Segurança cidadã nas escolas

0
1159
Equipe da Secretaria Municipal de Educação apresenta trabalho de mediação que será implantado na rede

Ações preventivas garantem a manutenção da segurança e a mediação de conflitos nas unidades de ensino da rede pública

O trabalho preventivo e qualificado de segurança, aliado ao uso da educação como meio de promover a cidadania, solidariedade e respeito aos direitos humanos, tem contribuído para a construção da segurança cidadã na Capital. Um dos exemplos é a atuação da Prefeitura de Goiânia com ações da Guarda Civil Metropolitana (GCM). Durante 24 horas, as equipes de guardas civis dão apoio à segurança dos alunos que estudam na rede pública municipal. O serviço é feito proativamente com o objetivo de inibir a ação de marginais que queiram furtar, roubar ou oferecer e vender entorpecentes aos alunos, principalmente no horário noturno.
A diretora da Escola Municipal Jalles Machado de Siqueira, Nilde Rosatto, explica que sempre teve o apoio dos agentes de segurança da corporação.
“Nossa escola sempre foi bem atendida, a Guarda está de parabéns, pois sempre se mostrou prestativa e a presença deles é muito importante para todos nós, alunos, técnicos e professores”.
Esta escola, que fica na Região Leste de Goiânia, integra um grupo que utiliza aplicativo de celular para facilitar a comunicação entre o comando da regional, chefes de equipe e inspetores e a direção das unidades educacionais.
O inspetor Hélio Divino, responsável pela regional diurna, conta que, depois da utilização deste aplicativo, muitos incidentes foram evitados.
“Sabemos que nossa missão é dar segurança aos alunos e aos funcionários das instituições nos três turnos, por isso procuramos sempre estar em contato para que não haja nenhum ato de vandalismo, furto ou mesmo tráfico dentro e fora dos prédios”, observa o inspetor.
Hélio Divino diz ainda que sempre fazem palestras dentro das escolas, q uandosão dadas dicas de segurança e orientações básicas para todos os frequentadores do local.
Joaquim Antônio, 49 anos, aluno do sexto ano da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja), afirma que se sente mais seguro quando sai da escola.
“Antes saíamos meio receosos, pois normalmente as aulas acabam depois das 22 horas. Agora sempre vemos uma viatura estacionada próximo ao portão e isso é muito bom”, relatou.
O inspetor Hélio Divino pede à população que, caso note alguma movimentação estranha próxima às unidades de ensino ou ato de vandalismo, que denuncie no telefone operacional da GCM, número 153.

Apoio à segurança dos alunos é uma das vias de atuação da Guarda Civil
Apoio à segurança dos alunos é uma das vias de atuação da Guarda Civil

Unidades vão atuar na mediação de conflitos

Manter a segurança não tem sido a única via de atuação da Administração Municipal. Ações preventivas baseadas na formação para os direitos humanos e práticas para solução de conflitos têm sido adotadas pela Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME). Neste mês, a novidade é a implantação de Núcleos de Mediação de Conflitos e Convivência Pacífica em cinco unidades educacionais selecionadas por região.
O objetivo é possibilitar a solução de questões conflituosas e contribuir para que o ambiente escolar torne-se em um espaço propício à educação da paz – explica a coordenadora da Política Articulada de Educação da Paz (Epaz) na rede pública municipal, Genivalda Cravo.
A coordenadora informou que, durante o mês de setembro, foram realizados levantamentos das questões conflitivas mais comuns nas unidades educacionais e houve a apresentação do projeto para a comunidade escolar. As próximas etapas serão a elaboração de planos de ações e formação de mediadores.
“Eles se tornarão líderes no espaço das instituições”, afirmou.
As primeiras instituições a receber os núcleos de mediação de conflitos e convivência pacífica são o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Jardim Europa II e as escolas Stefânia Alves Bispo, Vereador Carlos Eurico de Camargo Alves, Recanto do Bosque e Vicente Rodrigues do Prado. O projeto-piloto também tem o envolvimento das cinco coordenadorias regionais de Educação da rede municipal. Até o mês de novembro, a implantação desses núcleos será concluída.
Localizada no Parque das Amendoeiras, a Escola Municipal Vicente Rodrigues do Prado possui 75 profissionais e atende 450 alunos, desde a Educação Infantil até a Eaja. Para a diretora da unidade, Nilma Alves de Souza, a constituição do Núcleo no local vai contribuir para o enfrentamento de divergências.
“Os conflitos estão presentes em todos os locais. Acredito que, a médio prazo, esse trabalho vai contribuir, facilitar e dar elementos para lidarmos com diversas situações que exigem bom senso e uma pessoa com formação específica para isso poderá agir corretamente”, avaliou.
Para a coordenadora, as iniciativas realizadas nas instituições educacionais têm o intuito de contribuir para a pacificação social e respeito às diferenças.
“Estamos desenvolvendo um trabalho para a educação da paz, valores humanos e habilidades socioemocionais. Temos parcerias intersetoriais junto aos conselhos de segurança, Guarda Civil, Segurança Pública e Comissão de Pacificação Social”, ressalta.
Para integrar a proposta, as instituições selecionadas atendem a requisitos como possuir profissionais que já participaram do curso de Mediação de Conflito e Convivência Pacífica oferecido pela Gerência de Saúde e Segurança do Trabalho dos Profissionais de Educação da SME e também que já desenvolvam o Programa Saúde na Escola.

A formação de profissionais para lidar com situações conflituosas no ambiente escolar está prevista na ação desenvolvida pela SME
A formação de profissionais para lidar com situações conflituosas no ambiente escolar está prevista na ação desenvolvida pela SME

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here