Trágico dia que a Bélgica foi marcada por terrorismo

0
1803
Homem presta homenagem às vítimas de atentados terroristas em praça de Bruxelas, na Bélgica. O grupo jihadista Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados que deixaram ao menos 34 mortos e dezenas de feridos em Bruxelas, nesta terça-feira (22), de acordo com informações da rede de TV CNN e da BBC (Geert Vanden (Wijngaert/ AP)
A Europa está em alerta e os combatentes das fileiras do Daesh prometem não dar descanso. Um ataque já reivindicado pelos extremistas vitimou 34 pessoas, sendo este balanço ainda provisório.

 

Bruxelas ‘acordou’ esta manhã para um cenário destrutivo. 22 de março fica assim marcado pelos atentados terroristas no aeroporto Zaventem e na estação de metro Maebeek.

As ameaças eram constantes, mas nada preparava os belgas para o que poderia acontecer hoje às 8h15. Duas explosões no aeroporto e uma no metro aterrorizaram os cidadãos que seguiam as suas rotinas.

O que terá acontecido para a Bélgica ter sido aterrorizada desta forma?

As autoridades acreditam que a detenção de Salah Abdeslam na sexta-feira poderá ter despoletado esta ‘guerra’ sem vencedores na Europa. Este é o mesmo homem responsável pelos ataques em Paris, a 13 de novembro de 2015. Depois de quatro meses foragido foi ‘caçado’ em Bruxelas, após rusgas policiais. Terão sido os seus companheiros e fiéis combatentes do Daesh a levar a cabo estes atentados.

A polícia belga já terá mesmo emitido um mandado de busca e captura para um suspeito visto nas câmaras de videovigilância do aeroporto, junto de outros dois que se terão feito explodir. A imagem dos três está a ser divulgada nas redes sociais e as autoridades apelam para que quem tenha informações se ‘chegue’ à frente.

Mas ainda no final da tarde, três homens de nacionalidade kosovar foram detidos numa autoestrada pela polícia alemã, que suspeita que estejam envolvidos nos ataques, uma vez que tinham na sua posse plantas de um edifício na Bélgica.

As vítimas de um ataque ‘horrendo’

Até à noite de terça-feira o balanço que o Ministério da Saúde fazia era de 34 mortos e 250 feridos. Nem todas as nacionalidades foram apuradas, mas a polícia já avançou com existência de uma portuguesa ferida, nove norte-americanos e um britânico. Sendo que não foram apuradas mais nacionalidades.

Estado Islâmico ‘volta’ a atacar

Três explosões foram sentidas em Bruxelas logo pela manhã, mas o plano era mais extenso. Os terroristas tinham deixado ainda dois pacotes suspeitos – engenhos explosivos – que foram encontrados pela polícia e detonados num ambiente controlado. Mas ainda durante umas rusgas à tarde foi localizada num apartamento uma bomba com pregos, produtos químicos e a bandeira do Daesh.

Estes bombistas suicidas tinham o intuito de ferir o máximo de pessoas possível e foi por isso, que numa das bombas encontrada no aeroporto estavam pregos. Esta situação acaba por ser verificada nos ferimentos das vítimas, que através de um Raio-X divulgado pelo Guardian, se encontra um prego no tórax de uma pessoa.

Sempre assumiram a responsabilidade dos ataques e esta terça-feira não foi diferente. O Estado Islâmico quis lançar o terror e através de um comunicado reivindicou o atentado e prometeu “mais dias negros”.

Bruxelas ‘reage’ com estado de emergência

Na sequência dos atentados, Bruxelas viu-se obrigada a declarar o estado de emergência e a encerrar o aeroporto de Zaventem até, pelo menos, quarta-feira. Ainda assim, o governo belga decidiu decretar três dias de luto nacional, “um luto excepcional”, como dizia o porta-voz do primeiro-ministro.

Solidariedade nunca vem só

Portugal, França, Itália, Alemanha e muitos outros países homenagearam as vítimas destes atentados. Fosse na Câmara Municipal de Lisboa, na Torre Eiffel, na Fontana Di Trevi, as luzes com as cores da bandeira belga surgiam na noite escura que se adivinhava.

Portugal e o ‘susto’

Vários foram os portugueses emigrantes que assistiram aos atentados e em declarações contaram os momentos de terror vividos. E em terras lusas apesar de as autoridades não considerarem que haja “nenhum tipo de ameaça concreta”, o policiamento foi reforçado.

Lá fora o dia também foi agitado

Não bastando, um tiroteio invadiu uma estação de comboios em Amesterdão após uma troca de tiros, numa tentativa de detenção de três suspeitos. Não houve feridos. Também o terminal de Denver, Estados Unidos, foi evacudado após uma ameaça de bomba, apesar de mais tarde ter sido confirmado de que se trataria de falso alarme.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here