“Eu estava no lugar certo, na hora certa”

0
1977
Wendell Lira ao chegar no Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, é cercado pela imprensa e por uma multidão de torcedores que o aguardava para comemorar com ele o Prêmio Puskás

Wendell Silva Lira é a bola da vez. Aos 27 anos, o atacante do Vila Nova viveu a semana mais intensa de sua vida, comparável à agitação típica de astros do futebol mundial. Após ser laureado com o prêmio Puskás, batendo nada menos que Lionel Messi, com o gol mais bonito do ano de 2015, o jogador voltou à realidade dos treinos preparatórios para o início do Campeonato Goiano, em que deve estrear no próximo dia 31, se permanecer no time goiano. Mas antes passou por uma verdadeira maratona de viagens, ida e volta à Suíça, recepção calorosa no aeroporto de Goiânia, entrevistas para inúmeras emissoras de TV e rádio. E, claro, ele falou com a Tribuna do Planalto. À repórter Fabiola Rodrigues, Wendell Lira conta como aconteceu o gol que mudou radicalmente sua vida, tirando-o do anonimato e o colocando nos píncaros da glória. Obviamente, toda explicação para um lance capital como aquele é insuficiente, daí a beleza inigualável de um gol perfeito. “Não tenho como descrever, só posso agradecer a Deus por tudo que tem acontecido na minha vida”, resume. Na entrevista, ele fala ainda dos sonhos que pretende realizar e seus projetos imediatos para este ano. E revela que, não fosse seu gol, votaria em Messi, como autor do gol mais bonito de 2015. Religioso, ele profetiza: “Se trabalharmos certo, Deus vai abençoar mais ainda”.


Fabíola Rodrigues

Tribuna do Planalto – Depois de fazer o gol mais bonito do mundo em 2015, qual é o sonho de Wendell Lira?
Wendell Lira – O meu sonho é continuar dando sequência nessa carreira. O futebol é tudo que eu sei fazer na vida, é meu sustento e minha paixão. Espero que daqui para frente eu tenha maior visibilidade e consiga realizar outros sonhos, como ter uma casa própria e conseguir outros bens. Acredito e muito que um sonho para ser realizado precisa de foco e esforço, eles andam juntos. Talvez o que vai acontecer com meus sonhos a partir de agora eu não saiba muito bem ainda, mas tenho bons pensamentos para os projetos da minha carreira e quero dar uma condição melhor de vida para minha família. Isso tudo que está acontecendo já é a realização de um dos meus sonhos. Os demais espero que também aconteçam.

Se o troféu do gol mais bonito não fosse dado para você, quem você acha que seria o grande merecedor?
O gol do Lionel Messi foi muito bonito. Se o prêmio não tivesse ficado comigo eu escolheria ele, porque foi um gol fantástico. Ele estava em final da Copa do Rei, driblou quatro jogadores e ainda fez o gol, foi uma grande jogada. Ele também é umas das minhas referências do futebol, sei que ele joga muito, isso é resultado do trabalho e treino que ele dedica. Concorrer a um prêmio com Messi é muito bom. Se eu não fosse o ganhador da vez, o meu voto seria para ele.

Como você considera aquele gol? Foi um lance de sorte ou planejado?
O gol que eu fiz ele aconteceu, a jogada foi sendo desenhada pelo time e acabou saindo essa pintura. O entrosamento do time trouxe o resultado daquele golaço. Precisamos aproveitar as oportunidades que vão sendo dadas. Naquele lance eu estava no lugar certo e na hora certa. Eu não havia planejado a jogada, claro que como todo jogador eu queria fazer gols, mas aquele foi “o gol”. Deus planeja as coisas certas na hora certa, no momento certo, tudo aconteceu de uma maneira especial, não tenho como descrever, só posso agradecer a Deus por tudo que tem acontecido na minha vida.


“Se aparecer algo muito bom, ­claro que pretendo sair [do Vila]”

Você pretende continuar essa temporada inteira no Vila Nova ou já sonha com um time da série A ou de outro país?
Tem um mês que estou no time do Vila Nova. Sobre a minha carreira no futebol ainda não sei como vai ser. Estou focado aqui no meu time, mas se aparecer alguma coisa muito boa, claro que eu pretendo sair. Tem algumas coisas que andam aparecendo, estão sendo novidades para mim. Quero apresentar um bom futebol, o Vila é um time que já me procurou três vezes, isso é uma forma de valorizar o jogador. Valorizar a base é fundamental para o grande sucesso na vida. Sem um bom alicerce não tem como construir uma boa casa.

O campeonato goiano está próximo de começar. Como você pensa em atuar jogando pelo Vila após esse prêmio?
Meu pensamento agora e focar no campeonato goiano que começa dia 31 de janeiro. Este ano vai ser um ano importante para o Vila Nova e eu pretendo trabalhar muito, porque eu sei que, se trabalharmos certo, Deus vai abençoar mais ainda. Espero escrever muito mais história em minha carreira.

O gosto pelo futebol vai para fora do campo?
O amor pelo futebol vai além do campo, gosto muito de jogar videogame também. No jogo virtual já joguei com grandes nomes de futebol e ter concorrido a um prêmio como esse junto com alguns deles foi muito bom. Desde menino gostei de jogar videogame. Tinha vezes que saía da escola e já ia jogar, minha mãe até brigava muito e gosto de jogar até hoje.

O futebol teve influência na sua vida pessoal, de que maneira?
Na minha vida pessoal, sempre tentei ser correto também, o futebol me ajuda a ser uma pessoa mais disciplinada, isso nos faz ser pessoas melhores. Compreendo que existe o tempo de ganhar e de perder, e que precisamos superar os desafios do dia-a-dia e que, com certeza, eles são vencidos. Isso eu aprendi desde novo e busco aplicar em minha vida.


 

“Quero manter os pés no chão”

Após ganhar esse prêmio, como você pretende administrar sua carreira?
Mesmo com esse prêmio que ganhei e o mundo me vendo, quero manter os pés no chão. Se cheguei aqui sendo essa pessoa, não tenho por que mudar. A humildade e o foco precisam andar juntos. Não deixar de ser o mesmo e procurar ser realista é o meu desejo, para que minha carreira seja sempre bem-sucedida. Quero me dedicar ao máximo nos meus treinos e fazer desde ano um ano de crescimento.

Você já contratou alguma equipe de assessores para aproveitar esse momento em sua carreira? Ou tudo está como antes?
Não contratei ninguém ainda para me assessorar, quero continuar trabalhando e sendo a mesma pessoa. Claro que se eu tiver algum tipo de ajuda e aparecer alguém para me assessorar vai ser bom. Vamos dando um passo de cada vez, tudo aquilo que de alguma maneira vai nos ajudar será bem-vindo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here