Jovair Arantes tenta explicar o inexplicável

0
1302

Deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO) ficou numa sinuca de bico danada ao aceitar ser o relator da Comissão de Impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) na Câmara Federal. Por vários motivos: Jovair e seu partido fazem para da base da presidenta, ele tem cargos no governo federal e é amigo pessoal e aliado do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), principal algoz de Dilma e articulador do seu impeachment. Para tentar esclarecer alguma coisa, o deputado concedeu entrevista coletiva e foi questionado se esta situação não comprometeria sua atuação. “Quem tem cargos no governo federal é o próprio governo, que põe e tira quando quiser. Por outro lado, na Câmara sou aliado de todos os deputados que lá estão e de muitos que por lá passaram”. Jovair disse ainda que seu nome foi aceito por mais de 400 deputados para compor a Comissão como relator, por isso, o fato de ter boa convivência com os dois lados não vai atrapalhar seu trabalho. “Vou cumprir meu papel de legislador, com a responsabilidade dos votos recebidos em Goiás”, ressaltou. Outra coisa. O relator disse ainda que não cederá às pressões para que ele assuma uma posição definitiva sobre o impeachment. “Claro que tudo será analisado por todos os 513 deputados da Câmara e também, depois, pelos senadores. Não estou escondido em uma caixa, sem informações do que acontece, mas vou ter a preocupação de buscar o máximo de isenção no relatório, com base na denúncia presente no processo”, afirmou. Quer dizer. Falou muito e não disse nada. Escorregou, literalmente.


 

“Não cabem meias palavras: o que está em curso é um golpe contra a democracia. Jamais renunciarei”

Presidenta Dilma Rousseff (PT) afirma durante entrevista a correspondentes de seis jornais estrangeiros que “não é mulher fraca” e que nunca renunciará ao mandato.


Lava Jato 1
O governo de Goiás não havia se pronunciado até o final da tarde de quinta-feira, dia 24, sobre o fato de ter aparecido o nome do governador Marconi Perillo nas planilhas de doações para campanha eleitoral da Odebrecht Infraestrutura. Mas o presidente do diretório estadual do PSDB, Afrêni Gonçalves, foi escalado para falar à imprensa sobre o assunto.

Lava Jato 2
Em nota oficial divulgada na manhãde quinta-feira, Afrêni informa o seguinte: “Todas as doações de campanha feitas pela construtora Odebrecht às campanhas majoritárias do PSDB para o Governo de Goiás foram declaradas pelo partido à Justiça Eleitoral”. Tudo bem que as doações foram declaradas à Justiça Eleitoral, o que as tona legais. Mas, fica uma pergunta: seriam morais? Afinal, a Odebrecht está envolvida até a tampa na Operação Lava Jato.

Codinomes
Na planilha da Odebrecht aparecem os nomes de 286 políticos que teriam recebido doações via partidos políticos, entre eles o governador Marconi Perillo (PSDB) e o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT). Muitos desses políticos tinham codinomes. O de Marconi era “Casero”, o de Paulo Garcia era “Pastor”.

Inferno astral
Presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón não anda com sorte nos últimos meses. No ano passado teve que desistir da sua pré-candidatura a prefeito de Goiânia por causa da Operação Compadrio, comandada em Goiás pelo Ministério Público. Agora vê seu nome novamente envolvido em escândalo, desta vez na Operação Lava Jato, desenvolvida pela Polícia Federal, Procruadoria-Geral da República e Justiça Federal. Ele teria recebido R$ 1 milhão, em espécie, no dia 22 de outubro de 2014.

Fora de perigo
A alta tensão no Palácio do Planalto tem prejudicado a saúde de muita gente. A mais nova vítima foi o secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social do Palácio do Planalto, Olavo Noleto. Ele sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), na semana passada, e está internado num hospital de Brasília. Segundo os médicos, está fora de perigo.

Encontro da FNP
O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, e o secretário de municipal de Finanças, Jeovalter Correia, participaram da 59ª Reunião da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) realizada nos dias 23 e 24, no Rio de Janeiro.

Não compareceu
Segundo vice-presidente da FNP, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, não pôde comparecer ao encontro por problemas de saúde (sinusite). Secretário de Governo, Euler Morais o representou no Rio de Janeiro.

Disputa em Trindade
Pelo menos seis nomes estão colocados como pré-candidatos a prefeito em Trindade até agora: o atual prefeito Jânio Darrot (PSDB), que tentará a reeleição; seu antecessor Ricardo Fortunato (PMDB); dois ex-vereadores Alexandre Compleite (DEM) e Marcelo Curicas (PRB); o deputado estadual Dr. Antônio (PR); e a deputada federal Flávia Morais (PDT).

Campanha casada
Pré-candidato a prefeito de Trindade, o deputado Dr. Antônio pretente fazer campanha casada com a do Delegado Waldir Soares, em Goiânia, já que as duas cidades são vizinhas e os dois candidatos do mesmo partido, o PR.

Nomes para Goiânia
Goiânia já tem seis pré-candidatos a prefeito: Luiz Bittencourt (PTB), Giuseppe Vecci (PSDB), Delegado Waldir Soares (PR), Francisco Vale Júnior (PSD), Virmondes Cruvinel Filho (PPS) e Vanderlan Cardoso (PSB). A esta lista devem ser incluídos outros nomes nos próximos dias, entre eles Iris Rezende (PMDB) e, provavelemente, Adriana Accorsi (PT).

Quarta vez
Iris deve anunciar até meados de abril que é pré-candidato a prefeito de Goiânia novamente. O ex-prefeito é unanimidade no PMDB e já teria aceitado disputar novamente a prefeitura, pela quarta vez.

Definição de nomes
Esta semana será decisiva para os seis pré-candidatos do PMDB a prefeito de Aparecida de Goiânia que buscam apoio do prefeito Maguito Vilela. Três deles são secretários municipais e querem que Maguito decida até o dia 30 de março. Até o dia 2 de abril, sábado próximo, eles têm que se desincompatibilizar.

“Corno”
O Polêmico vereador Anselmo Pereira (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Goiânia, conseguiu colocar mais um balde de água fervente em seu armário de quarto. Isto porque ele disse durante audiência pública que discutia o fechamento de bares nos dias semana até às 23h30 que quem frequenta estes estabelecimentos de madrugada é “corno ou delinquente”. O tucano teve que pedir desculpas e disse que não disse o que foi dito. Após a frase se espalhar, Anselmo apanhou muito nas redes sociais.

Rápidas

Nossas condolências de Linha Direta e da Tribuna do Planalto à família de Herbert de Moraes Ribeiro, fundador e diretor do Jornal Opção, que faleceu na manhã de quinta-feira, dia 24.

O ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht e executivos da empresa decidiram fazer delação premiada nas investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.

Marcelo Odebrecht se manteve em silêncio total até agora e mesmo assim a casa de muita gente caiu. Com a delação dele e dos executivos da empresa a situaação pode vai piorar bastante.

Vereadora Delegada Cybelle, de Aparecida de Goiânia, não deve deixar o PSDB como fez o colega de Câmara Municipal, Manoel Nascimento, que saiu do partido e vai se filiar ao DEM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here