Reitor da UFG prestigia seminário sobre Bernardo Élis

0
4487
Orlando Amaral (à dir.) acompanhou a abertura e ouviu a palestra

Programação do evento seguiu até quarta-feira e reúniu diversos pesquisadores de Goiás e outros estado sobre a vida e obra do escritor

Manoel Messias – Com informações da Ascom/UFG

O reitor da Universidade Federal de Goiás, Orlando Amaral, prestigiou a abertura do seminário “100 anos de Bernardo Élis”, realizado pelo Departamento de Estudos Literários da Faculdade de Letras da universidade. A abertura do evento ocorreu na noite de segunda-feira (9/11), no auditório da Faculdade de Letras, no Campus Samambaia, em Goiânia.
Logo após a solenidade de abertura, o professor da Faculdade de Letras (FL) da UFG e amigo do escritor, Heleno Godoy, fez uma palestra sobre a vida e a obra do escritor goiano, nascido em Corumbá de Goiás, em 1915. Na ocasião, Godoy apresentou curiosidades da vida pessoal de Élis e analisou contos do escritor.
A programação do Seminário 100 anos de Bernardo Élis seguiu até quarta-feira e reúniu diversos pesquisadores sobre a vida e obra do escritor.
A abertura contou, além do reitor da UFG, com a presença da presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi; do diretor da FL, Francisco José Quaresma; da professora da FL Tarsilla Couto de Britto, que também é a organizadora do evento, além de outros membros da comunidade acadêmica.
Tarsilla Couto recebeu os participantes e agradeceu a contribuição de todos para a realização do seminário. A professora destacou a dificuldade em escolher um escritor a ser homenageado, em um ano que comemora-se o centenário de grandes autores goianos, como José J. Veiga. O diretor da FL explicou que a escolha por Bernardo Élis é justificada pelo relacionamento da unidade acadêmica com o autor.
“Algumas pessoas podem não saber, mas o nome de um dos dois prédios da FL é Bernardo Élis. Essa é uma paixão antiga”, comentou Francisco José Quaresma.
Além disso, Quaresma desejou que o evento semeasse o espírito investigativo entre os participantes para estudar a obra de Bernardo Élis. O desejo do diretor também foi compartilhado pelo reitor da UFG, Orlando Amaral, que destacou a importância do debate e da pesquisa para a sociedade, inclusive em tempos de crise, como o vivenciado atualmente pela universidade, segundo ele.
“É uma felicidade para a UFG ver eventos como esse sendo realizados a todo vapor. A crise não pode impedir nosso trabalho. Os gestores existem para resolver problemas e proporcionar momentos como este”, defendeu.
Maria Zaira Turchi, que é professora da FL cedida à Fapeg, também destacou a importância do evento para o Estado de Goiás.

Professor Heleno de Godoy (dir.) falou sobre a vida e obra do imortal Bernardo Élis
Professor Heleno de Godoy (dir.) falou sobre a vida e obra do imortal Bernardo Élis

“Debater a obra, tão sólida, de Bernardo Élis é fundamental, visto que é o único escritor goiano que está na Acadêmia Brasileira de Letras”, destacou.
Em seguida, a professora lamentou o fato da UFG não possuir o acervo do autor. Orlando Amaral aproveitou a observação de Zaira Turchi e se comprometeu a analisar, com o apoio da Fapeg, a possibilidade de trazer outros acervos de escritores goianos à UFG.

Conferência
O professor da UFG, Wilson Flores, foi quem apresentou o conferencista da noite, Heleno Godoy. A apresentação contou com a declamação do poema “Bernardo Élis, aos 76 anos”, escrito pelo professor, que além de amigo do homenageado é escritor.
O palestrante narrou curiosidades da vida de Bernado Élis, do qual ficou muito próximo, principalmente quando desenvolveu um projeto para compilar dados cronológicos da vida e da obra de Élis.
Segundo Godoy, o projeto não foi finalizado porque a editora suspendeu o financiamento alegando que o homenageado era um perigoso comunista.
“Apesar de pensarmos várias vezes em continuar o projeto por conta própria e de ainda ter os escritos dessa época, eles nada valem sem a finalização de Élis”, disse Heleno Godoy.
Assim, para o conferencista, a melhor forma de falar do autor é realmente através de sua obra. Godoy analisou as características literárias de trechos de contos de Élis, demonstrando como a criação dele enfatizava a capacidade humana destrutiva. Ao final, Heleno Godoy declamou um novo poema, escrito para homenagear o escritor, agora com o título Bernardo Élis, aos 100 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here