Escola de tempo integral avança no estado de Goiás

0
2848
Para atender melhor os estudantes, as escolas estaduais de ensino integral têm número reduzido de alunos, mas que passam todo o dia dentro do colégio. Foto: Paulo José

Com mais tempo dentro de sala de aula, estudantes melhoram o desempenho, o que já é comprovado em exames nacionais como Enem e Ideb

Fabiola Rodrigues

O modelo de ensino no estado de Goiás passou por mudanças nos últimos anos, tentando aprimorar o ensino e oferecer aos alunos mais qualidade na aprendizagem. Com esse objetivo, foi criado em 2006 o programa Escola Estadual de Tempo Integral, possibilitando ao estudante ter acesso a um ensino melhor, garantindo uma estrutura de formação qualificada. Visto que o tema educação é um dos mais debatidos pelo país, a Secretaria do Estado de Educação Cultura e Esporte (Seduce), desde então está implantando gradativamente o projeto nas escolas.
O projeto começou com trinta e uma escolas pelo estado, e hoje já são cento e setenta e três escolas da rede estadual que se tornaram de tempo integral. Vinte e uma destas escolas são do ensino médio. Segundo a superintendente do Ensino Fundamental, Márcia Rocha, a cada ano aumenta o número de escolas de ensino integral no estado.
“A cada ano foi ampliando as turmas de tempo integral, gradativamente. Em 2008 mais escolas foram inseridas no programa, e não paramos de crescer mais”, diz.
Os alunos passaram a ter mais atividades esportivas, recreativas, aulas de reforço, e esta forma de atender ao aluno vem fazendo diferença na vida deles. A estudante Andressa Gonçalves Araújo, que faz o terceiro ano do ensino médio na escola da rede estadual Pré-Universitário, localizada no Setor Universitário, em Goiânia, elogia a escola integral.
“Vejo uma série de vantagens em estudar em uma escola de tempo integral. Tenho professores à minha disposição, faço prova aqui na escola toda semana, isso possibilita um melhor aprendizado”, afirma a estudante.
Foi realizado um trabalho de avaliação pela Universidade Federal de Goiás nas escolas de tempo integral e, segundo o estudo, até a condição nutricional dos alunos melhorou. Segundo Márcia Rocha, o objetivo da escola de tempo integral não é tirar jovens da rua, simplesmente mantendo-o mais tempo dentro do colégio, mas ampliar as oportunidades de aprendizagem para o aluno.
Outras vantagens da escola em tempo integral, segundo a Seduce, é modelo de ensino “de porta aberta”, já que os alunos não são selecionados, recebendo alundo de todo tipo de classe social. Assim nela etão alunos de famílias com baixa renda que, sem este programa, jamais teriam acesso a cultura, lazer, teatro, dança, práticas esportivas e outros benefícios.


Alunos obtêm desempenho melhor

Ambiente nas escolas de tempo integral é considerado mais ideal para interação entre colegas e comunidade escolar. Foto: Paulo José
Ambiente nas escolas de tempo integral é considerado mais ideal para interação entre colegas e comunidade escolar. Foto: Paulo José

Segundo diretora da escola da rede estadual Pré-Universtário Jaqueline Santana Lima, o ensino integral está trazendo bons resultados para a unidade que dirige, o que já é perceptível nas avaliações sistemáticas por que passam os estudantes.
“Posso dizer que com este modelo de ensino melhorou muito o rendimento dos alunos. Pelas notas podemos ver a diferença no desempenho, a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) sempre está aumentando e também no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)”, observa.
Este ano a escola ficou em terceiro lugar em Goiânia entre as unidades com melhor nota no Enem. Para a diretora, isso demonstra que os alunos do Pré-Universtário podem competir com alunos de escola particular.
Antes de se tornar integral, o Pré-Universitário tinha três turnos: matutino, vespertino e noturno. Há três anos a unidade passou a oferecer aulas em tempo integral, para o ensin médio, em carga horária de estudos das sete horas da manhã até as cinco horas da tarde, sem aulas no período noturno.
“Temos o café da manhã, o almoço e o lanche. Convivemos muito tempo juntos, criou-se um ambiente familiar. Sem contar que os alunos sempre chegam até nós para esclarecer dúvidas a respeito do aprendizado escolar e também pessoal”, diz.
Quando uma escola se torna de tempo integral, sua capacidade de atender alunos diminui consideravelmente. Geralmente os alunos são remanejados para outras escolas, como ocorreu com os alunos do colégio Pré-Universitário.
“Os alunos que não queriam ficar na escola de tempo integral foram remanejados para escolas de modelo tradicional, assim também aconteceu com professores”, explica a diretora.
Quando um aluno sai de uma escola de modelo tradicional de ensino e passa a estudar em uma escola de tempo integral ele passa por um período de adaptação, mas depois dessa fase eles não querem mais sair. É o que garante Lucas Mendes Rodovalho, que faz o terceiro ano de ensino médio no colégio Pré-Universtirário.
“No começo, quando vim para escola de tempo integral, senti dificuldade, mas depois não quis voltar para a forma tradicional de estudo. Sem contar que hoje com mais tempo na escola tenho professores à disposição para ensinar e tirar dúvidas”, diz.
A escola de tempo integral está formando alunos mais críticos e capazes de dsputar vagas em vestibulares e concursos futuros. Um outro destaque que estas escolas tiveram foi a participação dos pais na vida do aluno. Nesas unidades, os pais de alunos procuram saber mais sobre a vida estudantil dos filhos. E o interesse e participação dos pais reflete diretamente num melhor desempenho do estudante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here