Sempre e tempo de estudar

0
2038
Horário alternativo proporciona o acesso à escola ao educando trabalhador

Rede municipal de ensino de Goiânia está com mais de 12 mil vagas abertas, com possibilidade de expansão, para quem tem mais de 15 anos e queira voltar a estudar

Luiz Fernando Nunes Hidalgo

A Secretaria Municipal de Educação de Goiânia (SME) apresenta nova proposta para Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja). Cerca de 12 mil educandos terão oportunidade de fazer formação do ensino fundamental em cinco anos. O objetivo é proporcionar educação de qualidade em tempo compatível com as necessidades dos alunos que na maioria são trabalhadores.
Uma instituição que vem chamando atenção no trabalho pedagógico com esta modalidade de ensino, no período noturno, é a Escola Municipal Agripina Teixeira Magalhães, localizada no Jardim Diamantina. Histórias como a da Sônia Maria Batista, que parou de estudar com 11 anos para trabalhar e que retornou aos com 43 anos, fazem parte deste cenário.
“Eu voltei a estudar para melhorar meu salário, porque saí de casa cedo e fui sempre sozinha trabalhando. Comecei a perceber o tanto que o meu salário era baixo, aí resolvi tomar a decisão de voltar a estudar”, afirma.
Outro exemplo exitoso é o de Ludmila dos Santos Leite, 26 anos, que se reencontrou com os estudos e agora com satisfação.
“Parei de estudar muito nova e ao observar meu irmãos pequenos indo para escola comecei a pensar: por que não volto a estudar também? Então procurei a escola, me matriculei e estou gostando muito”, ressalta.

Trabalho pedagógico na Eaja valoriza ações coletivas
Trabalho pedagógico na Eaja valoriza ações coletivas

Entre tantos relatos interessantes, a diretora Patrícia Glória Brito ficou sensibilizada com outra, de forma especial.
“Uma história que emociona muito é a do senhor Domingos, que veio para Goiânia aos 65 anos. Ele queria aprender a ler e identificar o ônibus que utilizava, mas não conseguia. Então estudou e aprendeu a ler e escrever. Com muita alegria dizia que a mãe dele nem ia acreditar em tudo isso, quando ele contasse para ela”, conclui.
A Escola Municipal Cel. Getulino Artiaga, na Vila Nova, também participa deste movimento em horário alternativo. Suas atividades pedagógicas ocorrem no período vespertino dentro de salas de extensão, localizadas em endereços de fácil acesso para o público trabalhador.
“Acho interessante esta aula à tarde porque eu, por exemplo, não teria condições de estudar nem de manhã nem à noite”, destaca a educanda Aparecida Neres da Silva.
A equipe da Gerência de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Geaja) da SME teve a responsabilidade de discutir, avaliar e reescrever a Proposta Político-Pedagógica (PPP) da Eaja em parceria com as Coordenadorias Regionais de Ensino (CRE) e Gerência de Formação dos Profissionais da Educação (Gefpe).
“Os alunos com mais de 15 anos que tiverem interesse de voltar a estudar podem procurar as escolas da rede municipal de Educação e Esporte porque em todas as regiões de Goiânia existem vagas disponíveis. Pois são mais de 12 mil vagas abertas com possibilidade de expansão. Outro ponto importante a ser evidenciado é que, com a nova proposta pedagógica da SME, os educandos poderão concluir o ensino fundamental em 5 anos”, ressaltou Marcos Pedro da Silva, diretor pedagógico da SME.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here