Mais de 600 mil alunos iniciam ano letivo no Estado

0
3806
O período de matrículas começou em novembro e passou por dois processos, sendo o primeiro deles via internet ou telefone e o segundo foi a efetivação da matrícula, presencialmente

Na rede estadual, mais de 473 mil estudantes iniciaram na quarta-feira passada o ano letivo em 1.160 escolas , sendo 172 de tempo integral. Desse total de vagas, 72.820 foram preenchidas por alunos novatos

Da Redação

Mais de 473 mil estudantes iniciaram o ano letivo em 1.160 escolas da rede estadual, sendo 172 de tempo integral, na quarta-feira passada, dia 20. Desse total de vagas, 72.820 foram preenchidas por alunos novatos. Segundo a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), o número de matrículas pode aumentar até o final de fevereiro porque aqueles que perderam o período de solicitação de vagas pela internet podem fazer as matrículas diretamente nas escolas.
O período de matrículas começou em novembro do ano passado e passou por dois processos. No primeiro deles, via internet ou telefone, o aluno selecionou três opções de escolas onde desejaria estudar. Baseado na demanda, o sistema distribuiu automaticamente as vagas. A segunda etapa foi a efetivação da matrícula, que só poderia ser feita presencialmente pelos pais ou responsável na unidade selecionada até o dia 15 de janeiro.
“Como a efetivação só pode ser concluída pelo diretor ou coordenador dentro da escola, que é onde ficam os documentos, temos uma situação variável no caso das ocupadas”, disse.
De acordo com a secretária Raquel Teixeira, já que as matrículas não puderam ser efetivadas nas 25 escolas ocupadas, os alunos têm a opção de solicitar a transferência para outra unidade.
“É só escolher e ir até lá com os documentos solicitando transferência. A equipe estará preparada para efetivar a matrícula. Todos os alunos serão atendidos no seu direito de estudar”, frisou.
O período para a transição terminou na sexta-feira, dia 22. Já o aluno que insiste em estudar na unidade ocupada terá que aguardar. A Seduce não informou o número de alunos que não retornou as aulas por causa das escola ocupadas, porque têm alunos fazendo matrículas em outras unidades escolares.
“No momento em que a escola for desocupada e reorganizada, a Secretaria vai realizar um novo calendário escolar específico para cada caso. A partir do novo calendário, a gente começa as aulas naquela escola ocupada”, completa.

Documentação
Outro serviço que foi comprometido por consequência das ocupações diz respeito à emissão de documentos específicos, como certificados e transferências. Raquel explicou que no início do ano é comum que os alunos em fase de transição do ensino médio para as universidades procurem as escolas para garantir os documentos necessários.
“Para essas pessoas não temos como oferecer os documentos, porque ficam arquivados na escola. O que pedimos é que nos encaminhe por escrito a solicitação. A Secretaria responderá por escrito que está impossibilitada de oferecer aquele documento por razões logísticas. De posse dessa negativa administrativa, o aluno pode recorrer aos meios judiciais para efetivação de matrícula na universidade. Podemos e vamos oferecer uma declaração”, concluiu.


Goiânia: meta é atender crianças com 4 e 5 anos

Em Goiânia, as aulas na rede municipal de educação começaram no dia 19 de janeiro
Em Goiânia, as aulas na rede municipal de educação começaram no dia 19 de janeiro

A Prefeitura de Goiânia também iniciou o atendimento aos alunos da rede municipal de educação, a volta às aulas foi dia 19 de janeiro. Foram cerca de 130 mil matriculados, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos que começam as aulas em mais um ano letivo. Até o final de dezembro, serão 200 dias de atividades nas 361 unidades que prestam atendimento educacional gratuito à população goianiense.
A secretária de Educação e Esporte, Neyde Aparecida, abriu oficialmente o calendário escolar no Centro de Educação Infantil (CEI) Assunção, unidade de convênio total, no Setor Morada do Bosque. O local foi inaugurado em dezembro de 2015, coma 60 vagas, e recebe as primeiras crianças este ano.
Neyde Aparecida informou que o crescimento da Educação Infantil na rede pública da Capital, avançou em mais de 500% no número de vagas, passando de 4,2 mil crianças atendidas em 2004 para 28,9 mil em 2015.
“Neste ano, o objetivo é atender todas as crianças com 4 e 5 cinco anos de idade, que é o que está previsto em lei. As crianças de zero a 3 anos, a própria lei diz que nós teríamos até 2021 para atender 50%. Hoje, a secretaria já atende mais de 50% nessa faixa etária”, comentou Neyde.


Empresário e jornalista dá nome a escola

Secretária Estadual de Educação, Raquel Teixeira, durante a inauguração
Secretária Estadual de Educação, Raquel Teixeira, durante a inauguração

A secretária  de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce), Raquel Teixeira, que representou o governador Marconi Perillo, inaugurou na manhã quarta-feira da semana passada o Colégio Estadual Roberto Civita, escola Padrão Século XXI, que vai beneficiar os moradores do Residencial Kátia e bairros vizinhos, região Sudeste de Goiânia. Reivindicação antiga da população local, a escola foi construída numa área de 8,5 mil metros, na confluência da Avenida Orlando Marques de Abreu com a Rua Goiany Prates. Tem capacidade para atender 1.160 alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e dos três anos do Ensino Médio.
A inauguração contou também com a presença de diversos superintendentes e gerentes da Seduce, além do jornalista Felipe Frazão, que integra a equipe da Revista Veja em Brasília e veio representar a família de Roberto Civita, homenageado com o nome da escola. Empresário da área de comunicação, fundador da revista Veja e à frente do Grupo Abril por mais de 30 anos, Roberto é filho de Victor Civita, que em 1985 criou a Fundação de mesmo nome e foi o grande idealizador do prêmio Educador Nota Dez, considerado o “Oscar da Educação no Brasil”, conforme destacou a secretária Raquel Teixeira em sua fala.

Padrão de qualidade
Com área construída de 3.084.75 m2, o Colégio Estadual Roberto Civita integra uma série de unidades educacionais que atendem o modelo Padrão Século XXI, projeto arquitetônico criado pela secretária Raquel Teixeira em sua primeira passagem pela Seduce e que prima por proporcionar segurança e bem estar aos professores e alunos. A obra, que está orçada em R$ 3,17 milhões, foi erguida com recursos do Governo de Goiás e do Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE).
A mais nova escola da rede estadual de educação tem capacidade para atender 1.260 alunos nos três turnos, com turmas de Ensino Fundamental, no matutino e vespertino, e do Ensino Médio, à noite. As aulas do primeiro semestre se iniciaram nesta quarta-feira, 20/01, com 1.100 estudantes, sendo que o processo de matrículas ainda está em aberto.
A escola está distribuída em nove blocos, sendo 12 salas de aula, laboratórios de informática e de ciências, salas para diretoria, secretaria e grêmio estudantil; cozinha, refeitório, auditório, biblioteca e área de convivência externa com capacidade para 40 cadeiras móveis. O último bloco é uma quadra poliesportiva coberta, obra que já foi licitada e será iniciada em março.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here