O perfil do futuro prefeito

0
1382
Altair Tavares, rádio 730AM

Na escolha dos candidatos a prefeito, em qualquer cidade, os grupos políticos conversam sobre qual o perfil que a cidade espera do administrador. As pesquisas colaboram bastante para a identificação do que espera a população de cada município quanto ao responsável pela gestão. E, para 2016, não é diferente. Qual o perfil do administrador para a próxima gestão de Goiânia?
Seria um perfil de um político com imagem populista tradicional ou do populista digital (Aquele que vive nas redes sociais e excita bastante sua lista de seguidores)? Ou de um político com perfil de administrador, ou um planejador, ou um demagógico?
A eleição de 216, para prefeito de Goiânia, poderá contrapor o estilo de Iris Rezende(PMDB), mais tradicional, com o de gestor de Vanderlan Cardoso (PSB). Nos bastidores, entre tucanos de alta plumagem, o nome do deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB) é citado como um político do perfil planejador e gestor, também. Sim, ele pode ser estimulado a uma candidatura para reforçar a estruturação de uma campanha com um perfil alinhado com o de Marconi Perillo (PSDB).
Ao ser perguntado sobre uma candidatura, o deputado Vecci responde que tem o interesse de fazer um bom mandato, é claro. A resposta é óbvia, pois não é hora de dizer sim. É hora de articulação nos bastidores. E nesta linha, o deputado Waldir Soares, estaria fora do perfil que o partido dele quer para a disputa eleitoral de 2016 apesar de o delegado demonstrar muito interesse e afirmar que obteve um expressivo resultado eleitoral na capital.
Por outro lado, os nomes de Jayme Rincón e Fábio Sousa, no PSDB, estariam, também, desalinhados com a ideia que tem corpo e roda nos bastidores do partido. O presidente da Agetop poderia entrar na disputa pelo perfil, mas o ambiente político induz a uma precaução em virtude das investigações feitas na empresa que ele dirige.
No entanto, a presença de Iris Rezende Machado na disputa põe um grande desafio na busca deste perfil que o eleitor quer: um candidato que fosse o completo oposto do peemedebista poderia conquistar prestígio e, possivelmente, uma vitória contra o “mito” Iris? Daí, põe-se outra questão: Não foi assim que Perillo ganhou as disputas para o governo de Goiás contra Rezende por 3 vezes, ou seja, em contraposição a ele? Em Goiânia, Iris ganhou todas as eleições recentes. Para vencê-lo neste território é preciso muito mais que um perfil.

Altair Tavares – Comentarista das Rádios Vinha FM e 730 e editor do www.diariodegoias.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here