Vanderlan muda domicílio para ser candidato a prefeito de Goiânia

0
2854
Vanderlan Cardoso (PSB)

Ronaldo Coelho, rjcoelhogo@gmail.com

No limite do prazo para a transferência de domicílio eleitoral, o empresário Vanderlan Cardoso se registrou como eleitor de Goiânia. Era de Senador Canendo, onde foi prefeito. Agora ele pode votar e ser votado na capital. O registro no cartório eleitoral, no centro da cidade, ocorreu na tarde de quinta-feira, dia 1º, e foi testemunhado pela senadora Lúcia Vânia (PSB), pelo deputado estadual Simeyson Silveira (PSC), pelo deputado federal Marcos Abrão (PPS), e por vários vereadores e lideranças políticas de Goiânia. Esse foi um dos primeiros passos para o empresário se firmar como o candidato do PSB ao Paço Municipal nas eleições de 2016. Mas Vanderlan ainda não é muito conhecido do eleitor goianiense. O que fazer para resolver esse grande problema? “Eu tenho que me desdobrar. Todos os eventos que for convidado irei para que possa me tornar mais conhecido da cidade que quero governar. Vou ficar mais conhecido através de reuniões, ouvindo a população e mostrando o que já fiz”, explicou. Presidente regional do PSB, a senadora Lúcia Vânia contemporizou em favor do novo colega de partido. “Ele já é bem conhecido em Goiânia. É um empresário que atua na cidade. Não será difícil sua presença em todos os bairros. Ele tem uma experiência exitosa em Senador Canedo e traz este bagagem para Goiânia”, afirmou a senadora Lúcia Vânia, presidente regional do PSB.


“Queremos a parceria boa, aquela que proporciona resultados positivos para as duas partes comerciais”

Vice-governador José Eliton durante encontro com empresários colombianos, em Bogotá, onde lidera missão comercial goiana

Tomou gosto
Presidente da Câmara Municipal, o vereador Anselmo Pereira (PSDB) tomou gosto pelo cargo de prefeito nesses dias que substitui Paulo Garcia e diz aos mais próximos que vai entrar para valer na disputa interna do partido para ser escolhido candidato a prefeito de Goiânia em 2016.

Manter discrição
Com discurso desestruturado e pré-campanha que virou água depois da Operação Compadrio, Jayme Rincón, presidente da Agetop, segue discreto e longe da mídia. A ordem do Palácio Pedro Ludovico Teixeira é preservá-lo agora porque o governador Marconi Perillo ainda não desistiu de bancá-lo candidato a prefeito de Goiânia.


PSDB no poder
Por conta e obra do PMDB e do PT, o PSDB comanda a Câmara Municipal, a prefeitura de Goiânia e o Estado de Goiás nesses dias, um sonho acalentado pelos tucanos há muitos anos. Mas tudo acaba quando Paulo Garcia e Agenor Mariano, o prefeito e o vice, retornarem a Goiânia nesta semana.

Nada disso
Secretário municipal de Educação, Domingos Pereira negou com veemência que o deputado federal Rubens Otoni esteja articulando o nome do ex-deputado estadual e atual presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-GO), Mauro Rubem, para ser pré-candidato a prefeito de Aparecida de Goiânia pelo PT em 2016. “Essa conversa é só especulação. Isso não existe”, disse.

Costura
Aliados de primeira hora no governo do Estado, o PSDB e o PP de Aparecida de Goiânia articulam aliança entre as duas siglas para as eleições de 2016. Já se vislumbra uma chapa tendo um tucano como candidato a prefeito e um pepista como vice. Pode ser o inverso também.

Que coisa
Não chamem para a mesma mesa de restaurante o ex-deputado federal Sandro Mabel e os petistas de Aparecida de Goiânia. Tudo porque Mabel não esconde de ninguém que quer ver o PMDB longe do PT nas próximas eleições.

Intervenção
No jantar na última segunda-feira, dia 28 de setembro, em sua casa, quando reuniu os deputados Daniel Vilela (federal) e José Nelto (estadual), o ex-deputado federal Sandro Mabel deixou claro que o PMDB não pode ir rachado para a convenção estadual, no dia 24, por causa da disputa dos dois parlamentares pela presidência do partido em Goiás.
Consenso
Mabel, que parecia estar fora da disputa, reapareceu no cenário e trabalha para fechar consenso em torno de seu nome para presidir o PMDB Até agora, Iris Rezende mantém discrição sobre o assunto, mas ja sinalizou que quer o consenso também, como sempre.

Convenção nacional
Há um clima de revolta e descontentamento no PMDB que pode levar o partido a romper com o PT e com o governo da presidente Dilma Rousseff na convenção nacional de novembro, em Brasília.

Cassação cirúrgica
Cresce no PMDB a ideia e impeachment da presidente Dilma, de forma cirúrgica, até o final do ano, para que o vice-presidente, Michel Temer, assuma o comando da Nação no lugar dela.

Xadrez político
O caminho mais próximo para Michel Temer chegar à Presidência da República é este que está sendo planejado agora. Se deixar para 2018, quando o partido tende a lançar candidato próprio, o nome a ser escolhido pela sigla para a disputa pode não ser o dele. A figura em ascensão no PMDB nacional é do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

Mais dinheiro em caixa
A lei que altera o Código Tributário, sancionada no dia 30 de setembro pelo governador Marconio Perillo (PSDB), deve elevar as receitas do Estado em R$ 167 milhões em 2016, totalizando R$ 500 milhões nos três anos restantes da gestão do tucano.

Aumento de aliquotas
A partir do dia 1 º de janeiro de 2016 o contribuinte já vai pagar com aumento de alíquotas do ICMS, do IPVA e do Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD).

Nova regra para o IPVA
E tem mais. O governador muda as regras de cobrança do IPVA. A isenção do imposto, que era para veículos de passeio com 10 anos, passa a valer para veículos com 15 anos ou mais. Na campanha o discurso foi outro.

Liderança regional
Governador Marconi Perillo (PSDB) ganha destaque entre os governadores tucanos do Centro-Oeste e começa a aparecer no cenário nacional como opção do PSDB para o País, assumindo a liderança político-eleitoral do Brasil Central. Prova disto foi dada na sexta-feira, dia 2, em Campo Grande (MS), durante o 4º Encontro do Fórum de Governadores do Brasil Central. “Os governadores são importantes para o Pacto Federativo e governadores do porte de Marconi Perillo têm de ser ouvidos sempre”, afirmou Pedro Taques (PSDB), governador do Mato Grosso .


Rápidas

O prefeito Maguito Vilela não pôde comparecer ao evento do PMDB na tarde de quinta-feira, dia 30 de setembro, que marcou a transferência de filiações de quatro seretários municipais para o PMDB de Aparecida, devido à morte de seu padrinho, Geraldo Vilela.

Transferiram suas filiações para o diretório do PMDB de Aparecida os secretários Carlos Eduardo de Paula Rodrigues (Fazenda), Mário Vilela (Infraestrutura e Obras), Raul Coutinho Neto (Licitação e Compras) e André Luiz Ferreira Rosa (Controle Interno)
O Deputado Major Araújo (PRP) sempre foi polêmico e já defendeu temas controversos, como a bolsa arma. Na semana passada ele extrapolou a via do normal novamente e atirou um tablet na direção do colega Talles Barreto (PTB). Coisa feia.

A crise econômica tem levado os prefeitos a adotarem medidas ásperas nos seus municípios. O prefeito Misael Oliveira (PDT), de Senador Canedo, é outro que adere ao meio expediente na prefeitura a  partir desta semana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here