiás (IFG), em Goiânia, Ézio Fernandes da Silva, explica que o engenheiro de controle e automação, em resumo, “transforma atividades que antes eram realizadas de maneira manual em atividades automatizadas por meio de equipamentos e robôs.” Ou seja, o profissional ajuda a atender a demanda de consumo dos produtos industrializados, a criar e desenvolver novos produtos para um consumidor cada vez mais é exigente.
Mercado em Goiás
O mercado de trabalho para esse tecnólogo é favorável, principalmente no setor de petróleo e gás, manufatura, mineração, metalúrgica e ainda nas empresas portuárias. Com o crescimento industrial no setor de mineração, fármacos e ainda na construção civil no Estado de Goiás, cresce, cada vez mais, a demanda pelo Engenheiro de Controle e Automação que pode chegar a receber um salário inicial de até R$ 4.344,00 mensais.
A área de atuação desse engenheiro também é extensa, pois ele é habilitado para desempenhar tarefas em setores como na automação comercial, industrial e também no ramo da informática. No comércio, ele pode atuar em projetos de sistema de ar-condicionado, elevadores e eletrodoméstico. Na industria, por exemplo, o profissional pode desenvolver e implantar máquinas e robôs. Já na informática, o tecnólogo pode atuar no desenvolvimento de sistemas com banco de dados e sistemas de informação para trabalhar em conjunto aos equipamentos de controle e automação.
Segundo o professor Ézio, o profissional formado em controle e automação possui uma grande área de atuação no Brasil e também em Goiás. “O Centro-Oeste está se destacando no setor. Principalmente devido ao crescimento constante da construção civil, a estimativa é que só aumente as possibilidades de atuação do profissional, avalia o coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação do IFG.


Curso

 

O curso de Engenharia de Controle e Automação tem a duração média de cinco anos. Entre as matérias estudadas durante o dez períodos do curso, estão física, química, informática, computação, mecânica e eletrônica. Em laboratório, o aluno tem a oportunidade de aprende a desenvolver e a operar máquinas eletrônicas. Segundo o professor Ézio Fernandes da Silva,  a principal característica cobrada no mercado é que “o profissional deve ser dotado de capacidade de comunicação para liderança de equipes, pois a sua atuação vai além de projetista e/ou usuário das novas tecnologias”, acrescenta.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here