TV e internet livres!

0
721

E6 e E7 01Imagina ter pontos de internet banda larga à disposição de alunos e professores em áreas como biblioteca, laboratórios de informática e sala de vídeo de escolas públicas. A partir de agosto, essa realidade estará presente em cerca de 190 unidades educacionais, entre escolas e centros municipais de Educação Infantil (Cmei) da Capital.
Na última semana de junho, dia 26, o prefeito de Goiânia, Paulo Gar­cia, e a Secretária de Educação e Es­porte, Neyde Aparecida, assinaram Ter­mo de Cooperação Técnica e Ter­mo de Doação de Serviços de internet e TV com a empresa de teleco­mu­ni­cações brasileira NET e Instituto Crescer, no Paço Municipal.
A iniciativa integra o Projeto Educonex@ção, que além da instalação de pontos de Internet banda larga e TV a cabo nas instituições, vai beneficiar educadores com o curso de formação voltado à utilização de tecnologias digitais em práticas pedagógicas. Cerca de 60 professores participam do curso “Educonexão: novas tecnologias e novos recursos para uma nova Educação”, que teve início no dia 26 de junho, junto com a parceria.
A secretária Neyde Aparecida acredita que, na era da comunicação, não nos é permitido liderar as crianças apenas com quadro e giz. “Trata-se de um marco. Nossa contrapartida será apenas ser responsável pelo equipamento. É uma satisfação firmar o convênio com a em­presa e levar internet e TV a cabo aos nossos alunos”, explica a Secretária.
Já na opinião do prefeito Paulo Garcia, a proposta demonstra o compromisso social da empresa. “É um convênio salutar, não só sob o ponto de vista da inclusão digital, como também da formação continuada dos educadores, de forma presencial e à distância, com ampliação da capacidade de utilizar as mídias nas unidades educacionais”, salienta Paulo Garcia.
Fabrício Maciel, gerente de Operações da NET, afirma que o projeto contribui para a inclusão social. “O Educonex@o é voltado à preparação de professores da rede pública municipal de ensino, para utilizarem tecnologias digitais nos processos de ensino. Acreditamos que o mundo pode ser melhor e por isso estamos no quinto ano da iniciativa, que já capacitou 500 professores e atingiu mais de dez mil alunos”, ressalta.

Conexão acessível
Projeto embasado nos 4 pilares da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unes­co), o Educonex@o tem como objetivo propiciar maior interesse dos alunos e contribuir com a melhoria da educação no país. O programa atua em oito estados, desde 2011. São eles: Espiríto Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Ama­zonas, Santa Catarina, Bahia, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.
A novidade agradou a diretora da Escola Municipal São José, Nívia Custódio de Sá. “Esse tipo de iniciativa é de extrema importância, porque as crianças muitas vezes têm acesso a essas tecnologias fora da escola. A instituição oferecendo de forma acessível vai possibilitar que as aulas tornem-se tão atrativas como as casas e os celulares das crianças”, disse a diretora.
De acordo com Divino Alves Bueno, chefe do Núcleo de Tec­nologia Educacional da Secretaria Municipal de Educação e Esporte, a parceria é um estímulo ao que é desenvolvido em nossas instituições educacionais. “Buscamos estratégias para aproximar a escola do cotidiano do aluno. Uma dessas estratégias é buscar parcerias com empresas que já tenham experiências educacionais”, confirma.
“A Educação só tem a ganhar com todo esse processo, pois vai consolidar uma cultura digital em escolas e Cmei, e aumentar a conexão com o mundo. Professores e alunos poderão fazer uso de conteúdos educacionais, além de usufruir de dois pontos a mais de internet com velocidade maior”, destaca Bueno.
Sobre a TV a cabo, a secretária Neyde Aparecida acrescenta: “Os nossos projetos pedagógicos usam muito as tecnologias. Ter nas instituições programas voltadas às crianças e jovens é muito importante, pois enriquece a prática do professor, com acesso à programação educacional”.


Professores farão curso de capacitação

 

O curso “Educonexão: novas tecnologias e novos recursos para uma nova Educação”, será realizado em etapas presencial e à distância, e prepara professores para que estejam conectados com os desafios que envolvem o processo de ensino-aprendizagem. A tecnologia será utilizada na interpretação e produção de diferentes tipos de textos, incluindo apresentações de slides e materiais para blogs.
Com carga horária de 80 horas, a formação aborda temáticas diversas, como moviemaker, redes sociais, StopMotion, educação na nuvem, google drive e outros. O primeiro encontro do curso, no dia da assinatura do Termo de Cooperação, contou com a presença de Luciana Maria Allan, Presidente do Instituto Crescer, doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e redatora dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), na área de informática.
A doutora ministrou a palestra “Educação 3.0 e os recursos educacionais emergentes”. Diretores e professores participaram do início do curso e também do Workshop “Avalie-se, com a oportunidade de, a partir da sua realidade, planejar estratégias de intervenção em suas unidades educacionais.
“Capacitar professores para incluírem os alunos digitalmente é o objetivo da empresa, porque hoje em dia a criança nasce nessa nuvem digital. Os professores passam pelo curso e aprendem a utilizar a tecnologia na sala de aula e no trabalho de conclusão, irão mostrar os resultados”, afirma Rosália Arantes, diretora de responsabilidade social da NET. (Daniela Rezende)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here