Pressão na Saúde pode trazer mudanças no Governo

0
1583

Enquanto o Sintras pressiona o Governo do Estado para pagar direitos trabalhistas dos profissionais da área de Saúde, tais como adicional noturno e insalubridade, um grupo de médicos estaria pressionando de outro lado para que o secretário Samuel Bonilha seja trocado por um médico do Rio de Janeiro. Tratativas com este médico estariam sendo feitas desde o ano passado pelos profissionais do Tocantins e setores da Saúde apontam que a troca não teria sido efetuada porque o tal queria um salário muito superior aos vencimentos atuais dos secretários estaduais.

Desde o final do ano, comentários sobre a saída de Samuel Bonilha da pasta intensificam-se não só nos corredores das unidades de Saúde e da própria secretaria, como em outras divisões do governo. Bonilha, entretanto, vem enfrentando as crises e ido para a linha de frente, dando a entender que continua no comando.

Enquanto isso, a população tocantinense continua a sofrer com a gestão ( ou a falta dela) de vários hospitais, que continuam com falta de materiais básicos e, sobretudo, para as cirurgias. Neste cenário, muitos médicos se negam a cumprir seu dever e dão como desculpas a falta de condições de trabalho. A população fica sem as cirurgias que necessita e muitas pessoas correm o risco de perder a vida.

Nos bastidores, a batalha dos médicos contra o secretário de Saúde que cortou vários benefícios financeiros e tenta fazê-los trabalhar é grande. Muitos médicos ganhavam plantões normais e extras sem cumpri-los. Outros ganhavam por plantões presenciais e prestavam apenas plantão de sobreaviso. Enquanto isso, atendiam em consultórios ou hospitais e clínicas particulares.

Como já citamos aqui, o Governo do Tocantins gasta muito com funcionários que pouco ou nada rendem. Os gastos com a Saúde só aumentam a cada ano e os problemas continuam se ampliando também.

Temos que fazer jus aos médicos que trabalham de verdade e se dedicam a salvar vidas. Eles não são poucos, mas são prejudicados e pressionados pelos maus profissionais. Já vi o caso de uma médica que dobrou seu plantão num final de semana num hospital público porque os outros médicos se recusam a fazer plantões em finais de semana. Isso, porque são os profissionais mais bem pagos do Estado, como já dissemos neste espaço. Alguns chegaram a ter ganhos mensais superiores a R$ 100 mil.

Falta de ar

Não é problema de respiração. É que em alguns órgãos do Estado a situação tá tão ruim que os aparelhos de ar condicionado não são consertados há vários meses. Daqui a pouco vai ter funcionário indo trabalhar de bermuda, camiseta cavada e chinelão, levando também o protetor solar.

Telefones cortados

E se tem problema para pagar manutenção de ar condicionado, imagina a conta telefônica como não está.

13º

Funcionários que ganham salários acima de R$ 3.500 no Executivo tocantinense aguardam ansiosamente o pagamento do 13º salário de 2015.

Faturando

A Prefeitura de Palmas abriu concurso público para o cargo de Procurador do Município. São apenas três vagas com um salário de pouco mais de R$ 15 mil. O detalhe interessante deste concurso é o valor da inscrição de R$ 250,00.

Problema à vista

Se não quitar repasses com o Igeprev-TO até o final de janeiro, o Governo do Tocantins pode perder novamente o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP). Sem isso, nada de convênios e nada de repasses voluntários do Governo Federal, dentre outros problemas.

Viúvas

Se o Igeprev-TO passou (ou passa) problemas com as aplicações financeiras, passa também com pessoas que tentam fraudar o Instituto com pensões indevidas. Um caso interessante é de um auditor fiscal que morreu após sua esposa ter morrido. Logo depois, um pedido de pensão de uma suposta “namorada” do sujeito, que trabalhava na divisa da Bahia e a dita cuja em Belém. Pode Arnaldo?

Pós mortem

Uma outra “senhora” separou-se do marido e assim foi por mais de 10 anos antes que o fulano, também auditor fiscal, morresse. Agora, mais de 15 anos depois que o cidadão se foi para o além, a ex-mulher conseguiu na Justiça uma declaração de União Estável, porque ela cuidou dele quando estava doente. O pior é que ela quer receber os atrasados também.

Candidaturas

Tem gente transferindo domicílio eleitoral de Palmas para outros municípios com a finalidade de ser candidato a algum cargo público.

Calendário

A partir deste mês as pesquisas sobre intenções de votos dos eleitores para a sucessão municipal só podem ser feitas se registradas na Justiça Eleitoral.

Prefeitos

O governador Marcelo Miranda recebeu os prefeitos esta semana no Palácio Araguaia. Com a corda no pescoço, os alcaides esperam que o governo pague os repasses constitucionais devidos aos municípios e, de preferência, com uns trocados a mais. (Do Site Agora-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here