Continuidade ou mudança na OAB?

0
1105
Altair Tavares, rádio 730AM

Altair Tavares, Rádio 730

O levantamento feito pela pesquisa Fortiori sobre a eleição para a nova direção da Ordem dos Advogados do Brasil- Seção Goiás indica que o desejo de mudança (62,7%) pulsa entre a categoria, em todo o Estado de Goiás. O dado, isolado, pode favorecer o candidato Lúcio Flávio, mas, em outras informações, há variantes que mostram uma forte disputa entre as três chapas. Se o desejo é de mudança, qual candidato por representar esse sentimento? Esse cenário permaneceria até a realização do pleito, em 27 de novembro?
É interessante notar, na pesquisa, que o desejo de mudança é maior entre o eleitorado com menor tempo de inscrição na OAB goiana. Entre os que tem de 6 a 10 anos de atividade na advocacia o índice é de 67,3% e de continuidade é de 21,8%. Na faixa até 5 anos e entre 11 e 15 anos de inscrição o percentual que deseja a mudança mantém-se alto, em 62,2%. A pesquisa coletou dados entre 05 e 10 de setembro e foram feitas 386 entrevistas. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.
Por outro lado, entre os que tem até 5 anos de inscrição, o desejo de continuidade é de 27%. No entanto, o desejo de continuidade é menor entre os advogados que tem inscrição de 11 a 15 anos (18,9%). Entre os advogados que têm mais de 15 anos de inscrição, o desejo de mudança é um pouco menor (52,4%) e o desejo de continuidade é de 28,6%.
É curioso observar que o desejo  de mudança na OAB-GO é maior entre as advogadas (67%) e o de continuidade é menor (21,4%), segundo a pesquisa Fortiori. Entre os advogados é de 60,4% o desejo de mudança e de 25,9% o de continuidade. Considerando os dados, há uma leve tendência das advogadas pela mudança, no entanto, há que se considerar que o peso da segmentação por sexo é de 65,7% de entrevistados do sexo masculino e de 34,3% do sexo feminino.
Sem dúvida, que a pesquisa mostra que o advogado Lúcio Flávio mantém uma expressiva margem em quase todas as variáveis da pesquisa, durante a pré-campanha. Ele obteve 28,3% na estimulada, contra 17,7% de Enil Henrique e 10,3% de Flávio Buonaduce, que obteve a liderança entre os advogados com mais de 15 anos de atuação, 21,4%. A situação inverte-se entre os mais jovens para o cenário geral da pesquisa.
A pesquisa Fortiori, no entanto, mostra apenas o começo da disputa eleitoral que promete ser uma das mais acirradas dos últimos tempos na OAB-GO. Ademais, os três candidatos demonstram que as estruturas de campanha estão muito mais organizadas para o embate. A campanha já está nas ruas, definitivamente. Como em toda eleição, o cenário é: continuidade ou mudança?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here