Prefeitura de Goiânia e Exército realizam frente de combate ao Aedes aegypti

0
1280

Ação terá início no dia 13 deste mês e tem como foco principal lotes e residências fechadas

 

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia participou de reunião com o Exército para organizar uma mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti. O encontro contou também com a participação de representantes das secretarias de saúde de Aparecida de Goiânia, Anápolis, Senador Canedo e Trindade. A participação do Exército foi determinada pela presidência da República para auxiliar os municípios no processo de planejamento e visitas às residências.

Ao todo serão disponibilizados cerca de 1.699 soldados, que trabalharão em conjunto com os agentes de endemias e comunitários em toda a região metropolitana. A ação terá inicio no próximo dia 13, quando os soldados serão capacitados pelos servidores das secretarias de saúde. As visitas começam no dia 15 e seguem até o dia 18, priorizando os locais fechados.

Segundo o secretário de saúde de Goiânia, Fernando Machado, cerca de 60% dos lotes e residências fechadas na Capital contém focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. “Nós sabemos da dificuldade de se combater o Aedes aegypti, já que ele se tornou uma arma biológica, que transmite diversas doenças. Mas a ajuda do Exército será um grande passo para esse combate”, afirmou o secretário.

Ao todo, serão cerca de 4 mil pessoas envolvidas na ação, incluindo soldados e agentes de endemias e comunitários. Ainda segundo Fernando Machado, após estes cinco primeiros dias de trabalho, um novo planejamento será realizado para continuação das ações até o fim do período chuvoso, caracterizado por grande incidência de focos do mosquito.

Goiânia conta hoje com mais de 600 mil imóveis e a meta da secretaria é visitar pelo menos 60% deles no período mínimo de 30 dias. O chefe do comando de operações especiais de Goiânia, Mauro Simote, lembrou que é preciso que cada cidadão faça a sua parte no combate ao mosquito. “Se cada pessoa contribuir com um ou dois minutos por dia, pode fazer uma grande diferença. Cada cidadão hoje é um soldado fazendo frente e enfrentando o Aedes aegypti”, afirmou. Desde a criação da lei de multas para proprietários de residências com focos, no ano passado, já foram cerca de R$ 1,2 milhão em multas na Capital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here