Euler Morais defende bom senso entre pré-candidatos a prefeito de Aparecida

0
1789

Pré-candidato a prefeito de Aparecida de Goiânia pelo PMDB, Euler Morais, que é secretário municipal de Governo e Integração Institucional, manteve sua posição de não se desincompatibilizar do cargo até o dia 2 de abril caso não houvesse definição sobre quem seria o candidato a prefeito da cidade escolhido por Maguito Vilela. Até quinta-feira, dia 31 de março, todos pensavam que o prazo para deixar o cargo fosse 2 de abril. Só depois de consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é que a dúvida foi dissipada. Assim, ele continua no páreo porque um secretário só precisa deixar a pasta até quatro meses antes da eleição para ser candidato a prefeito, no caso, no dia 2 de junho.  Apesar da extensão do prazo, Euler Morais acha que a definição deve ocorrer logo. “Não há razão para daqui a 10, 15 dias não definir. O Maguito tem condições de ouvir quem ele acha que deve ouvir nesse tempo”. O secretário entende que a demora na escolha pode prejudicar a administração e o próprio candidato porque a disputa pode causar autofagia no PMDB, provocar guerra interna e gerar estresse. “A gente tem que buscar uma estratégia, evidentemente, que seja a mais produtiva”. Para o secretário, o momento é de “bom senso” para que possa haver “consenso” entre os pré-candidatos a prefeito. Euler concorre com outros seis nomes, sendo cinco do PMDB e um do PT.


“Repactuar o governo é reorganizar a base de apoio. Nada a ver com compra de votos”

Ministro-chefe de gabinete da presidente Dilma Rousseff, Jaques Wagner afirma que chegou a vez de os pequenos partidos terem os melhores ministérios na Esplanada depois que o PMDB rompeu politicamente com o Palácio do Planalto


Incomodados
Que Iris Rezende será candidato a prefeito de Goiânia pelo PMDB todo mundo sabe. Mas a demora no anúncio de Iris incomada muito os peemdebistas da capital. Mas ele terão que aguardar um pouco mais. Segundo o deputado estadual José Nelto, o ex-prefeito vai esperar acontecer o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) para anunciar sua candidatura.

Debandada
Pois é. A indefinição de Iris Rezende sobre as eleições à prefeitura de Goiânia este ano e a ruptura com o PT fizeram com que o PMDB perdesse quatro dos sete vereadores que tinha na capital. Inconformados, saíram da legenda: Eudes Vigor, que foi para o PSDB, Mizair Lemes, que se filiou ao PR, Paulo Borges (licenciado), que foi para o PSB, e Denício Trindade, que passou a integrar o Solidariedade (SDD).

Realinhamento
Em política tudo é possível. O impeachment de Dilma Rousseff pode promover um realinhamento partidário entre forças antagônicas, podendo  unir PMDB e PSDB. Caso Michel Temer assuma a Presidência República, fará composição política com o PSDB de Fernando Henrique Cardoso, Marconi Perillo, Geraldo Alckmin e Aécio Neves. É o tal do realinhamento por interesse próprio. E o povo…

Nada é impossível
Tem gente achando que uma composição política em Goiás entre PMDB e PSDB é coisa impossível, que os dois partidos são como água e óleo, ou seja, não se misturam. Ledo engano. Basta lembrar a aliança de 2014 entre o PMDB de Iris Rezende e o DEM de Ronaldo Caiado. Parecia coisa impossível, mas…

Cortejado
O médico Zacharias Calil filiou-se ao Partido da Mulher Brasileira (PMB). Ele é cortejado a ser  vice de aalguns pré-candidatos a prefeito de Goiânia. O Deputado Delegado Waldir Soares, já até disse que ele será seu vice.

Bom nome
Mas Zacharias Calil tem o que muito político não tem: popularidade e prestígio. Pelos serviços prestados e pelo bom nome na sociedade goianiense, o médico poderia ser candidato a prefeito que não passaria vergonha, com certeza.

Nome para vice
Ex-comandante-geral da Polícia Militar de Goiás, o coronel Silvio Benedito Alves filiou-se ao PP neste sábado, como já havia sido anunciado. Sílvio Benedito deve ser candidato a vice-prefeito de Aparecida de Goiânia na chapa encabeçada pelo Professor Alcides Ribeiro Filho (PSDB). A solenidade, comandada pelo senador Wilder Morais e pelo presidente do PP, vereador Rosildo Manoel, aconteceu na Câmara Municipal.

Educação e Segurança
O nome do coronel Sílvio Benedito na vice já é dada como certa pelo Professor Alcides. Ele diz que o coronel agrega valor à sua chapa que usará a Educação e a Segurança Pública como motes da campanha eleitoral. A esposa do cronel Sílvio, Iracema Borges, é a presidente da comissão provisória do PSDB no município.

Apoio a Lissauer
O prefeito de Rio Verde, Juraci Martins, deixou o PP e se filiou ao PPS levando consigo todo o seu grupo político. O radialista e vereador Elias Terra também acompanhou o prefeito. A articulação feita pelo presidente regional do PPS, deputado Marcos Abrão, com apoio da senadora Lúcia Vânia, presidente do regional do PSB, visa garantir apoio do PPS à candidatura do deputado Lissauer Vieira a prefeito do município pelo PSB.

De olho em 2018
As ações do PSB e do PPS são coordenadas no Estado. Lúcia Vânia e o deputado Marcos Abrão, sobrinho da senadora, estruturam os partidos para as eleições de 2016 já visando à reeleição dos dois em 2018. Fala-se que as duas legendas também podem lançar candidato a governador.


Mabel pode disputar prefeitura
Ex-deputado federal Sandro Mabel está decidido a colocar seu nome no debate interno do PMDB sobre pré-candidatura a prefeito de Aparecida de Goiânia. Em conversa com este colunista, Mabel disse que tem domicílio eleitoral no município e esta filiado a um partido político, no caso do PMDB, o que o torna apto a disputar qualquer cargo eletivo na cidade. Ele tem participado ativamente das articulações políticas para a formação de chapas de candidatos a vereador de vários partidos ligados ao prefeito Maguiio Vilela (PMDB). Sobre sua candidatura, ele é direto. “Estamos conversando”.


Rápidas

A crise econômica não perdoa ninguén mesmo. A Cecrisa, que fabricava pisos e azulejos, fechou as portas. A empresa é uma das mais antigas e mais importantes indústrias do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), onde foi instalada na década de 1980. Deixou 200 trabalhadores desempregados.

Rombo na OAB-GO chega a R$ 23, 9 milhões, conforme aponta auditoria do Conselho Federal da entidade. A dívida foi acumulada, principalmente, nas gestões de Henrique Tibúrcio e Enil Henrique Filho. A auditoria recomenda corte de 20% de despesas e de 30% da folha de pagamento.
A OAB goiana tinha orçamento deficitário para esse ano de R$ 17 milhões. Previa despesa de R$ 47 milhões e receita estimada em apenas R$ 30 milhões. Segundo o secretário-geral da entidade, Jacó Coelho, foi aprovado novo orçamento para o ano de 2016, com um corte orçamentário de R$ 16,8 milhões.

Em crise e evitando racha interno, o PT promoveu encontro na Câmara Municipal, na manhã de sábado, dia 2, e lançou a pré-candidatura da deputada estadual Adriana Accorsi a prefeita de Goiânia. Ela pretende resgatar e defender as ações das três administrações petistas na capital, incluindo a do seu pai, Darci Accorsi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here