Tranquilidade marcou retorno às aulas na rede estadual

0
723

E10 01

O retorno às aulas do se­gundo semestre letivo ocorreu de forma tranquila nas escolas da rede estadual de Goiás. Em Goiânia, o superintendente de Educação da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), professor Marcos das Neves visitou três instituições de ensino, onde conversou com alunos, professores e diretores.
A visita incluiu os colégios estaduais Santa Bernadete, no Setor Nova Vila; Instituto de Educação de Goiás (IEG), no Setor Leste Vila Nova; e Cepi (Centro de Ensino em Período Integral) Lyceu de Goiânia. Neste último, o professor foi recepcionado pelo diretor Edjar Júnior Barbosa e pelo ator e diretor Nando Rocha, criador e responsável pelo Espaço Sonhus Teatro Ritual.
Marcos das Neves conheceu os diversos projetos culturais desenvolvidos no local direcionados aos alunos da instituição. O Sub­secreta­rio Metropolitano Marcelo Ferrei­ra de Oliveira e outros su­perintendentes da Seduce também percorreram outras unidades.

Funcionamento integral
Segundo o professor Marcos, to­das as 1.153 escolas da rede es­tadual voltaram a funcionar integralmente na segunda-feira, 3/8, muito embora o sindicato da categoria ainda não tivesse decretado oficialmente o fim da paralisação, que só ocorreu no final da manhã.
“Os servidores retornaram normalmente suas atividades logo pela manhã porque o governo estadual já havia atendido as principais reivindicações da categoria, que foi o pagamento do reajuste de 13,01% em julho e a liberação da primeira parcela do bônus Reconhecer”, acrescentou ou superintendente.
Em todo o Estado estão matriculados 560 mil alunos em classes do Ensino Fundamental (segunda fase) e do Ensino Médio. O se­gun­do semestre letivo começou na segunda-feira, 3/8, e terminará no dia 18 de dezembro de 2015, quando serão completados 95 dias letivos.


Seduce orienta sobre reposição de aulas

 

Preocupada com a qualidade do ensino da rede estadual, a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) enviou na segunda-feira, 3/8, um ofício a todas as 40 subsecretarias regionais com orientações de como deve ocorrer a reposição de aulas. A medida foi tomada imediatamente após os professores anunciarem o fim da paralisação, que atingiu parcialmente 7% das escolas estaduais.
De acordo com o superintendente Executivo de Educação, Marcos das Neves, isso significa que 3,5% do conteúdo foi prejudicado e deverá ser reposto ao longo do semestre, por meio da reorganização do Calendário Escolar. É importante ressaltar que cada unidade deve reelaborar o calendário e enviar para a subsecretaria regional. A proposta será avaliada pela superintendência de Inteligência Pedagógica e Formação, responsável por validar ou não.
Para unidades que paralisaram totalmente as atividades, a ordem é completar pelo menos 200 dias letivos. Na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), o número é de 100 dias e o segundo semestre só pode iniciar com a conclusão do anterior. Caso o mês de janeiro seja necessário para a conclusão dos trabalhos, o período entre os dias 24/12/14 e 4/1/16 não pode ser utilizado.
Os dias durante a semana são prioridade para a reposição. Desta forma, conselhos de classe ou festividades previstas no calendário e no projeto político pedagógico da escola deverão ser transferidos para o sábado.
Já as unidades parcialmente afetadas com a paralisação devem completar minimamente a carga horária prevista para o componente curricular prejudicado. Neste caso, as reposições devem ocorrer aos sábados e/ou em período de recesso escolar. As aulas precisam manter a carga horária original adotada por cada unidade escolar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here