Prefeito de Palmas, Carlos Amastha faz manobra para votar aumento de IPTU depois das eleições

0
1027
O vereador Milton Neris classificou  a “tentativa de destituição” da liderança uma represália por parte da gestão municipal, a quem teceu críticas na tribuna. Neris comentou especialmente sobre uma possível manobra do Poder Executivo em relação à devolução do projeto que trata da revisão da planta genérica de valores imobiliários.
Conforme o vereador, a intenção do Executivo ao solicitar a devolução do projeto é reapresentá-lo à Câmara no mês de outubro, após o período eleitoral, por tratar-se de medida bastante impopular. “Querem devolver para mandar depois de outubro”, ressaltou Milton Neris, acrescentando que o objetivo seria o de “enganar o povo”.
O projeto, destacou Neris, propõe aumentar significativamente os valores cobrados pelo IPTU em 2017. O parlamentar citou como exemplo o valor atual do metro quadrado de algumas quadras da Capital, comparando com o preço proposto no projeto que tramita na Câmara.
Na quadra ARSE 14, por exemplo, o metro quadrado passaria de R$ 230,00 para R$ 600,00; na quadra ARSE 24, de R$ 200,00 para R$ 600,00; e no Jardim Taquari, de R$ 20,00 para R$ 140,00 o metro quadrado. Considerando as dificuldades econômicas da população, o vereador detonou: “E nesse momento o Executivo quer sangrar o povo de Palmas”.
Ao invés de devolver a matéria ao Executivo, Neris propôs uma  discussão mais ampla do projeto, de modo a promover uma revisão justa da planta, até mesmo com redução dos valores cobrados trazendo “a planta de valores para o valor real desta cidade”.
Carlos Braga (PMDB) considerou o momento oportuno para “aprimorar essa planta de valores”. O parlamentar defendeu a realização de audiências públicas para ouvir a população sobre o assunto, promovendo uma revisão  de acordo com as diversas realidades dos bairros da Capital.
Devolução do projeto
O presidente da Câmara, Rogério Freitas,  deixou claro que não usará da prerrogativa de presidente da Casa para devolver o projeto ao Executivo.  “Eu não devolverei a matéria”, enfatizou, afirmando que caberá aos vereadores a análise do projeto que tramita na Casa e sua aprovação ou não.
Criticando a oposição articulada por Milton Neris, que “estaria enveredando por outros caminhos”, o vereador Folha Filho (PTN) solicitou que a Mesa Diretora coloque em votação no plenário a proposta de devolução do projeto.
Folha, líder do prefeito na Câmara, destacou que a intenção da prefeitura é “fazer as correções necessárias’ no projeto, revendo falhas da administração.
CPI do Lixo
Ainda durante a sessão, o vereador Lúcio Campelo (PR) propôs a reabertura da CPI do Lixo, parada há 3 anos. O parlamentar, que assume a presidência da Comissão de Constituição de Justiça e Redação da Câmara, em função do afastamento do vereador Emerson Coimbra (PMDB), acredita que o momento é ideal para retomar a discussão que analisará os gastos, em torno dos R$ 180 milhões, da administração  com a limpeza da cidade.(Do Site Agora-TO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here