Marconi defende Reforma do Estado

0
1224
Marconi Perillo pediu aos membros do bloco do Centro-Oeste que defendam a proposta de Reforma do Estado feita pelo Movimento Brasil Competitivo

Governador Marconi Perillo participa de encontro de governadores em Campo Grande (MS) e afirma que gestores têm de assumir o protagonismo da agenda de retomada do desenvolvimento

Em seu pronunciamento durante o 4º Fórum de Governadores do Brasil Central, realizado na sexta-feira, dia 2, em Campo Grande (MS), o governador Marconi Perillo defendeu que os membros do bloco se unam na defesa da proposta de  Reforma do Estado feita pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC). Ele afirmou que a crise econômica nacional exige mudanças profundas nos regimes Tributário e da Previdência e no sistema Político.
Marconi disse que os governadores do Brasil Central – bloco formado por Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia – têm a relevância política e econômica para fazer a proposta de Reforma do Estado deslanchar, criando as condições para a implantação de uma nova agenda de desenvolvimento para o País. “Estamos unidos em torno de uma agenda para o Brasil Central. A crise nacional também estimula uma união entre todos os governadores e o País está percebendo que crescemos em influência e importância, o que nos dá as condições para levarmos adiante essas reformas”, disse.
“O papel dos governadores sempre foi essencial para o País, desde a redemocratização e em tantos outros momentos da República desde então. Com o passar do tempo, os Estados foram perdendo importância. Agora podemos reassumir esse protagonismo”, disse Marconi, observando que a população espera essa articulação. “Como governadores, nos cabe assumir essa liderança, de forma a criarmos um novo ciclo de crescimento virtuoso”, destacou o governador durante o encontro do Fórum do Brasil Central em Campo Grande.
A proposta de reforma do Estado foi apresentada pelo presidente do MBC, Jorge Gerdau, no 13º Congresso da entidade, no último dia 22 de setembro, em São Paulo. Marconi aceitou o desafio e disse, na ocasião, que “os governadores devemos retomar o papel de protagonistas, de líderes desse País. “Vamos nos reunir, aproveitar nossas experiências e atender a um chamado como esse, que não é só do doutor Jorge Gerdau, mas da sociedade brasileira”, declarou Marconi.
Os demais governadores endossaram a proposta de Marconi e reforçaram a compreensão de que, em função de seu dinamismo, as economias do Brasil Central reúnem as condições para a retomada do crescimento. Os governadores criticaram a condução da proposta de reforma do ICMS, considerada pelos estados do Bloco prejudicial às economias em desenvolvimento, a falta de diálogo prévio do governo federal com as unidades da federação para a formulação da proposta de ajuste fiscal e ausência de uma agenda de reformas para a Previdência e o sistema Tributário.
“Estou muito entusiasmado com o progresso do Consórcio do Brasil Central. Apesar da crise nacional, os governadores do Brasil Central estão reunidos aqui hoje para falar do futuro”, disse Marconi.
No encontro, os governadores destacaram o rápido avanço das medidas para a criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil, órgão de natureza política que abrigará o bloco. Dos seis Estados, quatro já aprovaram em suas Assembleias Legislativas o projeto de lei que cria o consórcio — Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Rondônia. Faltam ainda Distrito Federal e Mato Grosso do Sul, que já enviaram a proposta para apreciação em suas Casas Legislativas.
O próximo encontro dos governadores do Brasil Central será realizado em Brasília, no início de novembro. Na ocasião, será inaugurada a sede do Consórcio. Os governadores decidiram antecipar a data de realização da reunião para quarta e quinta-feiras, com o intuito de promover encontros com representantes do governo federal e do Congresso Nacional para discutirem projetos de interesse do Bloco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here