Pedido será analisado por juíza que trata de denúncia contra ex-presidente

Manoel Messias

O Ministério Público do Estado de São Paulo pediu à Justiça a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo que investiga a suspeita de crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica relacionados ao tríplex do Guarujá. Os promotores também pediram a prisão de Léo Pinheiro e executivos da construtora OAS, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. O pedido será apreciado pela juíza a que a denúncia foi distribuída.

Segundo documento publicado pelo site jurídico Jota, os promotores acusam Lula de atentar contra a ordem pública ao desrespeitar as instituições que compõem o Sistema de Justiça, especialmente a partir do momento em que as investigações do Ministério Público do Estado de São Paulo e da Operação Lava Jato se voltaram contra ele.

Os promotores afirmam que “Lula jamais poderia inflamar a população a se voltar contra investigações criminais a cargo do Ministério Público, da polícia, tampouco contra decisões do Poder Judiciário”, mas teria feito exatamente isso ao convocar entrevista coletiva após ser conduzido coercitivamente para ser ouvido em etapa da Operação Lava Jato.

Além disso, valendo-se de sua “rede político-partidária, Lula sempre buscou manobras para evitar que a investigação criminal do Ministério Público avançasse”, por exemplo, quando o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) entrou com pedido de medida liminar administrativa no Conselho Nacional do Ministério Público para suspender a investigação criminal.

O pronunciamento de Lula após o depoimento à PF em São Paulo na última sexta-feira seria, segundo os promotores paulistas, “conduta que fragiliza o Sistema de Justiça e põe em xeque o Estado Democrático de Direito”, e a principal razão a justificar a prisão preventiva. Os promotores citam ainda o vídeo em que o ex-presidente aparece gritando ao telefone para que a força-tarefa da Lava Jato, digamos assim, se livrasse do processo.

Nesta quinta-feira, os autores da denúncia contra Lula negaram, em entrevista coletiva, que o oferecimento de denúncia contra tenha motivação política. Lula foi denunciado por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Caso haja condenação, as penas para os dois crimes somadas variam de 4 a 13 anos de prisão.

É a primeira vez que o Ministério Público pede a prisão do ex-presidente, acusado de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica ao supostamente ocultar a propriedade do tríplex — oficialmente registrado em nome da OAS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here