Governadores criam consórcio

0
623

A6 01

O governador Marconi Perillo participou, na manhã da sexta, 7, do II Fórum de Governadores do Brasil Central, realizado no Palácio Paiaguás, em Cuiabá (MT). Marconi e os governadores Pedro Taques (MT), Reinaldo Azambuja (MS), Marcelo Miranda (TO), Rodrigo Rollemberg (DF), Confúcio Moura (RO) e o ministro-chefe de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Mangabeira Unger, apresentaram e discutiram a criação do Consórcio Interesta­dual de Desenvolvimento do Brasil Central.
Com a presença do governador Confúcio Moura, o encontro também marcou a entrada de Rondônia no bloco. Marconi afirmou que a segunda reunião do Fórum teve avanços significativos para a consolidação do bloco. “Saímos do encontro com a estrutura do Consórcio definida”, resumiu. O governador de Goiás propôs a inclusão, na Carta de Cuiabá, de uma visita ao presidente do Senado, Renan Calheiros, com o objetivo de propor o revigoramento da Comissão de Assuntos Federa­tivos do Congresso Nacional. “Estou muito entusiasmado com as propostas. Vamos concentrar os investimentos e as políticas e nos tornaremos o bloco mais competitivo do País”, comemorou.
O Fórum de Governadores do Brasil Central foi criado no último dia 3 de julho, em Goiânia, durante encontro dos governadores dos Estados do Centro-Oeste, mais o Tocantins, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira. Criado por sugestão do ministro de assuntos Estratégi­cos da Presidência da República, Mangabeira Unger, ele manterá reuniões mensais até o fim de 2015. Na ocasião, foram definidos os eixos estratégicos de atuação do bloco: agropecuária, logística, industrialização, educação, empreendedorismo e inovação tecnológica.

Força econômica
O governador Marconi exaltou a força econômica do Brasil Central durante a coletiva de imprensa concedida pelos governadores membros. “Esse bloco é composto por Estados que têm muita semelhança física e econômica. Juntos, somos um gigante de produção e exportação. É o Brasil onde o PIB mais cresce”, disse Marconi. “Vamos investir na escolaridade, na agropecuária e na atração de investimentos. Estamos muito focados na criação desse modelo. O ministro Mangabeira tem andado pelo Brasil e encontrado aqui no Brasil Central a região mais fértil para a criação desse movimento regional. Vamos andar unidos nos próximos quatro anos”, afirmou o governador.
Mangabeira Unger afirmou, durante a coletiva, que o Brasil Central é uma “revolução”, e que o governo federal apoia o movimento. “O Brasil Central é a região que mais cresce, é onde as políticas de desenvolvimento têm dado certo”, afirmou. Em seu pronunciamento, durante a reunião, o ministro frisou que a “principal obra do Brasil Central é colocar todo o Brasil para andar”. O governador anfitrião, Pedro Taques, disse que a formação do bloco vai fortalecer os Estados que integram do Brasil Central. “Encontrar nossas potencialidades e dificuldades e termos uma ação conjunta. É um movimento para fortalecer os Estados que fazem parte desse bloco.”

Políticas públicas
A criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvi­mento do Brasil Central será responsável por criar políticas públicas, reunir recursos dos Estados membros, captar recursos no governo federal e fortalecer a atuação política do Centro-Oeste, detalharam os governadores durante seus pronunciamentos.
Em Cuiabá, os Estados buscaram alternativas de financiamento para o Consórcio e discutiram como funcionará a estrutura e a composição do órgão supra-estadual. Com esse modelo, o bloco tem como objetivo orientar e financiar as políticas de desenvolvimento da região.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here