Fernando Neto desiste de candidatura a prefeito de Anápolis

0
1024
Fernando Cunha Neto (PSDB)

O PSDB de Anápolis está em polvorosa com a desistência do vereador Fernando Cunha Neto de disputar a prefeitura neste ano, anunciada na tarde de sexta-feira, dia 11. A notícia foi divulgada pela assessoria do vereador, que se limitou a dizer à redação da Tribuna do Planalto que a desistência “foi por motivos particulares” (teria sido um pedido da família). Fernando Neto não quis atender à ligações da jornal. Ele comunicou pessoalmente sua decisão aos correligionários. A escolha do nome de Fernando se deu durante reunião na noite de segunda-feira, dia 1º de fevereiro. O grupo tinha quatro nomes com interesse em ser candidato: Onaide Santillo, Alexandre Baldy, Fernando Cunha Neto e Ridoval Chiarelloto. Todos desistiram para apoiá-lo. Fernando Cunha Neto candidatou-se pela primeira vez a vereador em 2008 e foi eleito como o segundo parlamentar mais bem votado daquele pleito com 2.462 votos. Em 2012 foi reeleito para a Câmara Municipal de Anápolis com 1.912 votos e em dezembro do mesmo ano o parlamentar assumiu a presidência da Câmara Municipal. Ele ocupou também o cargo de superintendente do Programa Produzir. Assim que foi escolhido, voltou para a Câmara Municipal para articular sua candidatura até desistir da disputa na tarde de sexta-feira. Com a saída de Fernando do páreo, o PSDB anapolino volta à estaca zero e se reune emergencialmente nesta segunda-feira, dia 14, para avaliar o quadro e iniciar a discussão do nome do novo pré-candidato do partido em Anápolis.


“É de elevada repercussão social, em que há acusações contra ex-Presidente da República e requerimento de medidas cautelares sérias”

Parte de texto da nota do Tribunal de Justiça de São Paulo ao informar que a análise do processo apresentado pelo Ministério Público do estado, no qual denuncia o ex-presidente  Lula e mais 15 pessoas e ainda pede a prisão preventiva deles vai demandar “algum tempo”.

Dificuldade
Secretário de Saúde de Goiânia, Fernando Machado disse na presença do ministro da Saúde, Marcelo Castro, e do governador Marconi Perillo, durante solenidade da campanha Goiás Contra o Aedes, na quarta-feira, dia 9, que, além da dificuldade que as autoridades emfrentampara combater o Aedes aegypti, enfrentam também dificuldade na internação dos pacientes com dengue por causa da diminuição dos leitos hospitalares nos últimos anos.

Mais animador
Mas o secretário estadual da Saúde, Leonardo Vilela, apresentou situação mais animadora. Ele disse que, em janeiro deste ano, 106 municípios goianos estavam classificados na condição de alto risco, com 4% de infestação. Em fevereiro caiu para 16 municípios. Ainda segundo Leonardo Vilela, em janeiro 1.002.720 imóveis foram visitados pelos agentes de saúde e 29.973 focos foram destruídos. Em fevereiro, apesar do carnaval, 1.592.229 imóveis foram visitados e 26.524 focos eliminados.

Emergência
Já o ministro Marcelo Castro disse que o País está em estado de emergência, o mundo está em estado de emergência declarado pela ONU por causa do vírus da Zika, surgido em 1947, em Gana, na África, e que hoje  está espalhado pelo Brasil.

Nas escolas
A secretária estadual de Educação, Raquel Teixeira, apresentou no evento o projeto Goiás na Ponta do Lápis, da Tribuna do Planalto em parceria com as secretarias estaduais de Educação e Saúde.  Segundo ela, o comabe ao Aedes aegypti não é uma ação isolada, é uma ação de governo. O combate ao mosquito tem que passar pelas crianças, disse. “É nas escolas que nós vamos acabar com o Aedes”.

Pra valer
Em seu discurso o governador Marconi Perillo disse que o governo de Goiás “entra pra valer no projeto Goiás na Ponta do Lápis”. Ele considerou a iniciativa da Tribuna do Planalto como “estratégia fantástica”.

Em família
Presidente da Comurg, o advogado Edilberto Dias de Castro é primo do ministro da Saúde, Marcelo Castro. Os dois se encontraram em Goiânia durante visita do ministro à capital para participar da campanha Goiás Contra o Aedes.

Telefonema
Marcelo Castro teve que encurtar o seu discurso para atender a telefonema da presidenta Dilma Rousseff, que ligou no celular do ministro bem na hora em que ele falava ao público.

Goiânia 2020
Governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB) esteve em Goiânia na manhã de quinta-feira, dia 10. A convite do amigo e publicitário Marcus Vinícius Queiroz, ele participou da 6ª edição do fórum “Goiânia 2020 – a cidade que queremos”, realizado no shopping Bouganville.

Projetos para Goiânia
O principal palestrante da 6ª edição do fórum “Goiânia 2020 – a cidade que queremos” foi o deputado federal e pré-candidato do PSDB a prefeito de Goiânia, Giuseppe Vecci. Ele defendeu a participação das OSs na gestão e disse que, se eleito, vai levar os órgãos da prefeitura para perto da população criando entre oito e nove subprefeituras na capital.

Críticas
Giuseppe Veci fez críticas à gestão do prefeito Paulo Garcia (PT). Ele disse que fará “gestão presente”, criticando o meio expediente implantado na prefeitura desde o ano passado. Disse ainda que na sua gestão a prefeitura vai funcionar o dia todo, 24 horas em alguns casos. “Temos que olhar para o horizonte, não para o próprio umbigo, para dentro”.

Nome novo
Inspetor e assessor de imprensa da Polícia Rodoviária Federal em Goiás, Newton Morais se filou ao PSB na tarde de sexta-feira, dia 11. Ele será candidato a vereador pelo partido em Goiânia. A senadora Lúcia Vânia e o empresário Vanderlan Cardoso participaram da solenidade de filiação na sede do diretório metropolitano do PSB.

Prorrogação de contrato
O governador Marconi Perillo (PSDB) e o prefeito Paulo Garcia (PT) vão prorrogar a terceirização do serviço de saneamento público em Goiânia para a Saneago por mais 30 anos.  O projeto de lei que regulamenta e prorroga a concessão do serviço à Saneago já foi aprovado em primeira votação nesta sexta-feira, dia 11, por 24 votos favoráveis. Agora vai à segunda votação e deve ser aprovado sem dificuldades.

Gestão compartilhada
Na terça-feira, dia 8, Marconi e Paulo Garcia se reuniram, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, com 10 vereadores da capital e representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (Stiueg). Marconi explicou que a gestão será compartilhada porque a prefeitura de Goiânia terá um representante no Conselho da Saneago.

Presenças
Participaram da reunião os vereadores Eudes Vigor, Zander Fábio, Paulo da Farmácia, Edson Automóveis, Cida Garcêz, Dra. Cristina, Djalma Araújo, Geovani Antônio, Elias Vaz e Anselmo Pereira e sindicalistas. A prorrogação do contrato começa a valer só em 2023, quando vence a atual concessão da Saneago.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here