Um passeio pelo folclore brasileiro

0
712

E8 01Em meio as árvores, a ex­pectativa era para en­contrar com o Saci, a Mu­la-sem-cabeça, o Cu­rupira e o Boto-cor-de-rosa, personagens que se escondiam simbolicamente pela tilha do bosque. A cada pista, uma descoberta e um aprendizado sobre os mitos populares. Assim, a magia do folclore encantou cerca de 700 alunos da rede municipal, que participaram, entre os últimos dias 18 e 22, da Semana do Fol­clore, na Vila Ambiental, localizada no Parque Areião. A ação foi realizada em celebração ao Dia do Folclore, comemorado nacionalmente no dia 22 de agosto.
Além da trilha, os alunos assistiram a uma palestra sobre a origem e o resgate do folclore, bem como a sua importância até os dias atuais. Atividades ao ar livre, como a confecção dos brinquedos tradicionais pandorga e currupio também divertiram as crianças.
O tema “Meio Ambiente” foi destaque durante toda a programação da semana. A coordenadora pedagógica da Vila Am­biental, Letícia Barbosa, explica como o tema “Folclore” contribui para a cons­cientização ambiental. “Que­re­mos despertar nas crianças a relação de elementos folclóricos com a natureza. Muitos seres fantásticos do Folclore vêm da mata, da floresta e, contando a história deles, queremos transmitir a mensagem que é preciso preservar o meio ambiente”, comenta.
A Semana do Folclore é promovida por meio da parceria entre a Secretaria Municipal de Edu­cação e Espor­te (SME) e a Agên­cia Municipal de Meio Am­bien­te (AMMA), que mantém a Vila Ambiental como uma opção de espaço natural disponível para atividades relacionada às temáticas ambientais e culturais.
A Escola Arcebispo Dom Emmauel, localizada no Setor Castelo Branco, foi uma das que participaram da Semana do Fol­clore. Cerca de 80 alunos da instituição estiveram na Vila para a programação. A coordenadora pedagógica da escola, Re­na­ta Cunha, destacou o quanto a experiência foi rica em aprendizado: “Foi maravilhoso. A visita na Vila complementou o que

estamos abordando em sala de aula, também relacionado ao Folclore a ao meio ambiente. Foi muito bom e as crianças gostaram bastante”.
O João Antônio Dutra Ferreira, 8 anos, chegou da trilha encantado. “Gostei de ver os macaquinhos. Aprendi como respeitar a natureza, que é a casa dos animais. Foi bem divertido, brinquei”, contou.

Educação ambiental
A Vila Ambiental é um projeto idealizado pela Prefeitura de Goiânia com o objetivo de desenvolver ações relacionadas à Educação Ambiental. A secretária de Educação e Esporte de Goiânia, Neyde Aparecida, ressalta o quanto as experiências vividas pelos alunos no ambiente da Vila são fundamentais. “Sair do ambiente escolar já é algo muito positivo e a nossa proposta de trabalho inclui diversas atividades extraclasse com o objetivo de proporcionar ao educando vivências extras, que possam de uma forma ou de outra trazer algum tipo de aprendizado, que sempre é o nosso maior foco”.


Origens do Folclore

O principal folclorista – isto é, estudioso do folclore – brasileiro (e um dos maiores do mun­do), Luís da Câmara Cascudo (1898-1986), definiu o folclore como: a cultura popular, tornada normativa pela tradição. Com essa definição, Cascudo pretendia destacar exatamente o que o folclore significa, em sua acepção original, dada pelo antiquário in­glês William John Thoms: folk significa povo e lore, instrução, sabedoria. Assim sendo, a cultura popular também carrega uma sabedoria, um conjunto de conhecimentos específicos, que se organizam, geralmente, em forma de mitos (narrativas) e rituais (festas, cerimônias etc).
O folclore manifesta-se de muitas formas e em todas as regiões do mundo, pois a cultura popular é bastante versátil e se desenvolve com força em qualquer povo. Da mesma forma que a cultura erudita, ou a chamada “alta cultura” (literatura, música clássica, poesia, teatro etc.), a cultura popular é de suma importância para a construção da identidade de um povo, ou de uma civilização.
O conjunto de lendas, de provérbios, de encenações e festas, sempre concentra uma sabedoria de conteúdo moral, tal como as fábulas e contos de fadas. Geralmente é essa sabedoria que orienta as comunidades locais, que vivem circunscritas em determinada tradição. A tradição folclórica do Brasil, por exemplo, desenvolveu-se de variadas formas de acordo com as regiões do país. Esse desenvolvimento se deu a partir da mistura das tradições dos principais povos que se misturam em terras brasileiras; notadamente, povos africanos, os nativos indígenas e europeus. (Fonte: Brasil Escola)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here