Combate ao Aedes aegypti reúne 80 prefeitos nesta terça

0
720

Com 187 mil notificações de dengue, 125 casos suspeitos de chikungunya e 41 de zika vírus, o sinal de alerta está ligado devido ao cenário epidemiológico em Goiás. Por isso, a Secretária da Saúde (SES) decretou emergência em Saúde Pública e criou o movimento Goiás contra o Aedes, que promove uma grande mobilização com os atores sociais e políticos na tentativa de combater o mosquito transmissor das três doenças. Mais uma ação do movimento será realizada nessa terça-feira, dia 29, com uma reunião de 80 prefeitos goianos, no Conecta SUS, em Goiânia.

O objetivo é sensibilizar os gestores para fomentar a mobilização local, fazendo com que a meta de visitar todas as 3,2 milhões de residências do Estado até o dia 31 de janeiro seja alcançada. Nesta terça, os encontros serão definidos em quatro etapas com a participação de 20 prefeitos em cada uma delas. As reuniões acontecem no período da manhã, às 8 e 10 horas, e à tarde, às 14 e 16 horas. Participam dos eventos representantes da SES, do Corpo de Bombeiro Militar (CBM) e do Conselho de Secretários Municipais de Goiás (Cosems).

Haverá apresentação do cenário epidemiológico de Goiás, da logística necessária para as ações e do que será necessário para os prefeitos promoverem as atividades. No encontro será discutida a execução do Dia D do Goiás contra o Aedes, que acontecerá nos dias 6 e 8 de janeiro, com uma mobilização de 40 municípios por dia. “O prefeito é uma figura decisiva para formar a força-tarefa local, combatendo o mosquito Aedes e reduzindo as doenças da população”. O comentário do governador Marconi Perillo reflete a importância da participação do gestor na mobilização.

Segundo o secretário Leonardo Vilela, Goiás assume a prevenção em toda sua força. “Para proteger os goianos de doenças letais, graves e algumas sem precedentes na medicina mundial, a SES instalou a força-tarefa e todas as condições para o combate ao Aedes. Estamos em uma verdadeira guerra contra o mosquito”, finaliza o secretário.

Estado de Emergência
Em Goiás, a Saúde estadual adotou as providências logo após a notificação do primeiro caso de microcefalia suspeito de ter relação com o zika vírus. Veja algumas das medidas:
-Editou resolução que tornou compulsória a notificação de todos os casos de zika ocorridos no Estado. A notificação é obrigatória a todos os profissionais de saúde, bem como aos coordenadores das instituições de saúde públicas e privadas responsáveis pelos atendimentos aos pacientes;
-Encaminhou nota técnica às unidades de saúde para formulação do padrão de microcefalias em Goiás no intuito de identificar mudanças na ocorrência das microcefalias;
-Para o gerenciamento de crise, a Sala de Situação com foco em Aedes aegypti, que funciona no Conecta SUS, passou a trabalhar em conjunto com o Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs) e o Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBM-GO), para construir uma agenda de mobilização a fim de eliminar os criadouros do mosquito Aedes aegypti. (goiasagora)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here