“Implantaremos política de tolerância zero”, diz José Eliton

0
1115
Vice-governador José Eliton aceitou o desafio e passa a cuidar de uma área sensível e com alto poder de penetração em todas as camadas sociais

Afirmação foi feita pelo novo secretário de Segurança Pública, José Eliton, ao anunciar troca no comando da PM e da PC

Ronaldo Coelho

Com discurso duro de combate à onda de criminalidade que assola o Estado de Goiás, principalmente a Região Metropolitana de Goiânia (RMG), o novo secretário de Segurança Pública, José Eliton Figuerêdo, agrada a população por demonstrar interesse em atacar um problema muito sério e que, por enquanto, parece incontornável.
Mas tudo que é feito para melhorar, ou pelo menos para tentar melhorar, é válido. E as mudanças já podem ser vistas nas ruas da capital que, subitamente, foi ocupada em pontos estratégicos por blitzen monstruosas.
Toda a sociedade sabe que essas medidas drásticas, adotadas no calor do clamor social, são paliativas. Há uma séria crise financeira e o efetivo de policiais é risonho para os dias de hoje. Goiânia, por exemplo, duplicou de tamanho nos últimos anos e o policiamento nas ruas encolheu.
Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública mostram que, há 10 anos, 3,5 mil policiais militares atuavam em Goiânia e que atualmente são apenas 1.582 homens, o que configura uma redução de 54% no efetivo, enquanto a população goianiense cresceu 14%, de 1,2 milhão para 1,4 milhão de habitantes.
A sensação de insegurança se transformou um fato real e hoje não há segurança nem dentro nem fora de casa. A quantidade de policiais militares nas ruas das cidades goianas é menor do que o efetivo dos anos 1980.
Esta é uma realidade assustadora e desoladora, mas todo alento é importante. Pelo menos no discurso, que propõe aumento de efetivo e investimentos de recursos no setor, as coisas parecem melhorar um pouco.
Se não há outra forma, o discurso, muitas vezes, esconde a ineficiência do Estado e passa uma mensagem de que há governo em Goiás, principalamente para combater os criminosos.
E foi desta forma que o vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton, agiu ao anunciar na tarde de sexta-feira, dia 26, nas redes sociais, os nomes dos novos comandantes das Polícias Civil e Militar.
Dando um chute no passado, José Eliton garantiu que o policiamento será mais eficiente de agora em diante e que o governo vai adotar ações enérgicas e concretas nas suas rotinas de combate ao crime. “O policiamento será ainda mais ostensivo nas ruas, com todas as estruturas de prontidão numa intensa varredura contra os criminosos. Vamos valorizar ao máximo a transparência, com relatórios periódicos sobre os registros e os resultados alcançados. Não podemos mais permitir que bandidos tenham a segunda ou a terceira chances para voltar a cometer as atrocidades que tiram de nossa convivência preciosas vidas”,  afirmou.
Pelo que deixou a entender, José Eliton quer estabelecer política de proteção da sociedade e dos próprios policiais, constantemente vítimas dessa bandidagem. “É preciso que a sociedade compreenda o policial como um amigo. É a pessoa que vai ajudar, é o cidadão que está presente em todos os momentos. Vamos desenvolver um aparato de defesa judiciária para os policiais, para que exerçam a profissão com tranqüilidade”.

Tolerância zero
Quanto aos bandidos, a tolerância será zero, avisa José Eliton. “Estejam certos: as forças especiais da polícia vão para as ruas. Bandido tem que ter medo da polícia”. E ele acrescenta: “Vamos aumentar o contingente policial. Implantaremos política de tolerância zero em todas as ações da secretaria. Nossa missão é a de defender o interesse público. A ação que nos orientará é a contribuição para uma sociedade mais justa”.

Novos comandos
O coronel Divino Alves de Oliveira é o novo comandante-geral da Polícia Militar de Goiás em substituição ao coronel Sílvio Benedito Alves. Já o coronel Sílvio Vasconcelos Nunes assumiu a chefia do Estado Maior Estratégico em substituição ao coronel Victor Dragalzew Junior.
O delegado Álvaro Cássio dos Santos, que estava na 2ª Delegacia Regional de Anápolis, é o novo diretor-geral da Polícia Civil em subistituição ao delegado João Carlos Gorski. O coronel Edson Costa Araújo foi mantido na Superintendência Executiva da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária.
O governo reagiu a um momento crítico e ataca um problema muito sério. Pena que foi depois de tantos policiais morrerem pelas mãos dos bandidos e depois da morte de uma estudante, Nathalia Zucatelli, que chocou todo o Estado de Goiás.


Marconi apoia política ostensiva proposta por novo secretário

Eliton com o governador Marconi Perillo: apoio mútuo
Eliton com o governador Marconi Perillo: apoio mútuo

“José Eliton tem capacidade técnica, é um conhecedor das leis e tem meu apoio”, disse o governador Marconi Perillo, ao empossar, na quinta-feira,dia 25, o vice-governador José Eliton no cargo de secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, numa clara demonstração de confiança na escolha do nome dele para comandar a Pasta que tem pela frente grandes desafios. De acordo com o governador, problemas inerentes à Segurança Pública serão resolvidos com equilíbrio, de forma a reduzir os índices de criminalidade no estado.
Em seu discurso, Marconi destacou as qualidades de José Eliton e lembrou que sua escolha foi elogiada por auxiliares do governo de várias instâncias.  “Ao aceitar o convite, Eliton demonstra ser um homem de coragem, pois a missão é árdua”, sustentou. Para o governador, o vice José Eliton já vinha desempenhando excelente papel à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), e aceitar o novo desafio e sair da zona de conforto para comandar a Segurança só fez “aumentar o respeito” que tem por ele.
Segundo Marconi, a segurança pública é o maior desafio do estado de Goiás e uma luta nacional do ponto de vista estrutural e prático. “José Eliton vai contar comigo, com a Assembleia Legislativa, com sindicatos e com a sociedade; todos querem solucionar o problema, mas não vamos combater crime com crime, vamos fazer isso de forma inteligente”, destacou o governador.  Ele lembrou que Goiás já reduziu a curva dos homicídios e melhorou os índices de segurança, mas ainda é preciso avançar mais; e que, para isso, medidas como o aumento de efetivo e uma política de combate às drogas já devem ser implementadas. “A polícia vai pras ruas”, enfatizou.
Joaquim Mesquita, que deixa o cargo, se disse lisonjeado por ser substituído por um vice-governador. “José Eliton tem, em seu perfil profissional, competência técnica com tempero político”, declarou.  Thiago Peixoto, que assume a partir de agora a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, também manteve o tom de contentamento com as mudanças instituídas por Marconi Perillo. “Você (Eliton) foi o primeiro secretário de Desenvolvimento Econômico do estado, e essa sempre será sua casa”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here