Aventura noturna no zoológico

0
795

Surpresas, suspense, curiosidade, aprendizado, novos conhecimentos e contato com a natureza são exemplos de conquistas, sentimentos e sensações que os alunos da Edu­cação de Adolescentes, Jovens e A­dul­tos (Eaja), da Secretaria Mu­nicipal de Educação (SME) descrevem ao participar das trilhas pedagógicas, promovidas por meio do projeto Zoo Noturno, no Zoo Gyn.
A visitação ao zoológico de Goiânia seria comum, se não fosse feita a noite, e ainda, com uma trilha pelo parque. Por esta razão, tudo se transforma em uma aventura especial. A ação é idealizada pela parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (SME) e Agência Munici­pal do Meio Ambiente (AMMA).
As atividades são realizadas pelo Núcleo de Educação Ambiental (NEA) e contam com a colaboração e orientação de professores do mu­nicípio. De acordo com o diretor do Departamento Pedagógico, Mar­cos Pedro da Silva, “a proposta bus­ca agregar valores socioambientais de forma integral e participativa, aonde os alunos entendem a in­fluên­cia e a importância da sociedade na preservação ambiental”, afirma.
Além de ser um passeio, a participação no projeto possibilita o contato próximo e a visualização de animais do bioma cerrado como a jaguatirica, onça pintada, tamanduá bandeira, veado catingueiro, coruja orelhuda e lobo guará. “É uma ação importante, pois além de contemplar assuntos como a biologia, a importância ecológica dos animais de hábito noturno e crepuscular do parque, também destaca o papel fundamental dos seres humanos para a conservação dessas espécies”, ressalta Ronyson Camilo Soares, chefe da Divisão de Estudos e Projetos da SME.
As visitas dos grupos de cerca de 50 alunos são pré-agendadas conforme solicitação das unidades educacionais. Na última semana, os alunos da Escola Municipal Amâncio Seixo de Brito, localizada no setor Jardim Balneário Meia Ponte, participaram do projeto. O aluno Renato de Souza Araújo, 16 anos, contou que não conhecia o zoológico e aprovou o passeio pedagógico: “Achei muito legal! Eu nunca tive a oportunidade de vir, pois trabalho o dia todo, então vir com a escola foi muito bom”.
A aluna Denise Machado, 50 anos, também gostou de sair da rotina e ter uma aula diferente. “Passeio muito bom! Foi lucrativo, vimos como os animais vivem aqui.

Foi uma novidade para mim. Eu agradeço pela oportunidade de vir com os a­lunos da Eaja, o projeto é ótimo e a or­ganização está de parabéns. Que outros alunos também possam vir vi­ver essa experiência ótima”, ressaltou.
Éder Porfilho, professor de Ciên­cias na escola, foi quem agendou a visita. Ele concordou com os alunos: “Foi ótimo! Achei interessante, pois oportunizou aos alunos verificarem a diversidade. Eles ficaram encantados, a atividade foi proveitosa e prazerosa, certamente enriquecerá, e muito, o aprendizado de todos”.

Aprendizado in loco
Antes do início das trilhas pelo parque, o grupo de alunos passa por um momento de orientação com as educadoras do projeto. “Os educandos recebem informações sobre a atividade, de como ela será desenvolvida no decorrer da trilha, bem como passam a conhecer melhor os objetivos do projeto e os hábitos noturnos dos animais. Temas como preservação ambiental, lixo, extinção das espécies do cerrado e outros tão im­portantes quanto esses na Edu­cação Ambiental”, disse a apoio pedagógico da Divisão de Estudos e Projetos (Diep) da SME, Alesandra de Paula.


De olho nos resíduos sólidos

Â

Também, em parceria com a AMMA e o Zoo Gyn, a SME está desenvolvendo e expondo, neste mês de maio, o projeto “Resí­duos: Manejo Correto e Qualidade de Vida”. Nesta ação, os alunos do Ensino Fundamental visitam o parque zoológico da Capital e o tema principal abordado com eles é o reaproveitamento de resíduos sólidos e o quanto atitudes conscientes são importantes para a preservação do meio ambiente.
Com cartazes explicativos, as educadoras ambientais ressaltam o que é certo e o que é errado no descarte do lixo. Os alunos saem de lá com tudo na ponta da língua após participarem de oficinas pedagógicas.
O chefe da Diep, Ronyson Camilo, explica que além do aprendizado, as escolas participam de uma campanha: “As escolas entregam garrafas pets e levam um caderno de receitas elaborado especialmente com dicas de reaproveitamento de alimentos integrais e um guia para a compostagem doméstica”. (Lívia Máximo)

Â

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here