Planejamento garante cumprimento de metas

1
2947

Manoel Messias e Ronaldo Coelho

Prefeito de Inhumas, Dioji Ikeda (PDT) afirma em entrevista exclusiva à Tribuna do Planalto que faz gestão planejada tendo por base as propostas de campanha que se tornaram projeto de governo, o que garante o cumprimento de todas elas. No momento, ele executa obras no valor de R$ 16 milhões e deve entregar, até março, a Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas. O prefeito mantém em dia todas as obrigações com fornecedores, prestadores de serviço e com a folha de servidores. No plano político, Dioji Ikeda diz que é preciso ter cautela com a crise envolvendo a presidenta Dilma Rousseff (PT) e admite disputar a reeleição em Inhumas no ano que vem.


Nesses três anos de administração, conseguiu realizar muitas das ações que planejava?
Desde o princípio fizemos um planejamento baseado em propostas de campanhas que se tornaram um projeto de governo, que buscamos viabilizar, seja com visitas a Brasília atrás de recursos, emendas parlamentares, parcerias, de modo que, feito esse dever de casa, estamos experimentando agora um momento ímpar no município com obras em andamento que somam R$ 16 milhões. Tudo aquilo que nos comprometemos a fazer vamos entregar até o final do próximo ano. Quando se tem um projeto bem elaborado, vontade e coragem de trabalhar, o resultado aparece. Então, se eu pudesse resumir esses três anos, eu diria que foram de um intenso trabalho realizado pelo município de Inhumas que hoje está sendo revertido em benefícios, em obras que hoje estamos executando, nas que já foram entregues e naquelas que serão entregues à população.

Esses recursos vieram de onde?
Na maioria, vieram de parcerias com o governo federal, com o governo estadual, vieram do trabalho incisivo da deputada federal Flávia Moraes (PDT) em defesa de Inhumas junto aos ministérios, em Brasília. Tudo com a participação efetiva de toda nossa equipe, que buscou esses recursos nos governos federal e estadual, oferecendo a contrapartida da prefeitura.

Inhumas tem nomes consolidados na política estadual, como os Essado e os Balestra. Isso contribui para sua administração?
Eu digo que cada político de Inhumas, a seu tempo, deu sua contribuição e foram fundamentais. Nós estamos buscando viabilizar o município cada vez mais sem discussão partidária. Todos aqueles que quiserem ajudar o município têm as portas abertas. Tanto que nesses três anos tivemos a contribuição direta de seis deputados federais, que contribuíram com suas emendas, dois senadores, sem falar nas participações ativas de lideranças de todo nosso Estado que contribuem para o desenvolvimento de Inhumas.

No caso dos Essado e dos Balestra, o senhor tem o apoio deles na administração?
Vencemos a eleição contra dois candidados por termos uma proposta consistente e executável, na qual o eleitor acreditou, nos deu esse crédito. Depois das eleições, eu procurei a todos, o deputado federal Roberto Balestra, o ex-deputado José Essado, os candidatos que disputaram comigo as eleições, de modo que aqueles que quiseram ajudar tiveram oportunidade. Temos na nossa base de aliados o PMDB, que ocupam secretarias na nossa gestão, cujos vereadores nos apoiam na Câmara, mas num processo eleitoral inevitavelmente tem-se o caminho da situação e da oposição e o deputado Balestra nos faz oposição, o que vejo com muita naturalidade. Mas estamos de portas abertas a todos, seja o deputado Balestra ou qualquer outro, estamos de braços abertos a receber qualquer tipo de benefício pra Inhumas.

O senhor consegue executar todo o programa de governo?
Cumpriremos na íntegra. Inclusive antecipamos diversas ações, diversas conquistas, como a Bolsa Universitária, uma saúde que caminha para dias cada vez melhores, já no primeiro ano reconstruímos oito unidades básicas de saúde que estavam caindo aos pedaços, valorizamos os servidores, com uma educação que é hoje destaque no cenário estadual. Estamos entregando nos próximos 60 dias a primeira etapa do Parque Goiabeiras, de 20 mil metros quadrados; estamos com a Unidade de Pronto Atendimento, com estrutura de um hospital de urgências, com mais de 70% das obras concluídas, que deve ser entregue à comunidade até março. Essas são algumas das obras que estamos entregando. Então, estamos cumprindo rigorosamente aqueles compromissos de campanha.

Nesse cenário de crise econômica, o senhor não está sendo muito otimista?
Eu sou otimista por natureza, mas eu te digo que nós fizemos o dever de casa. Claro, essa crise nos preocupa, o cenário de Brasília é muito instável, o que gera um desconforto no cidadão e com o prefeito não é diferente. Mas desde 2014 a gente vem fazendo ações administrativas para adequar a nossa máquina às receitas que nós temos. E hoje o município está em dias com suas obrigações e vamos concluir o mandato dessa forma, sempre com muita responsabilidade.


 

Prefeito mantém foco na gestão, mas admite disputar reeleição

O senhor está no primeiro mandato e naturalmente é virtual candidato à reeleição. Já está se preparando para o embate?
Temos conversado com os 12 partidos da nossa base, com os nove vereadores que nos apoiam e os líderes partidários. Eu deixei bem aberto para essa base que é preciso ter nomes. Eu particularmente estou muito focado na administração, temos diversas obras em execução que demandam um trabalho muito intenso da nossa parte e qualquer decisão em relação a candidatura desse grupo nosso vai acontecer de março para maio. Estou muito tranquilo que o melhor candidato será apresentado para que a gente possa disputar e vencer as eleições de 2016.

O senhor descarta ou não descarta a reeleição?
Eu não descarto e digo que isso vai ser discutido. Eu sempre defenti a alternância e quem tem que escolher o candidato é o próprio eleitor. Portanto, temos feito pesquisas constantemente e o eleitor tem mostrado sua opinião sobre os atos de nossa administração. Então é um processo natural que tem que ser respeitar o eleitor.

Chegando no mês de março, com essa aliança que existe hoje, com pesquinas em mãos apontando pro seu nome, o senhor encara, aceita o desafio de se candidatar?
Se a nossa base entender que eu tenho que ser o candidato, o eleitor entender que o nosso trabalho deve ter continuidade, provavelmente estarei à disposição para poder disputar mais uma eleição.

A descrença da classe política desmotiva a busca pela reeleição?
Participar do processo político sempre vale a pena. Eu venho de uma família humilde, sou filho de motorista de ônibus, minha mãe era diarista; pouco na minha vida mudou até hoje. Uma das melhores experências que eu tive nos 41 anos de vida é a possibilidade de ser prefeito da minha cidade, porque cada ato que fazemos em benefício da comunidadae faz valer a pena todas as dificuldades que temos enquanto político. Mas reconheço que a classe política está desacreditada, passa por um desafio muito grande, um cenário muito negativo em nível federal, o que contamina as ações políticas em todos os municípios, e Inhumas não é diferente. Mas mesmo assim creio que vale a pena participar da política, o cidadão precisa se politizar, porque é uma maneira que tem de melhorar a vida da pessoa, a nossa comunidade. Acredito que estamos evoluindo, o eleitor está mais participativo, mais exigente.

O país precisa de um novo pacto federativo para resolver o grande nó que impede seu pleno desenvolvimento?
Esse é um nó cego e essas discussões vão demandar tempo. Quem tem recurso em mãos não vai  querer abrir mão dele. As receitas de municípios como Inhumas, 93% delas vêm dos governos ederal e estadual e apenas 7% são recursos próprios (ITBI, ISS, IPTU). A União concentra quase 72% de todos os recursos arrecadados hoje no Brasil. De tudo isso, menos de 20% chegam até os municípios. E é no município que está a demanda por saúde, educação, o asfaltamento, a iluminação.. É lá que essas demandas existentes requerem um cuidado, uma resposta imediata e muito maior. Então, é um cenário muito prejudicial aos prefeitos, mas eu não vejo saída a curto prazo para que isso mude. Precisamos resolver o mais rápido possível esse problema de concentração de verba principalmente nas mãos da União.


Projeto garante crescimento ordenado sem especulação imobiliária no município

O senhor tem conseguido controlar a expansão urbana em Inhumas?
Assim que assumi contratamos uma equipe muito qualificada encabeçada pelo Luiz Fernando Cruvinel, o Xibiu, que fez um excelente projeto de expansão para o município de Inhumas, que delimita toda uma região com mais de 200 alqueires de terra. Esse crescimento será escalonado, regulamentado pelo Plano Diretor, de modo que não tenhamos vazios urbanos e que seja  respeitado sempre um macrosistema viário, adensamento, parvimentação etc. Portanto será uma expansão de forma ordenada, coordenada e organizada.

Está em fase de implantação?
A proposta de lei está tramitando na Câmara Municipal e deve se tornar lei no início do ano, regulamentado tudo isso, evitando a especulação imobiliária e o crescimento desordenado.

Inhumas tem Distrito Industrial?
Tem. Tem polos industriais especificos para cada setor produtivo e nós lançamos a pedra fundamental, no último dia 24, do Distrito Industrial Municipal. Já temos 10 empresas que vão se instalar lá, com investimentos da ordem de R$ 60 milhões e com geração de três mil empregos diretos. Fica às margens da rodovia GO-070, aproveitando essa importante via.

Como está a implantação?
As ruas já foram abertas, queremos pavimentá-las ainda este ano para que as empresas já possam se instalar.


 

Gestão eficiente garante equilíbrio entre receita e despesa

Com essa crise geral nas prefeituras, além das obras o senhor está conseguindo manter a folha dos servidores em dia?
Estamos pagando a folha em dia, dentro do que é facultado pela lei. Pagamos 90% dentro do próprio mês trabalhado e 10% até o dia cinco do mês seguinte.

E o décimo-terceiro?
Em dia para todos os servidores, já que pagamos no mê de aniversário do servidor.

A prefeitura enfrenta déficit orçamentário?
Não. Está com as contas equilibradas, dentro da normalidade. Temos agido com muita responsabilidade, tendo um controle rígido das contas públicas.

Como está a relação com seu partido, o PDT?
Sou filiado ao PDT, me sinto em casa. O PDT em Goiás é muito bem conduzido pelo presidente, George Moraes, e é um partido que me dá muita liberdade, muito espaço e apoio, principalmente através da deputada federal Flávia Moraes. Estamos na base do governador Marconi Perillo, colaborando com o desenvolvimento de nosso Estado.

1 COMENTÁRIO

  1. O único cais da cidade de Inhumas está a ver navios em dias de chuva, pois o alagamento que fica dentro dele quase da pra por um barco, e o bom prefeito vai entregar um pronto socorro perto das eleições, que bonito!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here