Todos contra a dengue

0
3361

Um país ser derrotado por um mosquito é uma das evidências inegáveis de que ainda estamos distante da sociedade que sonhamos. As causas da dengue são conhecidas e perfeitamente possíveis de ser combatidas.

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão se dá pelo mosquito Aedes Aegypti que, após um período de 10 a 14 dias contados depois de picar alguém contaminado, pode transportar o vírus da dengue durante toda a sua vida.
O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria em velocidade prodigiosa e o mosquito da dengue adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de três a 15 dias para a doença se manifestar, sendo mais comum cinco a seis dias.
A transmissão da dengue raramente ocorre em temperaturas abaixo de 16° C, sendo que a mais propícia gira em torno de 30° a 32° C – por isso ele se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. A fêmea coloca os ovos em condições adequadas (lugar quente e úmido) e em 48 horas o embrião se desenvolve. É importante lembrar que os ovos que carregam o embrião do mosquito da dengue podem suportar até um ano a seca e serem transportados por longas distâncias, grudados nas bordas dos recipientes. Essa é uma das razões para a difícil erradicação do mosquito. Para passar da fase do ovo até a fase adulta, o inseto demora dez dias, em média. Os mosquitos acasalam no primeiro ou no segundo dia após se tornarem adultos. Depois, as fêmeas passam a se alimentar de sangue, que possui as proteínas necessárias para o desenvolvimento dos ovos.
Como se vê o grande problema da dengue é a proliferação do mosquito transmissor da doença, o Aedes Aegypti, semelhante a uma muriçoca. Interrompendo o ciclo de vida do mosquito, impedido sua procriação e proliferação, a população estará automaticamente se protegendo da doença. Mas infelizmente a população ainda não se conscientizou da importância de tomar medidas simples, como limpar o quintal e eliminar qualquer possível criatório do mosquito. Somente com a participação de todos essa guerra será vencida.
Portanto, é altamente oportuno o movimento “Goiás contra o Aedes”, lançado na terça-feira passada, dia 15, pelo governo de Goiás e que irá percorrer todos os imóveis do Estado com o objetivo de combater o mosquito Aedes aegypti. O trabalho será feito em conjunto pela Secretaria Estadual de Saúde, secretarias municipais, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, agentes de endemias, agentes comunitários de saúde, professores das escolas públicas e voluntários.
O objetivo é visitar todos os três milhões e 120 mil domicílios de Goiás até o dia 31 de janeiro e repetir o trabalho em fevereiro, abril e junho para garantir que todos os imóveis sejam vistoriados e seus proprietários orientados. É uma iniciativa de grande monta, mas imprescindível para o real enfrentamento da dengue. Essa ação institucional, envolvendo todas as esferas de governo, mas a participação de cada cidadão, com certeza reduzirá significativamente os números da dengue em Goiás.
Um povo inteiro não pode ser derrotado por um mosquito. É preciso conscientização para enfrentar essa epidemia que já fez tantas vítimas no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here