PT deve realizar prévias em Goiânia

0
1420

A unidade não está descartada. A data para o possível duelo será definida em breve, mas já se sabe que será em março ou abril

Marcione Barreira, repórter de Política

Com cinco nomes na disputa, o PT ainda não construiu unidade em torno de um nome para concorrer à prefeitura de Goiânia. Contudo, a direção estadual da agremiação espera que não haja prévias uma vez que o processo pouparia o partido de um possível desgaste interno. O presidente metropolitano da sigla e deputado estadual Luis Cesar Bueno (PT) é um dos pré-candidatos e não dá mostras de que irá abandonar a disputa. “Não vejo abertura para desistência”.
Assim como Luis Cesar, os demais nomes não pretendem abandonar a disputa. Cada um com suas razões. O deputado Humberto Aidar defende independência da agremiação em relação ao PMDB e quer que a legenda tenha candidatura própria em Goiânia. Por outro lado, tanto a direção estadual quanto membros municipais, inclusive o prefeito Paulo Garcia (PT), defendem a aliança, pauta essa que foi objeto de reunião na última semana.
Com ou sem prévias o PT se reuniu na última sexta-feira, dia 26, no Rio de Janeiro para discutir entre outros assuntos as datas para a realização das prévias. Na reunião promovida pelo diretório nacional estiveram presentes o presidente da legenda em Goiás, Ceser Donisete, além do deputado Luis Cesar Bueno.

Aliança
Apesar de o sentimento de manutenção da aliança entre PT e PMDB estar cada vez mais distante, os petistas ainda não adescartaram. Especial-mente Ceser Donisete e Luis Cesar. “Estamos aguardando o PMDB se posicionar. Vimos a possibilidade de uma reunião com o PMDB e a gente espera que isso aconteça”, assegura Luis Cesar.
Apesar do entusiasmo de Luis Cesar há empecilhos nessa conjuntura. Uma delas é aunião do PMDB com o DEM, que desagrada os petistas de norte a sul. “Hoje nós vemos um lado do PMDB que quer o DEM e com o DEM nós não vamos caminhar de forma nenhuma”, ressalta.
Favorita para a disputa a deputada Adriana Accorsi (PT) terá que vencer internamente outros quatro nomes. Sendo dois de seus companheiros de bancada na Assembleia. Os deputados Humberto Aidar e Luis Cesar Bueno. Além deles, há outros dois nomes forte no partido: Marina Sant’Anna (PT) e Edwar Madureira (PT).
O presidente estadual do PT não nega que Adriana seja a favorita e argumenta que isso se dá por conta da votação expressiva que obteve na última eleição quando contabilizou, somente na capital, cerca de 31 mil votos. Entretanto, Donisete reforça que em caso de disputa todos terão igualdade.
Para ele, o fato de não haver desistência por parte de nenhum deles só fortalece o partido. “Cada um tem um perfil diferente, mas todos eles defende o projeto do PT. Isso é muito importante. O favoritismo da Adriana é mais pela votação que ela obteve em 2014”, frisa.

Unidade
Mesmo que haja um processo de disputa interna, o partido sairá unido. É quem garante Ceser Donisete. Para ele, após a disputa a união será inevitável. “A unidade será feita de uma forma ou de outra, mesmo que tenhamos as prévias. Mas vamos tentar a unidade em torno de um nome”, aposta.
Na visão da maioria dos petistas, as prévias tem que ser evitadaa. Muito embora o processo de escolha através de prévias seja positiva na avaliação de alguns, a falência do processo pode evitar que haja fissuras internas. “Estamos trabalhando para que não tenha a necessidade de eleição”, diz Donisete sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here