Operação Esfacela desarticula quadrilhas especializadas em tráfico de drogas, roubo de veículos e a bancos

0
610
OP. ESFACELA - CHEGADA AO N

Investigações duraram um ano; presos foram encaminhados para Núcleo de Custódia. 
Vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton destacou
importância de operações especiais no combate aos crimes organizados 
e ressaltou que resultados são obtidos graças à integração das forças policiais
A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSAP) confirmou o desmantelamento de quadrilhas e a prisão de envolvidos em crimes como tráfico de drogas, roubo de veículos e a bancos, entre outros. A “Operação Esfacela” foi deflagrada às 4 horas desta quinta-feira (10), e contou com cerca de 200 homens que cumpriram, ao longo da manhã, 45 mandados de busca de apreensão e 45 mandados de prisão em diferentes cidades do Estado.

A ação foi coordenada pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), com ostensivo apoio e integração de outras forças policiais, como Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e equipes especializadas, como GT3, Graer e Bope. Também participaram integrantes do Grupo de Operações Penitenciárias (Gope) e do Grupo de Operações Regionais (Gore).

As investigações duraram cerca de um ano. Os policiais cumpriram os mandados de prisão na Capital e nas cidades de Catalão, Cristalina, Itumbiara, Luziânia, Mineiros, Morrinhos, Quirinópolis, Rio Verde e São Simão. Os presos foram levados para o Núcleo de Custódia, em Goiânia, onde ficarão sob o regime de segurança máxima.

Os delegados responsáveis pelas investigações, Breynner Vasconcelos Cursino e Cleybio Januário Ferreira, respectivamente titular e adjunto da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), também participaram de entrevista coletiva no auditório da SSAP ao lado do vice-governador e secretário José Eliton; do comandante geral da PM, coronel Divino Alves; e do diretor-geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio.

Eliton destacou a importância de operações especiais no combate aos crimes organizados e ressaltou que os resultados são obtidos graças à integração das forças policiais, do trabalho desenvolvido pelos serviços de inteligência e, também, pela sintonia entre as instituições. Ele citou os esforços para viabilizar os recursos financeiros que sustentarão a continuidade das ações e reforçou o comprometimento desprendido pelos demais poderes: “Temos recebido respostas imediatas dos Poder Judiciário e do Ministério Público para atacar as causas e implementar ações de combate ao comércio ilegal de peças automotivas e de uma série de outros crimes”, defendeu.

O delegado Januário explicou que a operação teve início há um ano, em Itumbiara, no sul do Estado, quando as investigações mostraram que criminosos – inclusive presos – se comunicavam para planejar e executar diversos crimes, como roubos de carros, assaltos a carros-fortes e explosão de caixas eletrônicos. “A partir daí, conseguimos identificar detentos que lideravam rebeliões e organizavam ações criminosas em vários locais”, afirmou.

O delegado titular da Draco, Breynner Vasconcelos, lembrou que a operação possibilitou à polícia evitar vários crimes em Goiás. “O uso do sistema de inteligência fez com que muitos crimes importantes não fossem concretizados pelos criminosos. Ficávamos sabendo com antecedência e o crime era inibido”, disse. Entre os crimes frustrados foi citado o roubo de uma carreta cegonha, lotada de veículos, em Rio Verde.

Sobre a dificuldade de coibir ligações e o uso de celulares nos presídios, o delegado garantiu que a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária tem buscado meios e recursos tecnológicos que evitem essa situação. “A empresa de telefonia que ganhou a licitação para fazer o bloqueio teve problemas de ordem técnica com a operadora. Mas o assunto em breve será definitivamente resolvido”.

Fotos dos policiais em reunião antes do início da operação; partindo para o cumprimento dos mandados de prisão; e imagens dos presos chegando ao Núcleo de Custódia: Wildes Barbosa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here