Com novidades, concurso abre inscrições

0
1737
Eliana Leão, subsecretária regional da cidade de São Luís de Montes Belos

Para participar do concurso, os estudantes precisam estar regularmente matriculados nas redes estaduais, municipais e particulares de ensino

Fabiola Rodrigues

O concurso Goiás na Ponta do Lápis chega á 12ª edição este ano, traz novidades para os estudantes participantes. Além das redações, a partir de agora poderão ser inscritos trabalhos no formato fotografia, desenho e vídeo, abordando o tema “Histórias reais de combate ao Aedes”. As inscrições do concurso podem ser feitas pelos alunos das redes estadual, municipais e particulares a partir da próxima segunda-feira, dia 21 de março, e seguem até o dia 15 de maio através do site www.tribunadoplanalto.com.br.
Para participar do concurso, os estudantes precisam estar regularmente matriculados nas redes de ensino. Este ano os estudantes que participarem das produções das novas modalidades, que são fotografia, vídeo e desenho, também concorrerão a vários prêmios, como notebooks, smartphones, televisores e bolsas de estudos, as escolas que se destacarem com as melhores produções em vídeo concorrem a projetor de mídia (data show), televisores e câmeras fotográficas.
Um dos objetivos do concurso, realizado pela Tribuna do Planalto em parceria com Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e Secretaria Estadual de Saúde (SES), é envolver os estudantes na campanha “Goiás contra o Aedes”. Por isso o tema escolhido foi “Histórias reais de combate ao Aedes”. A ideia é motivar o ambiente escolar e, assim, consolidar o combate ao mosquito que transmite doenças como dengue, chikungunya e zika.
A subsecretária regional de São Luís de Montes Belos, Eliana Leão, diz que o concurso será um reforço importante para o combate ao Aedes Aegypti. Ela acredita que os alunos não vão ficar de fora dessa edição do concurso.
“O ano passado não teve o concurso para as escolas do interior do estado. Este ano os alunos esperam ansiosos para produzir muitos materiais. Eles estão motivados e nossas escolas já vêm trabalhando com estudantes, através de palestras e projetos, o combate ao mosquito”, diz.
Na opinião de Eliana Leão, o fato de o concurso receber trabalhos de alunos das redes estadual, municipais e particulares, enriquece a vida do participante. Ela credita que, além do estudante ter a chance de ser premiado pelo trabalho por ele feito, o concurso é uma ótima oportunidade para ele adquirir conhecimento prático.
“A redação escrita pelos alunos vai contar histórias da vida deles, terá mais amor. Ao produzirem vídeos, quem sabe novos talentos podem surgir como futuros cineastas. As possibilidades para a produção dos trabalhos aumentaram. Compreendo isso como avanço na educação”, diz.


 

Oportunidade extra para alunos especiais

As expectativas para esta edição do concurso vão além das histórias que serão contadas pelos alunos sobre como estão combatendo o mosquito. Na cidade de Piranhas, a pedagoga da Subsecretaria Guiomar de Sousa diz que a oportunidade que foi dada aos estudantes de produzirem outros trabalhos, além das redações, possibilita ao aluno portador de algum tipo de deficiência física também produzir o material e concorrer aos prêmios.
“Na Subsecretaria da nossa região são 21 escolas que vão participar do concurso. Têm alunos portadores de deficiência física que agora com certeza vão produzir material. Pode ser participando de um vídeo que ele poderá criar ou uma fotografia que ele possa tirar ou até mesmo fazer um belo desenho”, diz a pedagoga.
As duas escolas da rede estadual de ensino que trabalham com alunos especiais da Subsecretaria Regional da cidade de Piranhas já desenvolvem regularmente projetos e atividades no combate ao Aedes aegypti nas salas de aulas.
“Os alunos especiais têm a chance de serem destaques nas modalidades das premiações do concurso. Seja por redações, vídeos, fotos ou desenhos”, diz.


 

Começa divulgação em todo o estado

O material de divulgação do concurso, como cartazes, fôlders e regulamento, serão entregues pela Gerência de Projetos da Tribuna do Planalto nas Subsecretarias de Regionais a partir do dia 21 de março e segue até o dia 4 de abril. As regionais ficam responsáveis pela entrega do material às unidades escolares da rede estadual e também para as secretarias municipais de sua jurisdição.
O gerente de Projetos da Tribuna, Enoel Júnior, explica que este ano o concurso pretende alcançar cerca de 1,8 milhão de estudantes de todos os 246 municípios goianos.
Após o período de divulgação do concurso nas escolas, começa a discussão do tema  entre alunos e professores. A partir do dia 5 de abril e até o dia 30 de junho os estudantes devem produzir seus trabalhos.
“A expectativa é que os estudantes contem histórias vivenciadas por eles mesmos no combate ao mosquito. E aí os estudantes podem usar toda a criatividade possível”, diz Enoel Júnior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here