A contramão da solução

0
7544
Roberto Pires boneco

O momento de crise pelo qual passa o nosso País exige uma série de medidas urgentes por parte do Governo Federal, principalmente no que tange à redução do custo da máquina pública. É o mínimo que todos nós brasileiros aguardamos ansiosamente, pois não é justo que tenhamos que pagar sozinhos pelos equívocos de gestão que ocasionaram o rombo nas contas públicas. As propostas de criação e aumento de impostos, somadas à apropriação de 30% dos recursos que mantêm o Sistema S são uma afronta, um erro histórico!

Ninguém pode discordar que a Educação é a forma pela qual se promove a evolução de um povo. A educação profissional e tecnológica e a inovação determinam o êxito das empresas no mundo competitivo dos dias atuais. Se aprovada, tal medida provocará o fechamento de 300 escolas do Senai em todo o País, deixando de oferecer 4,8 milhões de vagas em cursos profissionalizantes. Já o Sesi encerrará as atividades de 450 escolas e 735 mil alunos deixarão de contar com um ensino reconhecidamente de qualidade.

Fechar escolas e retirar jovens das salas de aula é a melhor forma de combater uma crise?

No Brasil, 95% dos empreendimentos são formados por micro e pequenas empresas que dependem dos serviços executados por entidades como o Sebrae, as Federações de Indústrias e do Comércio e outras entidades que compõem o Sistema S. Por meio da orientação, da qualificação profissional, da inovação oferecida pelas instituições do Sistema S, a taxa de sobrevivência das micro e pequenas empresas mais que dobrou nos últimos 20 anos. Afora os servidores públicos, uma grande massa trabalhadora no País está na indústria, portanto, protagonista de uma recuperação da economia.

Cortar serviços destinados à força motriz da economia brasileira é a melhor forma de combater uma crise?

No Tocantins, o Sistema Fieto, por meio do Sesi, Senai e IEL, já executou GRATUITAMENTE mais de meio milhão de atendimentos em seus 23 anos de atuação. É como se um em cada dois tocantinenses já tivesse recebido algum serviço de graça, seja em educação básica, ensino médio articulado com profissionalizante, aprendizagem industrial, qualificação profissional, atividades esportivas, qualidade de vida ou segurança e saúde no trabalho. Nossos índices de gratuidade estão muito acima do que é recomendado regimentalmente. Serviços esses que serão ampliados nos próximos meses com a inauguração de 3 novas escolas do Senai, uma em Paraíso e duas em Palmas, dentre elas um grande Centro Educacional de Tecnologia, com capacidade para receber 1,4 mil alunos por dia.

É fundamental que todos tenhamos clareza de que o Sistema S, por meio das Federações da Indústria, do Comércio, da Agricultura, Transportes e Sebrae, é uma das coisas que realmente funcionam bem, cumprindo uma importante missão neste País. Tal corte de recursos é um retrocesso, é um equívoco do qual podemos lamentar por muitos e muitos anos. É tempo de unirmos forças para impedir que, mais uma vez, a conta dos estragos feitos pelo Governo na economia não caia no colo dos empresários e trabalhadores brasileiros.(Roberto Pires)

Roberto Pires é presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here