Viagem à Rússia rende R$ 1,1 bilhão

0
450

 

slidesDelegação comercial goiana que visita três países do Leste Europeu, chefiada pelo vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico (SED), José Eliton, em Moscou, formalizou acordo básico sobre coope­ração científica e tecnológica. A linha de crédito principal para a Saneago, no valor de R$ 1 bilhão, será disponibilizada a partir da análise de cada projeto. No curto prazo, serão liberados US$ 60 milhões destinados à implantação, em dois anos, do projeto piloto.

Outro ato firmado viabiliza a instalação de uma indústria de montagem de tubulações, plásticos especiais e produtos inovadores de água e esgoto, com investimentos de US$ 10 milhões. O acordo para pesquisas técnicas, científicas e tecnológicas foi estabelecido entre a Sa­neago e a LLC BS&S, socieda­de russa de responsabilidade limitada.

A reunião de negócios entre o Governo de Goiás e as insti­tui­ções locais foi realizada na manhã desta terça-feira, dia 23, na sede do Grupo Aton, em Moscou. Estavam presentes o presidente do Conselho Empre­sarial Rússia-Brasil e vice-presidente do Vnesheco­nombank, Serguey Vassiliev; diretor da Aton, Andre Tikho­mirov; diretor geral da LLC BS&S, Vadim Kolomiets; vice-chefe do Departamento dos EUA e América Latina do Ins­ti­tu­to Russo de Estudos Estraté­gi­cos, Dmitry Burykh; empre­sá­rios e representantes da comunidade científica local. Pela parte brasileira, o acordo foi assinado pelo vice-governador José Eliton, diretor de gestão corporativa da Saneago, Rob­son Salazar, e presidente da BS&S Brasil, João Salles Medeiros.

O acordo básico de cooperação técnica, tecnológica e econômica para desenvolvimento de projetos, inovação, eficiência e pesquisas prevê investi­men­tos em Goiás nos setores de tecnologia em sistemas de sa­neamento, redução de perdas, aumento da eficiência operacional no abastecimento, tratamento de esgoto, geração de energia e intercâmbio acadêmico com as maiores instituições de pesquisa da Federação da Rússia.

O vice-governador destacou o papel das missões periódicas empreendidas pelo Governo do Estado, iniciativa privada e entidades representativas do setor produtivo como um estágio “altamente promissor” para os goi­anos. O diretor da Aton, Andre Tikhomirov, em sua intervenção, usou o mesmo tom das intenções de Goiás e abriu novos canais e perspectivas: “Não nos despedimos ainda”, disse ele.

Tecnoparque

Ainda em Moscou, a missão empresarial e governamental conheceu a experiência da Fundação Skolkovo, o maior parque tecnológico em cons­trução na Rússia. O parque tecnológico russo fica a 15 quilô­metros de Moscou, em uma área de 400 hectares, que terá ao todo 2,5 milhões de me­tros quadrados construídos. No complexo, previsto para ficar pronto em 2020, funcionará uma cidade tecnológica, com universidade, laboratórios, incubadoras de empresas, startups, além de conjuntos habitacionais, escolas, centros comerciais, de medicina e de recrea­ção. A previsão é que Skolkovo seja moradia para 25 mil pessoas e local de trabalho, estudo e pesquisa para outras 30 mil.

“Queremos agregar conceitos para proporcionar maior eficiência ao processo econômico”, declarou o vice-governador José Eliton ao se declarar impressionado com o conjunto de fatores que colocam Skol­kovo em primeiro lugar dentre todos os tecnoparques do mundo. Ele informou aos dirigentes locais que pretende estabelecer agenda de contatos entre organismos de Goiás que lidam diretamente com conhecimento e os cientistas da fundação russa. Defendeu intercâmbio que englobe a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Universidade Estadual de Goiás (UEG), Emater, gestores de ciência, tecnologia e inovação, indústria e comércio da SED.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here