Histórias e músicas para aprender

0
1277
Brinquedos cantados também são atrações do projeto Arte em Movimento: junção de contação de histórias e brincadeiras musicais

Oficinas levam contação de histórias, brinquedos cantados e dança para escolas e unidades de educação infantil da rede pública de Goiânia

Pinturas divertidas nos rostos, fantasias cheias de cor. Por onde passam, levam uma onda de alegria e encantam a criançada. As personagens Chiquelete e Omelete, de maneira cativante, possibilitam novos conhecimentos aos alunos da rede municipal. A dupla, com a contação de histórias, incentiva o gosto pela arte e leitura nas escolas e unidades de educação infantil da Prefeitura de Goiânia.
Com cerca de 50 histórias no repertório, a dupla Chiquelete e Omelete, interpretadas por Valquíria Nassar e Ivone Cruz, contempla títulos de diversos gêneros da literatura infantil, infantojuvenil e adulta, entre eles, contos populares, fábulas, crônicas.
“As histórias são selecionadas conforme a faixa etária e a demanda da escola, com a contextualização das histórias de acordo com a proposta desenvolvida”, explicou.
A presença de Chiquelete e Omelete nas instituições é fruto do projeto Arte em Movimento, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia (SME). Ao lado do professor e apoio técnico-pedagógico, Alexandre Rocha Salles, os educandos participam também de brinquedos cantados.
A junção de contação de histórias e brincadeiras musicais enriqueceu a atividade proposta pela SME.
“Juntos trazem uma riqueza maior e são áreas interdisciplinares”, explica Ivone Cruz.
A atividade inclui histórias, músicas e coreografias pedagógicas, com elementos que possibilitam o desenvolvimento de coordenação moto-ra, aprimoramento do senso de ritmo, maior socialização e estimula o gosto pela literatura e música, além de manter tradições folclóricas.
As oficinas tiveram grande adesão na rede e já atenderam cerca de 70 instituições. Outras 24 instituições estão agendadas até o final de novembro.
“Havia uma carência nesta área de contação de história, mas não imaginávamos que seria assim”, comenta Ivone Cruz.
Segundo a apoio técnico-pedagógico, o objetivo é ampliar esse espaço dentro das instituições apresentando a contação de história como arte e como estratégia dentro da atividade pedagógica.
“Buscamos envolver os professores para que eles também trabalhem isso dentro das instituições”, acrescenta Cruz.
A diretora da Escola Municipal Grande Retiro, Nildelene Bárbara Marques, descreve como foi receber o projeto.
“As crianças adoraram. Trabalhamos diariamente com contação de histórias, músicas, mas tudo o que é de fora da escola, que sai da rotina, agrada tanto as crianças, quantos os profissionais. Foi uma experiência muito boa que aliou aprendizado e diversão”, relata.
O projeto Arte em Movimento abrange nove frentes de atuação em diferentes áreas artísticas. Voltado para alunos, profissionais da educação e comunidade escolar, a iniciativa busca propiciar a compreensão da arte como conhecimento, incentivar o processo artístico nas instituições da rede pública de ensino, contribuir para o desenvolvimento de percepção, reflexão, sensibilidade, imaginação, entre outros, explica o diretor de ensino da SME, Marcos Pedro da Silva.
“É um projeto de cunho cultural que busca levar entretenimento, diversão e, ao mesmo tempo, ensinamentos relacionados a diversos temas educacionais. A aceitação tem sido ótima e nossa demanda está muito grande”, afirma o diretor.


Dança Educação favorece a integração

Aulas de dança educação nas instituições contribuem para novas aprendizagens
Aulas de dança educação nas instituições contribuem para novas aprendizagens

Outra área contemplada pelo projeto Arte em Movimento é a dança educação que neste ano atendeu 750 alunos em 11 instituições da rede. A atividade tem buscado levar os educandos a refletir sobre os movimentos do corpo, contextos da dança e incentivá-los a conhecer os elementos que constituem esta arte e ampliar o repertório corporal, além de participar do processo de composição de coreografia.
De acordo com a apoio técnico-pedagógico que atua na ação, Débora Machado, as aulas de dança possibilitam uma integração entre as crianças.
“É um momento rico em aprendizagem, que as crianças gostam e participam ativamente. A aprovação tem sido geral”, ressalta.
Para Eurim Pablo, que também integra o projeto, o foco pedagógico da iniciativa é propor aos educandos da SME experiências estéticas que sejam significativas na área de dança educação. O apoio técnico-pedagógico ainda ressalta como o trabalho é voltado para os professores.
“Buscamos também proporcionar aos professores que acompanham o trabalho, a possibilidade de acreditar que pode ser desenvolvido o conteúdo de dança de modo específico ou interdisciplinar em diálogo direto com os objetivos do projeto político-pedagógico da instituição”, destaca.
O trabalho desenvolvido pelo Arte em Movimento na área de dança também tem sido um sucesso entre as escolas e centros municipais de educação infantil. A Professora da Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, Tânia Simão, relata como o trabalho é desenvolvido.
“Foi colocada a importância de conhecer o corpo, aprendendo assim suas possibilidades no universo da dança. A receptividade foi muito boa por parte de toda a escola. Parabenizo a todos do projeto que possibilitou à escola e aos professores a oportunidade de aprendizado e estímulo para futuras produções e participações em eventos”, enalteceu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here